Laut, Liberdade e Autoritarismo, Política, Repertório 451 MHz,

De olho no Supremo

Diego Werneck Arguelhes e Conrado Hübner Mendes discutem o funcionamento da Suprema Corte brasileira e os limites do Judiciário no podcast 451 MHz

25ago2023 - 04h51 • 12abr2024 - 15h55

Está no ar o 94º episódio do 451 MHz, o podcast da revista dos livros. Diego Werneck Arguelhes, autor de O Supremo: entre o Direito e a política (História Real/Intrínseca), e Conrado Hübner Mendes, que vai lançar O discreto charme da magistocracia: vícios e disfarces do judiciário brasileiro (Todavia), ajudam a entender como funciona a Suprema Corte brasileira e o Judiciário como um todo e suas relações com outros poderes da nossa democracia.

Desvendando a Suprema Corte

Dois lançamentos podem nos ajudar a navegar os meandros do direito que influenciam o cotidiano de todos os brasileiros. O primeiro é O Supremo: entre o Direito e a política, de Diego Werneck Arguelhes, lançado pela editora Intrínseca, e o segundo é O discreto charme da magistocracia: vícios e disfarces do judiciário brasileiro, que reúne algumas das colunas de Conrado Hübner Mendes publicadas no jornal Folha de S.Paulo, e vai sair pela editora Todavia em novembro.


O professor e pesquisador Diego Werneck Arguelhes e o professor e jurista Conrado Hübner Mendes [Paulo Vitale/Divulgação e acervo pessoal]

Advogados e professores de Direito, os dois também participam do Mare Incognitum, grupo de pesquisadores de diversas áreas que têm como objeto de estudo o STF do ponto de vista empírico, que analisa o funcionamento do Tribunal. Werneck Arguelhes baseou seu livro em dados reunidos por estudiosos da rede.

Professor do Insper e pesquisador do Centro Brasileiro de Relações Internacionais (CEBRI), Werneck Arguelhes é também co-autor de Quem decide no Supremo? Tipos de decisão colegiada no tribunal (1988-2018), da FGV, e co-organizador dos livros Marco Aurélio no Supremo: entre o indivíduo e a instituição e O Supremo de Celso de Mello: Trajetória, perfil e legado, lançados pela Casa do Direito.

    

Hübner Mendes é professor de direito constitucional na USP, colunista da Folha de S.Paulo e um dos pesquisadores que fazem parte do Laut (Centro de análise da liberdade e do autoritarismo), que tem uma parceria com a Quatro Cinco Um com uma seção fixa na revista desde 2020. Ele é também co-autor do livro O caminho da autocracia: estratégias atuais de erosão democrática, escrito com Adriane Sanctis, Fernando Romani Sales, Mariana Celano de Souza Amaral e Marina Slhessarenko Barreto, publicado neste ano pela Tinta-da-China Brasil, e de Constitutional Courts and Deliberative Democracy (Oxford University Press).

  

O STF é tema da revista dos livros desde o seu primeiro ano. A edição 10 trouxe na capa, ilustrada por Felipe Cohen, o tema “O Supremo na ordem do dia”, com textos de cinco especialistas, entre eles, Hübner Mendes e Werneck Arguelhes (em parceria com Rogério Arantes).

Ao longo desses anos, os dois autores colaboraram outras vezes com a Quatro Cinco Um. Werneck Arguelhes escreveu uma resenha dos livros Os onze: o STF, seus bastidores e suas crises, de Felipe Recondo e Luiz Weber, e A Carta: para entender a Constituição brasileira, obra coletiva organizada por Naercio Menezes Filho e André Portela Souza.

Hübner Mendes resenhou os livros Direitos dos povos indígenas em disputa, organizado por Manuela Carneiro da Cunha e Samuel Barbosa, e o infantojuvenil Vovô Mandela, de Zazi, Ziwelene e Zindzi Mandela. Ele também já havia participado de outro episódio do 451 MHz, Impeachment: modo de usar, na companhia de Rafael Mafei Rabelo Queiroz. Ouça aqui:

O melhor da literatura LGBTQIA+

Tatiany Leite, jornalista e criadora do canal Vá ler um livro, indicou o conto “Êxtase”, de Katherine Mansfield, traduzido por Ana Cristina Cesar e publicado no livro Crítica e tradução, lançado em 2016 pela Companhia das Letras. O conto também recebeu uma tradução mais recente de Nara Vidal em Êxtase e outros contos, lançado pela editora Antofágica.

    

No conto, publicado em 1918, a escritora nascida na Nova Zelândia e admirada por Virginia Woolf conta a história de Bertha Young, uma mulher casada e de trinta anos que um dia passa a sentir uma grande felicidade (ou êxtase), incluindo o desejo por outra mulher.

Confira a lista completa de indicações dadas no podcast 451 MHz, no bloco O Melhor da Literatura LGBTQIA+.

O 451 MHz é uma produção da Rádio Novelo e da Associação Quatro cinco um.
Apresentação: Paulo Werneck
Coordenação Geral: Évelin Argenta e Paula Scarpin
Produção: Ashiley Calvo
Edição: Luiza Silvestrini
Produção musical: Guilherme Granado e Mario Cappi
Finalização e mixagem: João Jabace e Luis Rodrigues, da Pipoca Sound
Identidade visual: Quatro Cinco Um
Coordenação digital: Bia Ribeiro
Para falar com a equipe: [email protected].br

Editoria especial em parceria com o Laut

LAUT – Centro de Análise da Liberdade e do Autoritarismo realiza desde 2020, em parceria com a Quatro Cinco Um, uma cobertura especial de livros sobre ameaças à democracia e aos direitos humanos.