Infantojuvenil,

Sofia Maria, 11, Recife, PE

A Quatro Cinco Um selecionou os melhores livros para crianças e jovens publicados no Brasil em 2018 e convidou jovens leitores de diferentes regiões a resenhar um de seus prediletos

27nov2018

Vou escrever sobre um livro que tem o nome de uma menina. A Clarice do escritor Roger Mello vive em Brasília, na época da ditadura militar, uma época em que os brasileiros viveram momentos de medo e de repressão. Clarice vive com a tia e o primo, mas aí você se pergunta “cadê os pais ao seu lado?”. Bem, os pais a abandonaram, porém não se sabe direito o motivo.

O autor usa muito a palavra E.L.E.S., mas quem são esses E.L.E.S. ? A identidade de E.L.E.S. é só um dos mistérios que nos deixam presas com o livro nas mãos, sem vontade de fazer mais nada. E.L.E.S. é uma forma de falar dos militares, é um código num momento de repressão. Outra curiosidade é que o pai de Clarice trabalha para E.L.E.S., ou seja, para os militares. Da mãe de Clarice a gente só sabe que “desapareceu”. Na ditadura muitas pessoas “desapareceram”. A mãe que deu o nome a ela em homenagem à escritora Clarice Lispector.

Sem os pais, Clarice interroga as situações do dia a dia, como “por que os adultos mudam de assunto quando as crianças chegam?”. Faz perguntas o tempo inteiro, perguntas que ficam sem respostas. Na ditadura as perguntas ficam sem resposta, porque as pessoas têm medo de saber a verdade ou não podem falar a verdade. Na ditadura, livros e filmes são proibidos. 

Amei o livro e tenho certeza que quem ler vai gostar. Além da história, amei as cores do livro. Mas o que eu mais amei é que ele conta o que se passa na cabeça de uma pessoa que vive em um momento de medo e repressão. Acho importante adultos colocarem crianças para ler esses livros que falam sobre política para crianças, para que elas entendam melhor o mundo. A política só está assim hoje, com tanta repercussão nos jornais e no dia a dia, porque tivemos muitos problemas na história do Brasil.  

Quem escreveu esse texto

Sofia Maria de Queiroz

É de Recife (PE) e, em 2018, aos 11 anos, participou do especial infantojuvenil da Quatro Cinco Um.