Repertório 451 MHz,

451 MHz #2: Educação, tatuagem, segredos dos sebos

Ouça aqui e agora o segundo episódio do podcast da revista dos livros — e conheça os livros citados no programa

02ago2019 - 04h51

Está no ar o segundo episódio do 451 MHz, o podcast da revista dos livros!

Vamos falar de dois temas um tanto subversivos nos nossos dias: no primeiro bloco, educação, e, no segundo bloco, tatuagem. No terceiro bloco, trazemos notícias de um lado menos conhecido do mercado editorial: os sebos.

Nossos convidados são o educador Sérgio Haddad, a historiadora Silvana Jeha e os livreiros Maristela Calil e Ricardo Lombardi. Ouça o episódio aqui e agora: 

A página Repertório 451 MHz reúne o link para o último episódio, além de links para os livros citados, listas, imagens, sugestões de leitura e outras indicações para se aprofundar nos temas discutidos. Você pode recebê-la no seu e-mail às 4h51 do dia de publicação de cada novo episódio.

Uma semana depois da publicação do episódio, a íntegra das entrevistas estará disponível no site da revista, com acesso apenas para assinantes da Quatro Cinco Um

O podcast 451 MHz pode ser ouvido gratuitamente no site da revista e também nos principais tocadores de podcasts. Ele é publicado na primeira e na terceira sexta-feira de cada mês. 

A apresentação é do editor Paulo Werneck e a direção é da jornalista Paula Scarpin, da Rádio Novelo, start-up de podcasts que produz o 451 MHz para a Associação Quatro Cinco Um. Para contribuir com a realização do podcast, convidamos você a fazer uma assinatura da Quatro Cinco Um, a revista dos livros.

Bloco 1 (3’54”)

Sérgio Haddad: “Estão fazendo uma ação ideológica, contra a presença do Paulo”


Capa de O educador: um perfil de Paulo Freire, de Sérgio Haddad

Na entrevista, Sérgio Haddad fala de seu livro O educador: um perfil de Paulo Freire, que acaba de lançar pela editora Todavia, relembra os principais pontos na trajetória do mestre e explica alguns dos conceitos desenvolvidos por ele, tais como o das “palavras geradoras” e o tão falado “método Paulo Freire”. Haddad também comenta as razões (ou desrazões) que recentemente levaram Paulo ao centro da polarização política no país.

O livro de Haddad é resenhado pela ensaísta Paula Sibilia no Especial Educação que a Quatro Cinco Um publica em agosto, ao lado de outro livro biográfico sobre o educador pernambucano, de autoria de Walter Kohan, publicado pela Autêntica.

Nesse especial, Sérgio Haddad publicou uma resenha do livro A educação como prioridade, de Darcy Ribeiro, que acaba de ganhar nova edição pela Global.


O educador Sérgio Haddad [Divulgação]

Sérgio Haddad tem livros e artigos acadêmicos sobre educação publicados em diversos países. Com uma longa estrada em projetos de alfabetização de jovens e adultos, Haddad se define também como um ativista. Co-fundador da ONG Ação Educativa, ele conta ao 451 MHz que chegou a empregar o método Paulo Freire na favela do Jaguaré, em São Paulo, e em seringais do Acre, a convite do ativista ambiental Chico Mendes. O educador é o seu segundo projeto voltado ao público não especializado: em 2012, ele publicou um romance policial.

Bloco 2 (25’52”)

Silvana Jeha: “Nossa herança da tatuagem é muito portuguesa”

A entrevista do segundo bloco do podcast dos livros é a historiadora Silvana Jeha, que lança pela editora Veneta Uma história da tatuagem no Brasil.


A historiadora Silvana Jeha [Divulgação]

O título talvez pudesse ser “Uma história do Brasil através da tatuagem”, pois isso é o que a autora acaba entregando ao leitor. O livro é organizado em nove capítulos, cada um sobre um dos espaços culturais e os personagens ligados ao desenvolvimento da tatuagem: africanos, imigrantes europeus e árabes, portos, prisões, prostíbulos, espetáculos circenses. Os indígenas, segundo a autora, merecem um livro à parte.


[Divulgação]

Uma pesquisa de doutorado sobre a história cultural dos marinheiros a levou para o (sub)mundo da tatuagem, uma arte marginalizada que ao longo do século 20 ganhou status cultural e hoje é um símbolo da cultura urbana.

Outro ponto de partida foi uma bolsa para pesquisar o acervo do Museu Penitenciário Paulista, que reúne milhares de fotos de tatuagens e entrevistas realizadas com finalidade cientifíca com prisioneiros da Casa de Detenção, em São Paulo, nos anos 1920. Muitas dessas imagens estão reproduzidas no livro. Ela também escreveu sobre esse acervo na Zum, revista de fotografia do Instituto Moreira Salles. 


[Divulgação]

Silvana também compilou inúmeras referências literárias que atestam o fascínio pela tatuagem desde os tempos de Machado de Assis. Os grandes autores da literatura brasileira sempre se interessaram pela tatuagem e por tatuados, pelos mais diversos motivos: as citações a João Antonio, Carlos Drummond de Andrade, Guimarães Rosa e Jorge de Lima fazem de seu livro uma espécie de antologia poética.

Um parêntese (30’25”)

4o. Prêmio Kindle de Literatura

(Um parêntese para um recado da Amazon Kindle, que apoia o 451 MHz desde o primeiro episódio. No dia 15 de agosto abrem-se as inscrições para o 4o. Prêmio Amazon Kindle, que está sendo realizado em parceria pela Amazon.com.br, pela Prime Video e pela editora Nova Fronteira. Em 2019, além do prêmio de R$ 30 mil e de um contrato de publicação do livro impresso pela editora Nova Fronteira, o vencedor vai concorrer, com outros ganhadores internacionais, a ter a sua história adaptada para o audiovisual pela Prime Video. Para concorrer, basta publicar o seu livro inédito pelo KDP, a ferramenta de publicação da Amazon.com.br. Se for o escolhido nessa etapa internacional, você ainda leva US$ 10 mil de adiantamento de direitos. Confira o livro vencedor em 2018: A dama de paus, de Eliana Cardoso.

Bloco 3 – (31’24”)

Segredos dos sebos
Maristela Calil e Ricardo Lombardi

O mercado de livros usados certamente é tão antigo quanto o mercado de livros novos. Mas pouco sabemos sobre os bastidores de um sebo, ainda mais em tempos de livro digital e de crise do mercado editorial.

Para conhecer melhor esse universo, convidamos dois livreiros que administram com entusiasmos sebos notáveis em São Paulo. Maristela Calil está há 36 anos aa frente da Livraria Calil, que tem as portas abertas há sete décadas num edifício da rua Barão de Itapetininga, no Centro da cidade, e abriga raridades disputadas pelos colecionadores e bibliófilos.


A livreira Maristela Calil, da Livraria Calil Antiquária [Arquivo pessoal]

Ricardo Lombardi largou uma carreira de sucesso no jornalismo para abrir um sebo na garagem de 18 m2 onde sua mãe guardava o carro nos anos 80 — e o transformou num dos lugares mais interessantes da cidade (para quem gosta de livros). O Desculpe a Poeira funciona há quatro anos na rua Sebastião Velho (sim, o nome é este mesmo), em Pinheiros, e também na internet, é claro.

 


O livreiro Ricardo Lombardi, do sebo Desculpe a Poeira [Arquivo pessoal]

Numa conversa bem-humorada, Maristela e Ricardo contam alguns dos macetes e bastidores do ofício, do qual falam com um brilho nos olhos que conseguimos notar até com os ouvidos.

Selecionamos para você alguns livros recentes sobre a paixão pelos livros e livrarias:

Livrarias: uma história da leitura e de leitores (Bazar do Tempo), de Jorge Carrión. Trad. Silvia Maximini Felix.

Sem lugar no mundo: relato de uma livreira judia em fuga na Segunda Guerra Mundial (Bazar do Tempo), de Françoise Frenkel.

Rua do Odéon (Autêntica), de Adrienne Monnier. Trad. Júlio Castañon Guimarães.

O mundo da escrita: como a literatura transformou a civilização (Companhia das Letras), de Martin Puchner. Trad. Pedro Maia Soares.

O leitor como metáfora: o viajante, a torre e a traça (Edições SescSP), de Alberto Manguel. Trad. José Geraldo Couto.

Bibliotecas no mundo antigo (Vestígio), de Lionel Casson. Trad. Cristina Antunes.

História das bibliotecas: de Alexandria às bibliotecas virtuais (Edusp), de Frédéric Barbier.

Erramos: O nome da autora do livro Rua do Odéon foi corrigido de Adrienne Rich para Adrienne Monnier (alteração feita dia 6.ago.2019 ás 12h21).
Ficha técnica:
O 451 MHz é uma produção da Rádio Novelo para a Quatro Cinco Um
Apresentação: Paulo Werneck
Direção: Paula Scarpin
Edição: Mari Romano e Paula Scarpin
Produção: Aline Scudeller
Produção musical: Guilherme Granado e Mario Cappi 
Finalização e mixagem: João Jabace
Identidade visual: Quatro Cinco Um
Coordenação digital: Kellen Moraes
Gravado no estúdio Tyranosom
Para falar com a equipe: [email protected]