451, A Feira do Livro,

Mais treze autores são confirmados n’A Feira do Livro

Adelaide Ivánova, Christian Dunker, Lilia Guerra e Marcelo Rubens Paiva estão em nova leva de nomes do festival literário, que começa em 29 de junho

16maio2024 • 22maio2024

A Feira do Livro anunciou sua segunda lista de escritores confirmados na edição de 2024, que acontece de 29 de junho a 7 de julho em São Paulo, na praça Charles Miller, em frente à Mercado Livre Arena — Pacaembu. A nova leva traz treze autores brasileiros e estrangeiros que vêm se destacando na poesia, ficção e não ficção contemporâneas, como a poeta pernambucana Adelaide Ivánova, a autora argentina Betina González, o psicanalista Christian Dunker, a ativista e psicóloga Geni Núñez e as paulistanas Julia de Souza, poeta finalista do prêmio Oceanos de 2020, e Lilia Guerra, contista e romancista que retrata personagens na periferia de São Paulo.  

Também estão confirmados a poeta gaúcha Mar Becker, o escritor e dramaturgo Marcelo Rubens Paiva, o autor argentino Michel Nieva e o professor de literatura e tradutor Odorico Leal. Completam a lista o analista ambiental Pablo Casella, que recentemente lançou seu primeiro romance, o historiador português Rui Tavares e o poeta e agitador cultural Sérgio Vaz, criador da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia) e um dos nomes mais importantes da poesia brasileira nas últimas décadas. Com a nova leva, A Feira do Livro chega a 37 nomes confirmados — outros 24 autores foram anunciados em março.    

Na sua terceira edição, o festival literário terá duração ampliada de cinco para nove dias e reunirá alguns dos principais autores do Brasil e do resto do mundo em debates gratuitos. A Feira do Livro é realizada pela Associação Quatro Cinco Um, organização sem fins lucrativos voltada para a difusão do livro, e pela Maré Produções, empresa especializada em eventos e exposições de arte. 

Em 2024 o festival conta com patrocínio do Itaú Unibanco e Redecard, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, e apoio da Prefeitura de São Paulo, SPTuris e Livraria Dois Pontos. Tem como parceiro de mídia a revista Piauí e parcerias com o Museu do Futebol, Secretaria de Cultura, Economia e Indústria Criativa do Estado de São Paulo, Associação Vaga Lume e Meliá São Paulo Higienópolis.

A primeira lista de nomes divulgados trazia entre os destaques as escritoras argentinas Camila Sosa Villada, Camila Fabbri e Claudia Piñeiro, a romancista Jamaica Kincaid, o romancista e historiador americano Jabari Asim, a autora paulistana Natália Timerman, o romancista cearense Stênio Gardel, vencedor no National Book Award, e o ensaísta e ficcionista paranaense Caetano W. Galindo, entre outros. 

A Feira do Livro 2023: público lotou o Palco da Praça (Sean Vadaru)

Como nas duas edições anteriores, o festival literário inclui nomes fortes da não ficção nas mais diferentes áreas. Entre eles estão a escritora-cozinheira Rita Lobo, o médico Carlos Monteiro, um dos criadores do Guia Alimentar para a População Brasileira, e o linguista Marcos Bagno. Também estão confirmados o matemático Marcelo Viana, diretor-geral do IMPA (Instituto de Matemática Pura e Aplicada), e o historiador Luiz Felipe de Alencastro, um dos maiores especialistas brasileiros no período da escravidão. 

Até o fim de maio, mais nomes serão divulgados pela organização d’A Feira do Livro, tendo o pluralismo, a bibliodiversidade e a liberdade de expressão como critérios fundamentais. Segundo o diretor-geral do evento, Paulo Werneck, a programação busca convidar “autores que caíram no gosto dos leitores e que promovem debates relevantes para o Brasil e o mundo”. 

Praça

Em 2023, A Feira do Livro recebeu mais de cem convidados e mediadores, e um público de 35 mil pessoas ao longo de cinco dias. A Feira do Livro é um festival a céu aberto, que se realiza no meio da rua, nos moldes das feiras do livro de Lisboa, Madri e Porto Alegre. Sem cobrança de entrada nem catracas, promove o encontro entre autores, editores e leitores, tendo o livro brasileiro como protagonista. Os convidados se apresentam em dois palcos principais que funcionam simultaneamente. Um deles é montado no meio da praça e o outro é o Auditório Armando Nogueira, no Museu do Futebol. 

Entre as novidades para a arquitetura em 2024, a organização prevê pequenos palcos espalhados pela praça, para debates e lançamentos com dois ou três autores, em formato pocket — sempre mantendo o espírito de uma “aldeia efêmera em pleno asfalto paulistano”, nas palavras de Álvaro Razuk, diretor de arte e arquitetura. Oficinas e atividades em torno do livro e da leitura acontecem em paralelo à programação de autores, sempre com participação gratuita.

Editoras expõem títulos n’A Feira do Livro de 2023 

Confira a lista com os mais recentes autores confirmados n’A Feira do Livro

Adelaide Ivánova

A poeta pernambucana radicada em Berlim ganhou em 2018 o Prêmio Rio de Literatura por sua coletânea O martelo (Garupa). N’A Feira do Livro, lança Asma, pela Editora Nós. Os poemas acompanham a protagonista Vashti Setebestas, rainha persa que inaugura o mito da mulher insubordinada e atravessa os séculos de formas variadas, se insurgindo contra a opressão estatal e narrativas criadas por homens. A autora falou sobre esses e outros assuntos, como a migração não voluntária, em entrevista para a Quatro Cinco Um

Betina González

Escritora argentina nascida em 1972 e professora de escrita criativa na Universidade de Buenos Aires, foi premiada por seus dois primeiros romances, Arte menor (2006) e Las poseídas (2013). Lança n’A Feira do Livro a coletânea de ensaios A obrigação de ser genial (Bazar do Tempo), sobre processos de escrita e os obstáculos enfrentados por autoras no mundo da literatura, com tradução de Silvia Massimini Felix.

Christian Dunker

Psicanalista, escritor e professor de psicologia da Universidade de São Paulo (USP), Christian Dunker ganhou o prêmio Jabuti com o livro Estrutura e constituição da clínica psicanalítica (Annablume, 2011). Um dos autores mais reconhecidos em sua área no Brasil, colabora em jornais e revistas e acumula ouvintes em podcasts e em seu canal de YouTube. Entre seus livros mais recentes estão Lutos finitos e infinitos (Paidós, 2023) e Ciência pouca é bobagem: por que a psicanálise não é uma pseudociência (Ubu, 2023).

Geni Núñez

A psicóloga e ativista indígena guarani publicou Descolonizando afetos: experimentações sobre outras formas de amar (Paidós, 2023) e o infantil Jaxy Jaterê (HarperKids, 2023). Doutora em ciências humanas e mestre em psicologia social pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Núñez faz parte da Comissão de Direitos Humanos do Conselho Federal de Psicologia.

Julia de Souza

A poeta e tradutora paulistana publicou pela 7Letras os livros de poesia Covil (2013), Gigante vermelha (2016) e As durações da casa (2019), finalista do prêmio Oceanos em 2020. Em 2023 lançou John, ensaio pessoal sobre a perda de seu pai, pela editora Âyiné. O livro foi resenhado por Paulo Roberto Pires na Quatro Cinco Um

Lilia Guerra

Romancista, cronista e contista nascida em São Paulo, é autora de livros marcados por personagens da periferia da cidade, como Perifobia (2018) e Rua do Larguinho e outros descaminhos (2021), publicados pela Patuá, e O céu para os bastardos (2023), que saiu pela Todavia. Em entrevista para a Quatro Cinco Um, ela falou sobre sua história de vida, seus livros e sua paixão pela escrita.

Mar Becker

A escritora e poeta gaúcha publicou pela editora Urutau A mulher submersa (2020), que traz versos sobre o universo feminino e foi finalista do prêmio Jabuti. Seus livros seguintes, Sal (2022) e Canção derruída (2023), saíram ambos pela editora portuguesa Assírio & Alvim. Em abril, lançou a plaquete Cova profunda é a boca das mulheres estranhas pela Círculo de Poemas.

Marcelo Rubens Paiva

Escritor, dramaturgo e colunista do jornal O Estado de S. Paulo, Marcelo Rubens Paiva estreou na literatura com Feliz ano velho (1982), relato autobiográfico do acidente que o deixou tetraplégico e livro mais vendido no Brasil por diversos anos na década de 80. Quarenta anos depois, lançou Do começo ao fim (Companhia das Letras, 2022), sobre um amor interrompido na juventude e retomado décadas depois. Escreveu ainda os romances Blecaute (1986), Malu de bicicleta (2022), Ainda estou aqui (2015) e o livro de contos e crônicas O homem ridículo (2019), entre outros.

Michel Nieva

Formado em filosofia pela Universidade de Buenos Aires, o escritor argentino também atua como professor na Universidade de Nova York. Considerado uma das revelações recentes da prosa em língua espanhola, publicou no Brasil Dengue boy: a infância do mundo (2024), pela Amarcord, com tradução de Joca Reiners Terron. Leia resenha na Quatro Cinco Um.

Odorico Leal

Professor, crítico literário, escritor e tradutor, nasceu em Picos, no Piauí. É doutor em literatura brasileira pela Universidade de São Paulo (USP) e traduziu para o português livros da ganhadora do Nobel de Literatura Toni Morrison, do escritor americano com ascendência líbia Hisham Matar e do médico, professor e autor americano Abraham Verghese. N’A Feira do Livro, lança a coletânea de novelas e contos Nostalgias canibais (Âyiné), seu livro de estreia.

Pablo Casella

​​Paulista de Guaratinguetá, o analista ambiental estreia na literatura com o romance Contra fogo (Todavia, 2024). O livro é inspirado em suas experiências no Parque Nacional da Chapada Diamantina, na Bahia, onde atuou como membro do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio).

Rui Tavares

Historiador e político português, é autor de diversos livros. Entre eles, O pequeno livro do Grande Terremoto, sobre a catástrofe que atingiu Lisboa em 1755, e Esquerda e direita: guia histórico para o século XXI, ambos com edições brasileiras publicadas pela Tinta-da-China Brasil, selo editorial da Associação Quatro Cinco Um.

Sérgio Vaz

Conhecido como o poeta da periferia, o escritor se mudou aos cinco anos do interior de Minas Gerais para Taboão da Serra, na Grande São Paulo. Nas últimas três décadas, publicou uma dezena de livros e se tornou um dos maiores agitadores culturais de regiões periféricas do Brasil, fundador da Cooperifa (Cooperativa Cultural da Periferia) e de outras intervenções urbanas, como a Semana de Arte Moderna da Periferia. Seu livro mais recente é Flores da batalha (2023), publicado pela editora Global.

Quem faz A Feira do Livro 

A Associação Quatro Cinco Um é uma organização sem fins lucrativos dedicada a levar o livro para o centro do debate na sociedade brasileira. Seus principais projetos são a revista de crítica de livros Quatro Cinco Um, que tem edição impressa, digital, em podcasts e newsletters, a editora de livros Tinta-da-China Brasil, com foco em literatura e ensaio, e o festival literário A Feira do Livro, criado em parceria com a Maré Produções Artísticas no Pacaembu, em São Paulo. 

A Maré Produções é um escritório de arquitetura especializado em exposições e feiras culturais. Entre as suas realizações recentes está a exposição internacional Amazônia, de Sebastião Salgado. 

Serviço 
A Feira do Livro
29 de junho a 7 de julho de 2024
Praça Charles Miller – Pacaembu – São Paulo/SP
Entrada Gratuita