Repertório 451 MHz,

451 MHz #9: Patti Smith por Letrux, literatura, história

O podcast da Quatro Cinco Um recebe a cantora Letrux, a escritora Djaimilia Pereira de Almeida e o historiador José Murilo de Carvalho

15nov2019 - 03h51

Está no ar o nono episódio do 451 MHz, o podcast da revista dos livros! Duas vezes por mês, trazemos entrevistas, debates e informações sobre os livros mais legais publicados no Brasil. 

No programa desta semana, os temas são Patti Smith por Letrux, literatura com Djaimilia Pereira de Almeida e história com José Murilo de Carvalho.

No primeiro bloco, o apresentador Paulo Werneck e Paula Carvalho, editora da Quatro Cinco Um, conversam com a artista Letícia “Letrux” Novaes, que fala sobre a obra musical e literária de Patti Smith, literatura, rock, família e política.

No segundo bloco, Werneck recebe a escritora portuguesa e colunista da Quatro Cinco Um Djaimilia Pereira de Almeida, que comenta seu premiado romance Luanda, Lisboa, Paraíso (Companhia das Letras).

O episódio fecha com uma conversa com José Murilo de Carvalho, um dos historiadores homenageados no livro Três Vezes Brasil (Bazar do Tempo).

Ouça o episódio aqui e agora: 

A página Repertório 451 MHz reúne os links para o último episódio e para os livros citados, listas, além de imagens, sugestões de leitura e outras indicações para se aprofundar nos temas discutidos. 

O podcast 451 MHz pode ser ouvido gratuitamente no site da revista e também nos principais tocadores de podcasts. Ele é publicado na primeira e na terceira sexta-feira de cada mês. 

A apresentação é do editor Paulo Werneck e a direção é da jornalista Paula Scarpin, da Rádio Novelo, start-up de podcasts que produz o 451 MHz para a Associação Quatro Cinco Um. Para contribuir com a realização do podcast, convidamos você a fazer uma assinatura da Quatro Cinco Um, a revista dos livros.

Bloco 1 (4:45)
Letrux

No primeiro bloco, Paulo Werneck e Paula Carvalho conversam com Letícia Novaes, conhecida pelo nome artístico Letrux e responsável por hits musicais como “Ninguém perguntou por você” e “Flerte revival”, do álbum Letrux em noite de climão. “O projeto do disco era muito esta frase: onde a fossa dança e o gozo dói. Eu quero falar de coisas prazerosas, mas a vida também tem suas trevas, seu lado sombrio”, conta ela, que também comenta sua amizade com a poeta Bruna Beber, com quem compôs a canção “Que estrago”.

Ao longo do episódio, Letrux fala de outra multiartista, assim como ela: a norte-americana Patti Smith, que veio ao Brasil para participar do festival Popload e lançar os livros O ano do macaco e Devoção, ambos pela Companhia das Letras — ela fez relativo sucesso no mundo literário com Só Garotos, lançado em 2010. “É uma figura que eu admiro em tantos níveis… literário, musical, de ativismo. Além de escrever bem, cantar bem, compor bem, pinta, bate foto… que é isso? [risos]”. 

Letrux fala ainda do hábito de escrever em diários, descreve as passagens pela faculdade de Letras e pelas aulas de teatro, declara seu amor por Clarice Lispector e Gabriel García Márquez e dá pistas sobre seu novo disco e um possível livro de poesia, que estão em processo de criação. 

Bloco 2 (25:15)
Djaimilia Pereira de Almeida

A entrevista com a escritora Djaimilia Pereira de Almeida é a primeira de uma série que o apresentador Paulo Werneck fez com escritores portugueses em Lisboa e que vão ser veiculadas nos póximos episódios do 451 MHz.

Colunista da Quatro Cinco Um, Djaimilia é autora de Esse cabelo (Leya) e acaba de lançar Luanda, Lisboa, Paraíso (Companhia das Letras), finalista do Prêmio Oceanos em 2019. Segundo a autora, a autoficção, que foi resenhada na edição de novembro por Luciana Araujo Marques, “revela a forma como sonhos e expectativas vão sendo agourados”. Djaimilia conta que o novo livro demorou quatro anos para ser escrito e compara o exercício de sua escrita ao ato de bordar: “Eu revejo e emendo muito, muito. Vou frase a frase, vou cosendo. O livro não é muito longo, mas levou muitos anos porque cada frase deu muito trabalho”.

Ela também discorre sobre a temática da identidade pós-colonial em sua obra. “O momento em que eu começo a escrever é um momento em que de repente começo a interessar-me por perceber um bocadinho melhor donde é que eu vim, quem é que eu sou. Ao começar a escrever sobre essas interrogações, comecei inevitavelmente a pensar nos meus antepassados, e portanto livros como Esse cabeloLuanda nascem dessa interrogação interior”, diz.

Bloco 3 (36:45)
José Murilo de Carvalho

O convidado do terceiro bloco é o historiador José Murilo de Carvalho, que participou da Festa Literária Internacional de Paraty neste ano que marca o lançamento de sua biografia Jovita Alves Feitosa (Editora 34) e do livro Tres vezes Brasil (Bazar do Tempo), organizado por Lilia Schwarcz e Helois Starling, para o qual foi um dos entrevistados. 2019 também vê o relançamento de suas obras Forças armadas e política no Brasil (Todavia) e Os bestializados: o Rio de Janeiro e a República que não foi (Companhia das Letras).

Ao longo da conversa, ele fala sobre as agitações políticas no Brasil nos últimos anos, o impeachment de Dilma, as eleições conturbadas de 2018 e o papel das forças armadas no país. O historiador diz que a ditadura militar é uma ferida aberta na nossa história, sobretudo para os intelectuais, a imprensa e os setores artísticos — que, segundo ele, sofreram mais com a censura e a tortura —, e diz que Lula, "forçando um pouco, era um Getúlio mais democrático", e que seu grande erro político foi não formar sucessores.

Na Quatro Cinco Um, José Murilo de Carvalho escreveu sobre Tancredo Neves, o príncipe civil, biografia de Plínio Fraga, e teve resenhados seus livros O pecado original da República, por Lilia Schwarcz, e Clamar e agitar sempre: os radicais da década de 1860, por Heloisa Starling.

Parênteses
(0:48)
Instituto Vera Cruz

Este episódio tem o apoio do Instituto Vera Cruz, que é um dos principais centros de formação de escritores no Brasil. O Vera Cruz é um desses projetos bonitos em torno da literatura contemporânea brasileira, que mostram que escrever é algo que a gente pode aprender com os grandes mestres. Muitos autores importantes são professores no Instituto Vera Cruz e já formaram autoras e autores que entraram para a circulação sanguínea da literatura brasileira, ganhando edições e alguns até já são finalistas de prêmios. O processo seletivo para formação das turmas já está aberto e vai até o dia 22 de novembro para os três núcleos de estudo: ficção, não-ficção e infantojuvenil. Seja o escritor que você quer ser. Para se inscrever é só acessar site.veracruz.edu.br/instituto.

(9:40)
Japan House

Oi, eu sou a Natasha Barzaghi Geenen e estou aqui pra te convidar a ouvir o podcast da Japan House São Paulo. Como a nossa primeira temporada é sobre literatura japonesa, eu convidei o Paulo Werneck, do 451 MHz, para conversar comigo e com os nossos convidados. O primeiro episódio já está no seu tocador preferido e tem como tema O Assassinato do Comendador, do Haruki Murakami. Assina agora mesmo aí no seu tocador para descobrir dez grandes obras da literatura japonesa. O podcast da Japan House São Paulo é produzido pela rádio Novelo e tem a Quatro Cinco Um como parceira na primeira temporada.

(24:08)
Bux Club

A Patti Smith com certeza é uma das nossas indicações literárias pra este mês de novembro, mas se você está buscando mais ideias do que ler, vamos te ajudar nessa busca. Além de ouvir o 451MHz e ficar por dentro do que há de melhor sendo lançado no Brasil, você conta ainda com o nosso mais novo parceiro: o BUX CLUB. O BUX  é um fã-clube de leitores, que reúne um time de 18 curadores, prontos pra indicar a sua próxima leitura. São personalidades da literatura, jornalistas, músicos, empresários…Você escolhe um deles – ou quantos quiser – e ele te acompanha o ano inteiro, sempre com novas dicas. Um dos curadores, por exemplo, é a cartunista e chargista Laerte Coutinho. Ela vai te indicar livros sobre questões de gênero, política e cotidiano. Para se cadastrar, é só acessar buxclub.com.br e escolher o seu curador.

(36:05)
Amazon KDP 

E para ser uma autora ou um autor premiado como a Djaimilia, você precisa — antes de mais nada — publicar os seus livros. E aqui no 451 MHz temos uma parceria que pode te ajudar nessa empreitada de uma maneira fácil, rápida e gratuita. É só usar o KDP, a ferramenta de autopublicação da Amazon, que acompanha o  nosso podcast desde o primeiro episódio. O KDP permite que você mesmo publique seu livro e disponibilize para os leitores no formato digital ou físico. É simples e em até 72 horas, seu livro aparece nas lojas Kindle do mundo inteiro. Conheça mais em kdp.amazon.com.br.

Ficha técnica:
O 451 MHz é uma produção da Rádio Novelo para a Quatro Cinco Um
Apresentação: Paulo Werneck
Direção: Paula Scarpin
Edição: Évelin Argenta
Produção: Aline Scudeller
Produção musical: Guilherme Granado e Mario Cappi 
Finalização e mixagem: João Jabace
Identidade visual: Quatro Cinco Um
Coordenação digital: Kellen Moraes
Gravado nos estúdios Rastro (Rio de Janeiro), Tyranosom (São Paulo) e Mixturas (Lisboa)
Para falar com a equipe: [email protected]