Repertório 451 MHz,

Independência para quem?

Lilia Schwarcz e Isabel Lucas conversam sobre os duzentos da independência do Brasil, a Semana de 1922 e o que veem para o futuro do país

28jan2022 - 05h51 | Edição #54

Está no ar o 57º episódio do 451 MHz, o podcast da revista dos livros. No ano em que se comemora os duzentos anos de independência do Brasil e em que temos eleições importantes, convidamos a historiadora e antropóloga Lilia Schwarcz e a jornalista portuguesa Isabel Lucas para tentar entender o passado, o presente e o futuro do país. A conversa foi conduzida por Paula Carvalho, editora da Quatro Cinco Um.

O 451 MHz tem apoio dos Ouvintes Entusiastas. Seja um você também! O podcast tem ainda apoio da Companhia das Letras.

Duas vezes por mês, trazemos entrevistas, debates e informações sobre os livros mais legais publicados no Brasil. Confira os episódios anteriores do 451 MHz.

Dupla dinâmica

 

 

Neste episódio, reunimos mais uma vez Lilia Schwarcz e Isabel Lucas, os destaques da capa da edição de janeiro, com ilustração de Rafa Campos Rocha. Na entrevista que Schwarcz concedeu a Lucas, ela critica a cegueira de sua geração perante a ascensão de Jair Bolsonaro e defende a academia, a ironia e o textão. “A minha geração falhou”, comentou ela.

O encontro entre as duas aconteceu em outubro, durante o Festival Literário de Óbidos, em Portugal. Paulo Werneck, diretor de redação da revista, escreveu uma crônica com as lições de democracia do primeiro festival literário em língua portuguesa realizado depois do início da pandemia. 

Biblioteca nacional

      

 

Schwarcz é uma das intelectuais mais influentes no Brasil atual e é autora de vários livros sobre a história do Brasil, como Brasil: uma biografia e Dicionário da República, ambos escritos com Heloisa Starling. Escreveu também Sobre o autoritarismo brasileiro, que saiu em 2019 pela Companhia das Letras (da qual é editora e fundadora) e trata da ascensão de Jair Bolsonaro à presidência, o que escancarou as raízes históricas autoritárias do país.

 

   

 

A jornalista Isabel Lucas lançou em 2021, pela Cepe Editora, o Viagem ao país do futuro, em que viaja por vários lugares do Brasil, tendo como guia a literatura nacional. É uma espécie de versão brasileira do seu livro anterior, Viagem ao sonho americano (Companhia das Letras Portuguesa, 2018), em que ela explorou os Estados Unidos no primeiro ano da presidência de Donald Trump, também guiada pela literatura do país. 

A jornalista portuguesa já havia concedido uma entrevista sobre Viagem ao país do futuro a Iara Biderman para a seção Fichamento.

Entre o mito e a história

O mito promete que o passado será igual ao presente, e a história promete que o passado não será igual ao presente, disse Schwarcz, parafraseando Claude Lévi-Strauss. Na conversa, ambas falam sobre o mito de grandeza tanto de Brasil quanto de Portugal e sobre como esse pensamento precisa ser desconstruído pelas próximas gerações.

Um dos livros comentados por elas é O labirinto da saudade, de Eduardo Lourenço, escrito após a revolução portuguesa de 25 de abril de 1974, que acabou com a ditadura no país para dar início a um regime democrático. Em seus ensaios, o pensador português trata das imagens grandiosas que os seus conterrâneos criaram sobre Portugal. 

 

   

 

Outros livros importantes que tratam das ligações atlânticas entre Brasil, Portugal e a África ocidental (mais especificamente Angola) são O trato dos viventes, de Luis Felipe de Alencastro, e Cross-Cultural Exchange in the Atlantic World: Angola and Brazil During the Era of the Slave Trade, de Roquinaldo Ferreira.

Mais na Quatro Cinco Um

Schwarcz já havia participado de um dos primeiros episódios do 451 MHz, o terceiro, intitulado Inteligência artificial, arte e mulheres, desmilitarização, junto com Mariana Leme. Elas foram duas das três curadoras da exposição Histórias das mulheres: artistas até 1900, que entrou em cartaz no Masp, em 2019. 

Ela também já havia sido entrevistada por Antonio Mammi para a edição 23 da revista. Na conversa, comentou do mito das três raças às redes de Bolsonaro e defendeu que a universidade deve se engajar e contestar narrativas.

Schwarcz também é colaboradora da revista dos livros. Confira os textos que ela assinou para a Quatro Cinco Um

O melhor da literatura LGBTI+

Neste episódio, a escritora e pesquisadora Amara Moira, autora de Se eu fosse puta, recomenda o livro Monstrans: experimentando horrormônios, de Lino Arruda, uma obra experimental de um homem trans, que trata da sua transição de gênero, das dinâmicas familiares, as dúvidas e conflitos dentro da própria subjetividade, chegando a romper até com o antropocentrismo.

Ao longo de 2021, o quadro reuniu catorze livros e dicas literárias LGBTI+ de colaboradores da Quatro Cinco Um.

Narradores do Brasil

Na coleção de episódios roteirizados Narradores do Brasil, o 451 MHz faz breves incursões no formato narrativo para explorar a vida e a obra de nossos grandes autores. Ouça o último episódio sobre o casal Lota de Macedo Soares e Elizabeth Bishop. Rubem Fonseca, Lygia Fagundes Telles, Nelson Rodrigues, Paulo Freire e Caio Fernando Abreu  foram os outros autores contemplados nessa coleção.

O 451 MHz é uma produção da Rádio Novelo e da Associação 451. 
Apresentação: Paulo Werneck e Paula Carvalho
Coordenação Geral: Paula Scarpin e Vitor Hugo Brandalise
Produção: Gabriela Varella
Edição: Claudia Holanda
Produção musical: Guilherme Granado e Mario Cappi
Finalização e mixagem: João Jabace
Identidade visual: Quatro Cinco Um
Coordenação digital: Juliana Jaeger e FêCris Vasconcellos
Gravado com apoio técnico da Confraria de Sons & Charutos (SP).
Para falar com a equipe: [email protected]

Matéria publicada na edição impressa #54 em outubro de 2021.