A Feira do Livro,

Conheça a programação e os convidados d’A Feira do Livro

Pensadores e autores de vários cantos se encontram na Praça Charles Miller de 7 a 11 de junho

24maio2023 - 05h05 | Edição #70

Depois de uma primeira edição em 2022 realizada em verdadeiro esquema de mutirão — em plena reabertura cultural pós-vacina, sem marcas patrocinadoras e viabilizada com a mobilização de editores, livreiros, escritores e parceiros —, A Feira do Livro chega a 2023 mais estruturada, com financiamento via Lei de Incentivo à Cultura, patrocinadores  e parcerias mais robustas, e consolida o formato de rua, sem cobrança de entrada, como modelo para eventos de livros no país. 

Neste ano, de 7 a 11 de junho, mais de sessenta autoras e autores, 144 expositores e novas atrações vão oferecer ao público paulistano uma programação democrática e de alto nível, que espelha o bom momento das editoras e livrarias brasileiras.

Realizada pela Associação Quatro Cinco Um, organização sem fins lucrativos voltada à defesa do livro no Brasil, e pela Maré Produções, especializada em feiras e mostras de arte, A Feira do Livro leva para a praça pública o melhor da produção editorial do país, em especial das editoras e livrarias independentes. 

Nas 94 tendas e 23 bancadas que abrigam os 144 expositores (13% a mais que os 127 de 2022), os leitores terão a oportunidade de conhecer as novidades literárias para todas as idades, além de ter encontros marcantes com seus escritores preferidos (os convidados são cerca de 20% a mais do que no ano passado) nos dois palcos e fruir a arquitetura convidativa da Feira, montada diante de um dos mais importantes edifícios do patrimônio cultural brasileiro: o Estádio do Pacaembu. A concepção e a direção geral são do editor Paulo Werneck, da Associação Quatro Cinco Um, e do arquiteto Álvaro Razuk, da Maré Produções.

Entre as novidades desta edição está a ampliação da participação das livrarias — das grandes redes às independentes, que incluem até mesmo um sebo recém-inaugurado — e a chegada de importantes editoras de São Paulo e de fora da cidade, que estiveram ausentes da primeira edição da Feira. 

Na programação de autores, além do aumento no número de convidados, as novidades incluem os Interlúdios Musicais – conversas regadas a canções — e a transmissão, direto da praça, de um programa de rádio sobre livros, e um episódio especial ao vivo de um podcast. Mais autores internacionais confirmaram presença neste ano: vêm para a Feira do Livro dois autores dos Estados Unidos, dois da França, um de Portugal, uma da Itália e um da Suíça, além de um britânico residente no Brasil. A edição 2023 também apresenta mais atividades de mediação de leitura, oficinas e programação para crianças, além de opções mais diversificadas de alimentação.

O conceito geral permanece o mesmo: uma feira aberta, que valoriza o livro e o contato entre editores, autores e leitores, e propõe uma ocupação alternativa do espaço público paulistano, tirando os automóveis da rua por cinco dias para dar lugar a livros. 


Foto de Lia Lubambo

Abertura

A Feira do Livro começa na quarta-feira, dia 7 de junho. A partir das 15h, as tendas dos expositores começam a se abrir ao público, que poderá circular pela praça Charles Miller, aquecendo para a sessão de abertura, no Palco da Praça, às 19h. 

Para abrir os trabalhos, foram convidados o líder yanomami Davi Kopenawa e o jornalista britânico Tom Phillips, correspondente do jornal The Guardian no Rio de Janeiro e colega de Dom Phillips, repórter assassinado no vale do Javari, em 2022, ao lado do indigenista Bruno Araújo Pereira. Kopenawa, no entanto, teve que cancelar sua participação devido à morte de sua nora, Angelita Prororita Yanomami.  A Feira do Livro e a Companhia das Letras lamentam a morte de Angelita e se solidarizam com Kopenawa e com a comunidade Yanomami pela perda. 

A programação da mesa da qual Kopenawa participaria segue com a presença do jornalista britânico Tom Phillips. A antropóloga luso-brasileira Manuela Carneiro da Cunha, referência nos estudos sobre etnologia e antropologia histórica e intelectual militante do direito dos povos indígenas do Brasil, passa a fazer parte da mesa que inaugura os debates no festival literário.   

O encontro também conta com a mediação da antropóloga Hanna Limulja e, fechando a noite, Xavier Bartaburu, jornalista e músico, conduzirá um breve ato musical em homenagem a Bruno e Dom.

A sessão de abertura, no Palco da Praça, às 19h desta quarta-feira, 7 de junho, presta um tributo a Bruno e Dom e também a Angelita Prororita Yanomami e evoca o encerramento da primeira edição da Feira, quando os autores que se apresentaram prestaram uma homenagem a Bruno e Dom, cujos corpos haviam sido descobertos pela polícia. 

Em 2022, a programação oficial da Feira do Livro se encerrou de modo marcante: naqueles dias, após buscas exaustivas, os corpos de Bruno e Dom haviam sido encontrados. Em homenagem aos dois, Hanna Limulja e Sidarta Ribeiro, deixaram o auditório Armando Nogueira, no Museu do Futebol, e se juntaram aos autores que se apresentavam na praça: Letrux e Renato Noguera, para uma homenagem conjunta aos dois mortos. A abertura de 2023 busca recuperar esse ato para reabrir os debates, que voltam a ter a Amazônia e a cultura indígena como focos.


Foto de Lia Lubambo

Estrutura

A arquitetura da Feira do Livro 2023 organizou os espaços expositivos em forma radial em torno da rotatória da praça Charles Miller, defronte a fachada histórica do Estádio do Pacaembu. Cada um dos blocos de seis tendas reúne diferentes números de expositores entre editoras, livrarias, organizações ligadas ao livro e à leitura e parceiros institucionais. Uma tenda maior reunirá as bancadas com editores e livreiros independentes de pequeno porte.

Um espaço de alimentação foi montado na entrada da Feira, junto ao estacionamento, com participação dos restaurantes Paca Polaca, Frida & Mina, Martín Fierro, entre outros. O público também poderá usufruir do restaurante Bubu e da tenda Nescafé, que distribuirá café gratuitamente ao público.

A Feira do Livro tem dois palcos com programações que correm em paralelo entre quinta e domingo: o Palco da Praça, que tem 100 lugares sentados e é totalmente aberto para o público, e o Auditório Armando Nogueira, no Museu do Futebol, que tem 174 lugares. A entrada é gratuita, desde que respeitada a capacidade do espaço.

Após os debates, os escritores e mediadores assinarão livros na Dois Pontos, a livraria oficial de autógrafos da Feira do Livro, e no restaurante Bubu, para os autores do Auditório Armando Nogueira. Os debates com autores estrangeiros terão tradução simultânea. Todas as mesas terão intérprete de libras.

A Feira do Livro não tem estacionamento próprio nem serviço de valet e recomenda que o público não venha de carro. Caminhada, bicicleta, as linhas de ônibus (como o elétrico 408A – Machado de Assis/Cardoso de Almeida), o Metrô (Estação Clínicas, a 1km), táxi e transporte por aplicativo são as melhores opções para chegar até A Feira do Livro


Foto de Lia Lubambo

Patrocínio

A Feira do Livro 2023 é uma realização do Ministério da Cultura do Governo Federal, Associação Quatro Cinco Um e Maré Produções, com patrocínio do Itaú Unibanco, da Suzano e do UOL. A Suzano é uma das maiores produtoras de papel da América Latina e está presente na Feira por meio do Papel Pólen®. O UOL é a maior empresa brasileira de conteúdo, serviços digitais e tecnologia.

Com apoio do Instituto Ibirapitanga, Nescafé Gold, Livraria Dois Pontos e Acer. Apoio cultural do Museu do Futebol, instituição da Secretaria de Cultura e Economia Criativa do Estado de São Paulo, da Biblioteca Mário de Andrade e da Prefeitura de São Paulo, da Associação Vaga-Lume e da BibliOn/SP Leituras. Apoio institucional do Sesc SP, Instituto Socioambiental, Embaixada da França no Brasil, Fundação Suíça para a Cultura Pro Helvetia América do Sul, Instituto Italiano de Cultura de São Paulo e Instituto Camões. 
Tem parceria de mídia da Folha de S.Paulo, Rádios e TV Cultura, revista piauí e jornal Rascunho.

Programação

Quarta-feira
19h, no Palco da Praça: O ESPÍRITO DA FLORESTA. O jornalista britânico Tom Phillips, as antropólogas Manuela Carneiro da Cunha Hanna Limulja e o músico e jornalista Xavier Bartaburu participam da abertura d’A Feira do Livro 2023. Fechando a noite, Bartaburu conduzirá um breve ato musical em homenagem ao indigenista brasileiro Bruno Araújo Pereira e ao jornalista britânico Dom Phillips, assassinados no vale do Javari, em 2022,

Quinta-feira
10h, no Palco da Praça: DA COZINHA AO BOTECO. Bela Gil, que lança na feira um livro sobre alimentação saudável, e a mixologista Néli Pereira, que escreveu sobre coquetelaria brasileira, em conversa com a cozinheira Clarice Reichstul

10h15, no Auditório Armando Nogueira: LITERATURA INFANTIL: ENTRE ARTE E EDUCAÇÃO, com Bel Santos Mayer, João Ceccantini e Marcelo Maluf.

11h45, no Palco da Praça: IMIGRAÇÃO, POESIA E IDENTIDADES. O suíço-camaronês Max Lobe conversa com o franco-marroquino Abdellah Taïa, dois destaques da nova geração literária em língua francesa. A mediação é de Diogo Bercito.

12h15, no Auditório Armando Nogueira: HOMENAGEM A PELÉ. O historiador Luiz Antonio Simas e o crítico de arte Lorenzo Mammì fazem uma homenagem ao Rei do futebol, morto em dezembro, com mediação da jornalista Anita Efraim.

13h30, no Palco da Praça: PASSAGEIRO DE RELÂMPAGOS. No Interlúdio Musical, faixa de conversas acompanhadas de voz e violão, evocando grandes nomes da música brasileira, o pesquisador, produtor e cronista Hermínio Bello de Carvalho rememora os artistas com quem trabalhou, tendo a seu lado a cantora Joyce Moreno, com mediação da jornalista Patricia Palumbo.

15h, no Palco da Praça: A ALMA ENCANTADA DAS RUAS. A professora de direito e colunista da Quatro Cinco Um Bianca Tavolari conversa com o historiador carioca Luiz Antonio Simas, que vem a São Paulo para falar sobre a alma encantada das ruas. 

Às 15h15 no Auditório Armando Nogueira: DISTOPIAS CLIMÁTICAS. O historiador Luiz Marques discute o colapso ambiental e as perspectivas para a vida no planeta, com mediação Bernardo Esteves.

17h, no Palco da Praça: MEU IRMÃO, EU MESMO. Recebemos um grande autor da literatura brasileira, João Silvério Trevisan, que conversa sobre sua trajetória e seu mais novo romance com o professor de direito Renan Quinalha. A partir de junho, Quinalha passa a assinar uma coluna e uma editoria especial sobre livros LGBTQIA+ na Quatro Cinco Um

17h15, no Auditório Armando Nogueira: DE GAMA A REBOUÇAS. As historiadoras Ligia Fonseca Ferreira e Hebe Mattos evocam em debate o pensamento de Luiz Gama e André Rebouças, com mediação da historiadora e editora de podcasts da Quatro Cinco Um Paula Carvalho.

19h, no Palco da Praça: CONTINUO PRETA. Em um encontro que promete ser histórico, Sueli Carneiro conversa com Bianca Santana, com curadoria e mediação de Juliana Borges, colunista da Quatro Cinco Um, que assina a curadoria desta mesa.

Sexta-feira

9h30, no Auditório Armando Nogueira: PERIFERIA E MERCADO EDITORIAL, com Esmeralda Ribeiro, Israel Neto, Trudruá Dorrico, Vagner Amaro e mediação de Eleilson Leite.

10h, no Palco da Praça: VAMOS VOLTAR A FALAR NA MORTE? A autora italiana Ginevra Lamberti conversa com a mediação da jornalista Camila Appel sobre livros que nos ajudam a compreender a morte. 

11h45, no Palco da Praça: DA PRAÇA PÚBLICA AO QUILOMBO. O pensador quilombola Antônio Bispo dos Santos conversa com Bianca Tavolari sobre seu novo livro. 

12h15, no Auditório Armando Nogueira: A REPÚBLICA QUEBRADA O jornalista Conrado Corsalette, co-fundador e editor-chefe do Nexo Jornal, e Natalia Viana, co-fundadora e diretora executiva da Agência Pública, investigam em livros a erosão da política brasileira nos últimos anos, com mediação do jornalista Denis Russo Burgierman.

13h30, no Palco da Praça: NA ESCUTA. A editora de audiolivro Maria Stockler Carvalhosa e a atriz Isabel Teixeira apresentam um panorama sobre a produção de audiolivros no Brasil e suas possibilidades poéticas, com mediação da jornalista Isabelle Moreira Lima.

15h, no Palco da Praça: BEM MAIS QUE IDEIAS. Conversa com uma das mais influentes pensadoras da atualidade, Patricia Hill Collins, com mediação da jornalista e escritora Semayat Oliveira.

15h15, no Auditório Armando Nogueira: FICÇÕES AMAZÔNICAS. Os ficcionistas Pedro Cesarino, Aparecida Vilaça e Rita Carelli conversam sobre representações amazônicas na literatura, com mediação de Iara Biderman, editora da Quatro Cinco Um.

17h, no Palco da Praça: A TRADIÇÃO. O Prêmio Pulitzer e destaque da poesia norte-americana contemporânea, Jericho Brown se apresenta, em conversa com sua tradutora, a poeta Stephanie Borges

17h15, no Auditório Armando Nogueira: CRÔNICA DO RACISMO À BRASILEIRA. Os historiadores Ynaê Lopes dos Santos e Marcio Farias conversam sobre a persistência do racismo na sociedade brasileira, com Paula Carvalho, historiadora e editora de podcasts da Quatro Cinco Um.

19h, no Palco da Praça: SÃO PAULO E RIO EM VERSO E PROSA. Uma conversa entre o carioca Geovani Martins e a paulistana Luiza Romão, vencedora do prêmio Jabuti na categoria Livro do Ano em 2022, com mediação de Luciana Araujo Marques.

 

Sábado
10h, no Palco da Praça:
OS TERRITÓRIOS. Txai Suruí e Jerá Guarani, duas representantes da nova geração de lideranças indígenas conversam sobre as perspectivas dos povos originários no Brasil e no mundo, com mediação do jornalista Bernardo Esteves

10h15 no Auditório Armando Nogueira: LITERATURA E ALFABETIZAÇÃO: AMPLIANDO POSSIBILIDADES, com Patricia Auerbach, Priscila de Giovani, Silvia M. Gasparian Colello e mediação de Dianne Cristine Rodrigues de Melo.

11h45, no Palco da Praça: LOUÇAS DE FAMÍLIA. A contista Geni Guimarães conversa com a romancista Eliane Marques sobre literatura e legados, com mediação Luana Chnaiderman.

12h15, no Auditório Armando Nogueira: A ERA DA INCERTEZA DIGITAL. O jornalista Eugênio Bucci fala sobre a incerteza, sentimento que orienta os destinos do mundo digital e é o tema de seu novo livro, com mediação de Beatriz Muylaert, editora da Quatro Cinco Um.

13h30, no Palco da Praça: SÓ JOÃO. No Interlúdio Musical, Arthur Nestrovski e Celsim falam sobre o canto, o violão e o projeto de canção de João Gilberto. Ao longo da aula-show, interpretam muitas canções clássicas do repertório de João.

15h, no Palco da Praça: AS MIL VIDAS DE FERNANDO PESSOA. Fernando Pessoa, um dos poetas mais amados da língua portuguesa, é o tema da conversa entre o biógrafo Richard Zenith e o também biógrafo Lira Neto

15h15, no Auditório Armando Nogueira: O MAL-ESTAR DO PASSADO. Uma conversa entre dois destaques da nova geração de ficcionistas, Samir Machado de Machado e Antônio Xerxenesky, com mediação de Marília Kodic, editora da Quatro Cinco Um.

17h, no Palco da Praça: FILHOS DA DIÁSPORA. A francesa Fatima Daas conversa com o paulistano Diogo Bercito sobre literatura e identidades LGBTQIA+, com mediação de Paula Carvalho, editora de podcasts da Quatro Cinco Um.

17h15, no Auditório Armando Nogueira: O CAMINHO DA AUTOCRACIA. Os pesquisadores do laut (Centro de Análise da Liberdade e do Autoritarismo)  Fernando Romani Sales, Mariana Celano de Souza Amaral e Marina Slhessarenko Barreto analisam as estratégias extremistas para erodir as democracias, com mediação de Conrado Corsalette.

19h, no Palco da Praça: DE UM DEFEITO DE COR A SALVAR O FOGO. Itamar Vieira Junior e Ana Maria Gonçalves em um encontro entre dois romancistas que renovam a ficção brasileira mediado pela jornalista Adriana Ferreira Silva na mesa que fecha o sábado.

Domingo 
10h, no Palco da Praça: O PACTO DA BRANQUITUTE. A ensaísta Cida Bento e a pesquisadora e consultora de diversidade Winnie Bueno conversam na mesa com curadoria e mediação da colunista da Quatro Cinco Um Juliana Borges

11h45, no Palco da Praça: RELATOS DE UM CERTO PAÍS. O escritor Milton Hatoum conversa sobre literatura, Amazônia e outros temas com Roberta Martinelli, estreando, ao vivo, o seu novo programa literário na Rádio Eldorado. 

12h15, no Auditório Armando Nogueira: RETRATOS FALADOS. O fotógrafo Bob Wolfenson conversa com o colunista da Quatro Cinco Um Renato Parada.

13h30, no Palco da Praça: A TUA MAIS COMPLETA TRADUÇÃO. As cantoras Paula Lima, Tiê e Tulipa Ruiz prestam homenagem a Rita Leecom curadoria e mediação Roberta Martinelli.

15h, no Palco da Praça: ESCRITA E MEMÓRIA. O colunista da Quatro Cinco Um Paulo Roberto Pires, o ensaísta Felipe Charbel e a artista visual e poeta Aline Motta conversam sobre ensaio, poesia e prosa experimental. 

15h15, no Auditório Armando Nogueira: A LIBERDADE TOTAL. Destaque da nova geração de autores argentinos, Pablo Katchadjian fala de seu romance, que dá nome à mesa, com mediação de Joca Reiners Terron.

16h, no Círculo Central da praça: haverá o “autografaço” do livro UM GRANDE DIA PARA AS ESCRITORAS, aberto a todas as escritoras que participaram (ou não) da foto Um Grande Dia em São Paulo em 2022.

17h, no Palco da Praça: FORO NA FEIRA. Uma edição especial do Foro de Teresina, que promete um “momento cabeção” caprichado, com dicas literárias do trio de apresentadores do podcast de política da revista piauí, Fernando de Barros e Silva, Thais Bilenky e José Roberto de Toledo. 

17h15, no Auditório Armando Nogueira: TIRANDO TUDO, TÁ TUDO BEM. O jovem artista Pedro Vinicio e a veterana Laerte falam sobre os quadrinhos e as charges, com mediação de Fernando Luna.

19h, no Palco da Praça: UM GRANDE DIA EM SP. A mesa de encerramento recupera um momento marcante da Feira do Livro 2022, a foto Um Grande Dia em São Paulo, que é tema de um livro organizado pelas convidadas desta mesa, as escritoras Esmeralda Ribeiro, Natália Timerman, Paula Carvalho, e Giovana Madalosso que fará a mediação.

Matéria publicada na edição impressa #70 em maio de 2023.