Infantojuvenil,

Um novo mundo

A jovem Timna, 17, de Fortaleza, resenha livro que mistura fantasia e empoderamento

01out2019 - 01h19 | Edição #27 out.2019

“Noite triunfante e a eternidade de estrelas, se ele era a escuridão doce e aterrorizante, eu era a luz reluzente…” Já chegamos ao último livro dessa estória que começou com Corte de espinhos e rosas, como um reconto de A bela e a fera, em que nossa princesa empunhava um arco e flecha em vez de rosas e a nossa fera… de fera não tinha nada — Rhysand é meu crush literário supremo. Se esse fosse o último livro que eu tivesse lido, confesso que meu coração estaria em paz e eu ficaria eternamente grata por ter sido minha experiência literária mais recente. Esse é um dos livros que mais amo. 

Empoderamento

Um livro maravilhoso, intenso e extraordinário. Com perspicácia e sagacidade, Corte de asas e ruína encerra de forma grandiosa a estória de Freyre. É um ciclo que se fecha para que novos se iniciem para nossa Grã-Senhora. O livro é dividido em três partes principais e que funcionam como fases na evolução de Freyre, passando pelo estágio de vingança, o de reencontro consigo mesma e, finalmente, chegando ao ápice de seu poder. O empoderamento da protagonista é algo a ser mencionado e admirado.

No decorrer da leitura, somos constantemente alvejados por momentos de tristeza, alegria, amor incondicional e medo. As cenas durante a guerra são incrivelmente detalhadas e emocionantes, sendo impossível desgrudar os olhos do livro. E quanto ao romance… Ah, o romance! É tão intenso quanto a tristeza de um leitor por não ir à Bienal do Livro — mágico e sensual como imaginávamos há tempos para essa continuação.

Como uma amante da fantasia, ressalto que a minha adoração por livros como esse se deve ao fato de autores do gênero criarem um “novo mundo”. Bem como personagens excepcionais. Uma obra-prima, afinal.

Este texto foi realizado com o apoio do Itaú Social

Quem escreveu esse texto

Sarah Timna Rachel Borges de Senna

Estudante em Fortaleza (CE).

Matéria publicada na edição impressa #27 out.2019 em setembro de 2019.