Infantojuvenil,

Duas irmãs e o universo em desencanto

A passagem para a adolescência é o pano de fundo para uma história que faz pensar sobre o crescimento

01ago2019 - 01h00 | Edição #25 ago.2019

Joana e Lia compartilhavam o mesmo universo. Eram irmãs com apenas um ano de diferença, o que, na infância, não significava nada. Tinham o mesmo cabelo, a mesma altura e as mesmas sardas no rosto. Brincavam e sonhavam ser grandes veterinárias, bibliotecárias, assopradoras de vidro e comissárias de bordo quando fossem grandes.

Mas, de repente, tudo mudou. Esse universo se dividiu em dois. Um ano letivo novo começou, e as duas irmãs passaram a estudar em escolas diferentes. Joana, do nada, cortou o cabelo, mudou o guarda-roupa, começou a sair com as amigas e criou um universo próprio do qual Lia não fazia parte.

Aos poucos, Lia foi perdendo sua irmã para essa fase só da Joana. Lia se encontrou sozinha no universo de sonhos que tinham construído juntas. Ela precisou crescer e encontrar um mundo só dela. As duas passaram a cultivar seus desejos em separado.
O livro transmite intensamente o sentimento da irmã mais nova ao perder sua irmã mais velha para uma nova fase da vida, a adolescência. Ele ilustra essa perda com desenhos profundos do ponto de vista de Lia.

 O início da história retrata um quadro comum, quase banal, da vivência entre as irmãs, mas, aos poucos, vai se tornando muito singular em relação aos sentimentos e à percepção da irmã mais nova.

O livro ilustra o sentimento da irmã mais nova ao perder sua irmã para outra fase da vida

As ilustrações de Sandra Desmazières são deslumbrantes e fortes, trazendo uma singularidade para esse livro infantil. Tanto a ilustradora quanto a autora, Sandrine Bonini, dedicaram esse livro para suas irmãs, e ao ler e observar as imagens há uma relação muito autêntica entre as histórias e o imaginário das duas.

O livro nos mostra como o crescimento afeta uma relação tão forte e significativa como a que existe entre duas irmãs, que enfrentam dificuldades para se desfazerem de alguns  dos laços criados na infância.  

Este texto foi realizado com o apoio do Itaú Social

Quem escreveu esse texto

Violeta Ferrari Corullon

É de São Paulo (SP) e, em 2017 e 2018, aos 12 e 13 anos, participou dos especiais infantojuvenis da Quatro Cinco Um

Matéria publicada na edição impressa #25 ago.2019 em julho de 2019.