Mercado editorial,

Os premiados da 64ª edição do Jabuti

Luiza Romão, Micheliny Verunschk, Eliana Alves Cruz estão entre os premiados; confira os vencedores

25nov2022 - 10h00 | Edição #63

Na noite de quinta (24), foram anunciados os vencedores da  64ª edição do Jabuti. A coletânea de poesia Também guardamos pedras aqui, de Luiza Romão, levou o prêmio de livro do ano. O som do rugido da onça, de Micheliny Verunschk, foi o premiado na categoria romance literário; Vestida: contos, de Eliana Alves Cruz, levou na categoria Contos, A lua na caixa d’água, de Marcelo Moutinho, em Crônicas. Veja a seguir todos os vencedores, além dos nove finalistas em cada categoria.

Literatura

Conto

A vestida: contos. Eliana Alves Cruz. Malê

finalistas

A cicatriz e outras histórias. Bernardo Kucinski. Alameda Casa Editorial

A dama de branco. Sérgio Sant'Anna. Companhia das Letras

A ilha dos sentimentos perdidos. Hada Maller. Obra Independente

A mulher que pariu um peixe e outros contos fantásticos de Severa Rosa. Rai Soares. Jandaíra

Como pássaros no céu de Aruanda. Paty Wolff. Entrelinhas Editora

Erva brava. Paulliny Tort. Fósforo

O castiçal florentino: Contos. Paulo Henriques Britto. Companhia das Letras

Pretos em Contos: Volume 2. Cristiane Sobral e Plínio Camillo. Aldeia de Palavras

Zaranza. Rita de Podestá. Reformatório

Crônica

A lua na caixa d'água. Marcelo Moutinho. Malê

finalistas

Crônicas de pai. Leo Aversa. Intrínseca

Diário do Bolso 5: 1001 dias que foram noites. Ivo Minkovicius e José Roberto Torero. Padaria de Livros

Mas em que mundo tu vive?. José Falero. Todavia

José Falero proclama que escrever é um direito humano e reflete sobre a vida nas periferias das grandes cidades, as questões raciais e sociais do país e seus medos e desejos. Fala também da força da indignação, dos livros e dos Racionais MC’s nas crônicas de Mas em que mundo tu vive? (Todavia). Leia entrevista com o autor.

Na barriga do lobo. Luís Henrique Pellanda. Arquipélago Editorial

Natureza: a arte de plantar. Leonardo Fróes. Cepe 

Por uma década, o poeta Leonardo Fróes registrou no jornal os segredos de botânica que encontrou no sítio onde mora. Leia artigo na Quatro Cinco Um.

Os sabiás da crônica. Augusto Massi. Autêntica

As trinta e poucas páginas iniciais de Os sabiás da crônica são tão boas quanto os noventa textos reunidos na antologia publicada pela Autêntica. Nelas, Augusto Massi propõe traçar um “quadro histórico e cultural” do momento de consagração da crônica, quando o gênero literário nascido “menor”, marcado pela dispersão e pela fugacidade da imprensa, se encaminha para a ordem e a placidez do livro. E, encadernado, candidata-se à perenidade idealizada – ainda que superestimada –  da chamada alta literatura. Leia resenha de Paulo Roberto Pires.

Qualquer lugar menos agora. J. P. Cuenca. Record

No episódio de 451 MHz “O mundo visto do meu quarto”, o escritor J.P. Cuenca fala sobre seu livro e sobre como o isolamento abriu novas possibilidades para a literatura de viagem. Ouça no site ou nos tocadores.

Restos & Rastros. Livia Garcia-Roza. Geração Editorial

Vida desinteressante. Victor Heringer. Companhia das Letras

Histórias em Quadrinhos

Escuta, formosa Márcia. Marcello Quintanilha. Veneta

finalistas

A menor distância entre dois pontos é uma fuga. Gabriel Nascimento e João Henrique Belo. Obra Independente

Arlindo. Luiza de Souza (Ilustralu). Seguinte

Brega Story. Gidalti Jr.. Brasa Editora

Cidade pequenina. Aldo Solano e Camilo Solano. Pipoca & Nanquim

Gioconda. Felipe Pan, Mariane Gusmão e Olavo Costa. Nemo

Manual do Minotauro. Laerte. Quadrinhos na Cia.

Mapinguari. André Miranda e Gabriel Góes. FTD

Risca Faca. André Kitagawa. Monstra

Shamisen: canções do mundo flutuante. Guilherme Petreca e Tiago Minamisawa. Pipoca & Nanquim

Infantil

Sonhozzz. Daniel Kondo e Silvana Tavano. Salamandra

finalistas

Conte mais uma vez. Weberson Santiago. Yellowfante

Desaforismos. Raquel Matsushita. Maralto

Formigável. Janaína de Figueiredo e Rafa Antón. Aletria

Mesma nova história. Everson Bertucci, Juão Vaz e Mafuane Oliveira. Peirópolis

Nas garras dos babuínos. Rogério Andrade Barbosa. Editora Gaivota

O jabuti não tá nem aí. Dalton Paula e Itamar Assumpção. Caixote

Tô com fome!. Fernando Vilela e Stela Barbieri. Edições SM

Uma planta muito faminta. Renato Moriconi. Companhia das Letrinhas

Vidas de porcelana. Ana Laura Alvarenga e Ana Rapha. Duna Dueto

Juvenil

Romieta e Julieu. Ana Elisa Ribeiro. Editora RHJ

finalistas

As Casas de Unzó. Ciano. Obra Independente

Enedina Marques: mulher negra pioneira na engenharia brasileira. Lindamir Salete Casagrande. Inverso

Mistério em Queluz. Luciana Grether, Patrícia Melo e Rosa Amanda Strausz. Imperial Novo Milênio

O Jardineiro. Henrique Borges. Obra Independente

O serviço de entregas monstruosas. Jim Anotsu. Intrínseca

Autor mineiro cria um Brasil alternativo habitado por fadas, dragões e liliputianos, mas que não está livre do autoritarismo. Leia resenha de Samir Machado de Machado.

Recãomeço. Rafael Tinoco de Araújo. Viseu

Sala 1208. Caio Tozzi e Visca. Editora do Brasil

SP Graja Trip. Geovany Hércules. Edições SM

Super-Ulisses. Caio Tozzi e Renato Drigues. Escarlate

Poesia

Também guardamos pedras aqui. Luiza Romão. Nós

finalistas

A Pele da Pitanga. Jéssica Iancoski. Toma aí um poema

Algo antigo. Arnaldo Antunes. Companhia das Letras

Até aqui. Lubi Prates. Peirópolis

Extraquadro. Ricardo Aleixo. Impressões de Minas

Impressão sua. André Dahmer. Companhia das Letras

Palavra Preta. Tatiana Nascimento. Organismo

Risque esta palavra. Ana Martins Marques. Companhia das Letras

Ao atentarem para as dobras da língua em Risque esta palavra, poemas de Ana Martins Marques ganham fôlego inédito. Leia resenha de Julia de Souza.

Robinson Crusoé e seus amigos. Leonardo Gandolfi. Editora 34

Leonardo Gandolfi convoca personagens criando experiências estilhaçadas em um espaço frágil, porém possível, de encontros. Leia resenha de Renan Nuernberger.

Say it (over and over again). Max Martins. Editora da Universidade Federal do Pará

Romance de Entretenimento

Olhos de pixel. Lucas Mota. Plutão Livros

finalistas

O céu entre mundos. Sandra Menezes. Malê

O clube dos amigos imaginários. Glau Kemp. Verus

O drible da vaca. Mario Prata. Record

Ao completar sessenta anos de carreira, o craque Mario Prata conta em O drible da vaca (Record) que o futebol foi criado na Universidade Cambridge, em 1859, graças ao professor John H. Watson — sim, o parceiro de Sherlock Holmes. Lemos nas linhas borradas entre pesquisa e imaginação que a largura de um gol tem a medida exata do portão da universidade, que a matéria-prima para a primeira bola de futebol veio do Brasil e que a criação do esporte foi apoiada pela rainha Vitória, que recebeu Watson em sua sala de fumar maconha — a sala, assegura Prata em um dos inúmeros e divertidos rodapés do livro, realmente existiu. Por essa nem os ingleses esperavam. Leia entrevista com o autor.

O leão do Oeste – Livro 2: A ascensão do amaldiçoado. André Carvalho. Obra Independente

O último ancestral. Ale Santos. HarperCollins Brasil

Escrito em ritmo veloz e furioso, O último ancestral (HarperCollins), de Ale Santos, convoca as periferias, o hip hop, as séries de ação, os orixás e os povos originários para combater uma ditadura tecnocrática. Leia entrevista com o autor.

Porco de Raça. Bruno Ribeiro. Darkside

Quando os mortos falam. Cláudia Lemes. Avec Editora

Quem me leva para passear. Elisa Lucinda. Malê

Se a casa 8 falasse. Vitor Martins. Globo / Alt

Romance Literário

O som do rugido da onça. Micheliny Verunschk. Companhia das Letras

Ao narrar o rapto e a morte de indígenas, romance de Micheliny Verunschk mostra como o passado colonial irrompe através do tempo. Leia resenha de Luciana Araujo Marques.

A extinção das abelhas. Natalia Borges Polesso. Companhia das Letras

A palavra que resta. Stênio Gardel. Companhia das Letras

Em romance de estreia de Stênio Gardel, protagonista analfabeto carrega carta do homem por quem se apaixonou no sertão nordestino. Leia resenha de Natalia Timerman.

A pediatra. Andréa Del Fuego. Companhia das Letras

É sempre a hora da nossa morte amém. Mariana Salomão Carrara. Nós

Pequena coreografia do adeus. Aline Bei. Companhia das Letras

No segundo romance, Aline Bei mantém forma que a consagrou para narrar os dissabores de uma jovem com problemas familiares. Leia resenha de Natalia Timerman.

Uma tristeza infinita. Antônio Xerxenesky. Companhia das Letras

Em seu romance Uma tristeza infinita, Antônio Xerxenesky retorna aos primórdios da psicanálise e ao pós-Segunda Guerra para tratar dos conflitos entre ciência e fé e do Brasil atual. Leia entrevista com o autor.

Vista chinesa. Tatiana Salem Levy. Todavia

Vista chinesa fala de estupro a partir de um caso real vivido por uma amiga da autora, a diretora de televisão Joana Jabace, em 2014. É a partir de uma fala sua durante a conversa que vem o título do episódio: “A violência sexual é o indizível do horror. Daquilo que não é para acontecer de jeito nenhum. Da injustiça no seu auge”. No podcast 451 MHz, Tatiana Salem Levy e Paloma Franca Amorim conversam sobre as representações literárias da violência sexual.

Vozes de batalha. Marina Colasanti. Planeta

Vozes de retratos íntimos. Taiasmin Ohnmacht. Taverna

Não Ficção

Artes

Apontamentos da arte africana e afro-brasileira contemporânea: políticas e poéticas. Célia Maria Antonacci. Invisíveis Produções

finalistas

Carnaval-Ritual: Carlos Vergara e Cacique de Ramos. Maurício Barros de Castro. Cobogó

Catálogo da Mostra Amotara – Olhares das Mulheres Indígenas (2a. Edição). Joana Brandão Tavares. Obra Independente

Direito, Arte e Negritude. Rebeca de Souza Vieira e Veyzon Campos Muniz. Fi

Letras que flutuam. Fernanda Martins. Secretaria de Estado de Cultura do Pará

Não vão nos matar agora. Jota Mombaça. Cobogó

Performances do tempo espiralar, poéticas do corpo-tela. Leda Maria Martins. Cobogó

seLecT Floresta. Paula Alzugaray. Cinemática Editora

Silva. Augusto de Campos, Olivio Tavares de Araújo, Orandi Momesso, Paulo Pasta e Paulo Venancio Filho. Via Impressa

Tríbades, safistas, sapatonas do mundo, uni-vos: investigações sobre a poética das lesbianidades. Leíner Hoki. Margem da Palavra / Urutau

Biografia e Reportagem

Escravidão: Volume 2. Laurentino Gomes. Globo

Trilogia de Laurentino Gomes apresenta a história perversa e as consequências trágicas da escravidão. Leia resenha de Fábio Silvestre Cardoso.

finalistas

Banzeiro òkòtó: uma viagem à Amazônia Centro do Mundo. Eliane Brum. Companhia das Letras

Guignard: Anjo mutilado. Marcelo Bortoloti. Companhia das Letras

João Cabral de Melo Neto: Uma biografia. Ivan Marques. Todavia

Poeta pernambucano ganha sua primeira biografia, que interpela criticamente a sua obra e reúne anedotas sobre a personalidade obsessiva do poeta. Leia resenha de Victor da Rosa.

Lula: Biografia – Volume I. Fernando Morais. Companhia das Letras

Memórias Sangradas: vida e morte nos tempos do cangaço. Daniel Brito e Ricardo Beliel. Olhares

Ney Matogrosso: A biografia. Julio Maria. Companhia das Letras

No podcast 451 MHz, Ney Matogrosso repassa fatos importantes em seus oitenta anos de vida e cinquenta de carreira. Ouça no site ou nos tocadores.

O ar que me falta. Luiz Schwarcz. Companhia das Letras e Penguin Random House

Memórias da depressão de Luiz Schwarcz são tensionadas entre palavra e silêncio. Leia resenha de Christian Dunker.

O vento mudou de direção: o Onze de Setembro que o mundo não viu. Simone Duarte. Fósforo

Vinte anos depois, o livro procura nos situar em meio aos escombros dos relatos de pessoas afetadas pelo maior atentado terrorista da história. Leia resenha de Sérgio Dávila.

Um intelectual na política: Memórias. Fernando Henrique Cardoso. Companhia das Letras

Ciências

Um tempo para não esquecer: a visão da ciência no enfrentamento da pandemia do coronavírus e o futuro da saúde. Margareth Dalcolmo. Bazar do Tempo

finalistas

A cor do inconsciente: significações do corpo negro. Isildinha Baptista Nogueira. Perspectiva

Contra a realidade: A negação da Ciência, sua causa e consequências. Carlos Orsi e Natalia Pasternak. Papirus 7 Mares

Covid-19 no Brasil: Cenários epidemiológicos e vigilância em Saúde. Carlos Machado de Freitas, Christovam Barcellos e Daniel Antunes Maciel Villela. Fiocruz

História preta das coisas: 50 invenções científico-tecnológicas de pessoas negras. Bárbara Carine Soares Pinheiro. Livraria da Física

Manual de Medicina Baseada em Evidências. José Nunes de Alencar Neto. Sanar

Medicina do amanhã. Pedro Schestatsky. Gente

O dia em que voltamos de Marte: uma história da ciência e do poder, com pistas para um novo presente. Tatiana Roque. Planeta

A professora e matemática Tatiana Roque fala da importância de refazer o pacto entre a ciência e a política. Leia resenha de Felipe Betim.

Os Impactos Sociais da Covid-19 no Brasil: populações vulnerabilizadas e respostas à pandemia. Ester Paiva Souto, Gustavo Corrêa Matta, Jean Segata e Sergio Rego. Fiocruz

Os muitos nomes de Silvana: contribuições clínico-políticas da psicanálise sobre mulheres negras. Ana Paula Musatti-Braga. Blucher

Ciências Humanas

Enciclopédia Negra. Flávio dos Santos Gomes, Jaime Lauriano e Lilia Moritz Schwarcz. Companhia das Letras

Enciclopédia negra faz um trabalho de reparação histórica ao identificar figuras desconhecidas pela maioria dos brasileiros. Leia resenha de Jefferson Barbosa.

finalistas

Arrancados da terra. Lira Neto. Companhia das Letras

Brimos. Diogo Bercito. Fósforo

Livro reconstitui a história da imigração libanesa no Brasil e a contribuição dos ‘brimos’ para a cultura nacional. Leia resenha de Michel Gherman.

Como remover um presidente. Rafael Mafei. Zahar

Rafael Mafei mostra como o instituto do impeachment se configurou historicamente e aponta os fatores que agilizam ou barram os processos. Leia resenha de Juliana Cesario Alvim Gomes.

Constelação Clarice. Eucanaã Ferraz e Veronica Stigger. IMS

Memorial de grandes ausências. Aluízio Falcão. Cepe

Menos Marx, mais Mises. Camila Rocha. Todavia

Neoliberalismo como gestão do sofrimento psíquico. Christian Dunker, Nelson da Silva Junior e Vladimir Safatle. Autêntica

O mundo desdobrável. Carola Saavedra. Relicário

Palmares & Cucaú. Silvia Hunold Lara. Edusp

Ciências Sociais

Máfia, poder e antimáfia. Wálter Fanganiello Maierovitch. UNESP

finalistas

A economia brasileira de Getúlio a Dilma – novas interpretações. Fernando Augusto Mansor de Mattos e Victor Leonardo de Araujo. Hucitec

A superindústria do imaginário. Eugênio Bucci. Autêntica

A teoria do decrescimento e sua aplicação no constitucionalismo brasileiro para o alcance da sustentabilidade. Marcus Mauricius Holanda. CRV

Fake Democracy. Gustavo Ferreira Santos. Tirant lo Blanche

Histórias de morte matada contadas feito morte morrida. Niara de Oliveira e Vanessa Rodrigues. Drops

Marcha dialética do MST. Pablo Nabarrete Bastos. Garamond

Novíssima Dependência. Lucas Crivelenti e Castro. Dialética

Os gaúchos. Ondina Fachel Leal. Tomo Editorial

Ricos & Malandros. Rodrigo Gava. UFSM

Economia Criativa

Nem negacionismo, nem apocalipse. Artur Villela Ferreira e Gesner Oliveira. BEĨ

finalistas

A Amazônia Sustentável e o Ecossistema Empreendedor. Cristina Monte. Fala Negócios de Comunicação

A melhor televisão do mundo. José Roberto Filippelli. Editora Terceiro Nome

Aprendendo a inovar em projetos STEAM. Marco Braga. E-papers

Conteúdo de marca. Leonardo Moura. Summus Editorial

Decifrando Rendas. Vera Felippi. Obra Independente

Design gráfico inclusivo na contemporaneidade. Cassia Leticia Carrara Domiciano, Márcio James Soares Guimarães e Mônica Moura. Cultura Acadêmica

Emoção criativa. Pedro Garcia de Moura. Ventania Editorial

Manihot Utilissima Pohl: Mandioca. Alex Atala. Alaúde Editorial

O chef Alex Atala lança livro sobre o alimento mais versátil do Brasil e fala sobre o futuro gastronômico do país: “É bonito!”. Leia resenha de Marília Kodic.

Quarentena sem Pijama. Leila Rabello e Sintya Motta. Labrador

Produção Editorial

Capa

1984. Capista(s): Giovanna Cianelli e Pedro Inoue. Antofágica

finalistas

1984. Capista(s): Quadratim Artes Gráficas e Wiser Educação. Buzz

A visão das plantas. Capista(s): Luciana Facchini Neto e Willian Santiago (em memória). Todavia

Romance de ganhadora do Prêmio Oceanos revela a brutalidade e a delicadeza de um ex-capitão de navio negreiro. Leia resenha de Jeferson Tenório.

Crônica da casa assassinada. Capista(s): Guilherme Xavier. Companhia das Letras

Enciclopédia Negra. Capista(s): Oga Mendonça. Companhia das Letras

Letras que flutuam. Felipe Wanzeler. Secretaria de Estado de Cultura do Pará

Lina. Capista(s): Daniel Trench. Todavia

O culto recente à vida e à memória de Lina Bo Bardi pretende compensar décadas de reconhecimento insuficiente. Leia resenha de Bianca Tavolariouça o episódio do podcast 451 MHz sobre o livro.

Livro do Desassossego. Capista(s): Vicente Repolês Oliveira Pessôa. Clube de Literatura Clássica

O retrato de Dorian Gray. Capista(s): Gustavo Piqueira e Samia Jacintho. Panda Books

O último ancestral. Capista(s): Douglas Lopes e Rafael Albuquerque. HarperCollins Brasil

Ilustração

Origem. Ils. Anna Cunha. Maralto

finalistas

A bruxa Chatuxa que tinha medo da chuva. Ils. Vanessa Prezoto. Carrocinha

A casa do tatu. Ils. Fernando Vilela. Ciranda na Escola

Contos de cabras e bodes. Ils. Bruna Lubambo. Jandaíra

Nas garras dos babuínos. Ils. Mauricio Negro. Gaivota

O jardim da Lua. Ils. Ana Matsusaki. Editora Tigrito

Oikoá. Ils. Luise Weiss. ÔZé Editora

Orbitar. Ils. Alexandre Rampazo. Maralto

Os invisíveis (nova edição). Ils. Odilon Moraes. Companhia das Letrinhas

Os medos secretos do tijolo oco. Ils. Luis Vassallo. Deborah D Almeida Leanza

Projeto Gráfico

Ubu Rei. Resp. Alfred Jarry, Elaine Ramos. Ubu

finalistas

Abraham Palatnik: Experimentação/Encantamento. Resp. Gabriela Castro, Gustavo Marchetti e Paulo André Chagas. Nara Roesler Livros

Desembola na Ideia. Resp. Marco Chagas. Agência de Iniciativas Cidadãs

Epistemas. Resp. Gabriela Castro, Gustavo Marchetti e Paulo André Chagas. Nara Roesler Livros

Letras que flutuam. Resp. Sâmia Batista. Secretaria de Estado de Cultura do Pará

Lulu Traço & Verso. Resp. Daniel Kondo, Lilia Góes e Luiz Santos. Pancho Sonido e Ed Mus Eireli

‘Songbook’ com os maiores sucessos do cantor e compositor carioca é complementado com ilustrações do artista gráfico Daniel Kondo. Leia entrevista com o autor.

Memórias Sangradas: vida e morte nos tempos do cangaço. Resp. Daniel Brito e Ricardo Beliel. Olhares

Onde Vive a Arte na América Latina. Resp. Lorenzo Lo Schiavo. Act.

Os irmãos. Resp. Roberta Asse. FTD

Ruy Ohtake, arquiteto. Resp. Alles Blau. Romano Guerra Editora e Instituto Tomie Ohtake

Do conjunto residencial na periferia aos prédios para a elite, livro percorre a trajetória do arquiteto Ruy Ohtake, morto em novembro do ano passado. Leia resenha de Bianca Tavolari.

Tradução

Todos os contos: Julio Cortázar. Trad. Heloisa Jahn e Josely Vianna Baptista. Companhia das Letras

finalistas

A garota que não se calou. Trad. Nina Rizzi. Verus Editora

A rosa de ninguém. Trad. Mauricio Mendonça Cardozo. Editora 34

Argonáuticas de Apolônio de Rodes. Trad. Fernando Rodrigues Junior. Perspectiva

Arte poética. Trad. Guilherme Gontijo Flores. Autêntica

Ciropédia. Trad. Lucia Sano. Fósforo

Conjuro da Guiné. Trad. Mariangela Andrade. Escola de Poesia

Dissolução das controvérsias. Trad. Giuseppe Ferraro. Phi

Eisejuaz. Trad. Mariana Sanchez. Relicário

Publicado há cinquenta anos e só agora lançado no Brasil, romance argentino faz crítica à modernização etnocida. Leia resenha de Luciana Araujo Marques.

Pantagruel e Gargântua. Trad. Guilherme Gontijo Flores. Editora 34

Inovação

Fomento à Leitura

Vaga Lume: como livros mudam a vida de crianças e adultos na Amazônia. Resp. Sylvia Guimarães

finalistas

Ciranda do Saber. Resp. Meire Nascimento

Clube de Leitura 6.0. Resp. Fundação Observatório do Livro e da Leitura

Jornada Latines. Resp. Slam das Minas SP, Carolina Peixoto e Pam Araujo

Literatura Acessível. Resp. Aparecida Carina Alves de Souza

Literatura Cura crianças e adolescentes vítimas de abuso. Resp. Gláucia Semíramis Sé Amantéa

Mi Casa, Tu Casa. Minha Casa, Sua Casa. Resp. Stéphanie Habrich

Projeto Casinha de Livros Clara Beatriz. Resp. Clara Beatriz Maciel Nunes Dourado

Revista Mina de HQ. Resp. Gabriela Borges

Sempre um papo. Resp. Afonso Borges

Livro Brasileiro Publicado no Exterior

Torto Arado. Todavia e Textofilia

Narrada por irmãs negras, saga familiar envolta em mistérios trata de relações escravistas e do direito à terra. Leia resenha de Luciana Araujo Marques.

finalistas

1984. Grupo Companhia das Letras e Penguin Random House UK

A coruja que me contou. Mil Caramiolas e Helvetiq Sàrl

A mancha. Editora FTD e Hanulim Publishing Co.

Além da chuva. Editora FTD e Spoonbook

Danite e o Leão: um conto das montanhas da Etiópia. Editora do Brasil e Editora Panamericana

O ar que me falta. Companhia das Letras e Penguin Random House

O Meu Pé de Laranja Lima. Editora Melhoramentos e Editions Stock & Hachette Romans

O oráculo da noite. Companhia das Letras e Pantheon Books – Penguin Random House

Sebastopol. Companhia da Letras e New Directions Publishing

Histórias independentes compõem primeiro livro solo de escritor paulista. Leia resenha de Marcella Franco.

Matéria publicada na edição impressa #63 em outubro de 2022.