Literatura infantojuvenil,

Leitores de carteirinha: novembro 2022

Jovens frequentadores de bibliotecas comunitárias resenham seus livros preferidos

01nov2022 - 04h51 | Edição #63

Nelsina Regina da Silva Dias, 16 – Duque de Caxias (RJ)

Mirna Pinsky. Nó na garganta.
Ilustrações de Andréa Ramos • Editora Atual • 88 pp • R$ 69

Uma menina de dez anos chamada Tânia se muda com os pais da cidade para o litoral em busca de melhores condições de vida, mas a jovem se defronta com a dura realidade do preconceito. Isso desperta tristeza e indignação na menina, que lamenta a falta de compreensão dos pais, que começam a trabalhar como caseiros de dona Matilde, mulher rica com a qual ela não consegue simpatizar.

Na pequena cidade litorânea, Tânia explora a natureza ao redor e quer fazer amizades, mas encontra resistência à sua presença. Ela se atrapalha durante uma resposta na sala de aula e passa a ser motivo de chacota. Assim experimenta o racismo por meio da rejeição, das brincadeiras de mau gosto e até mesmo de comentários bastante fortes. Nesses momentos Tânia sente um nó na garganta e deseja ser branca para receber o mesmo tratamento destinado às outras meninas.

Racismo

Os pais de Tânia guardavam para si o racismo: eles fingiam não ter consciência do que sofriam por essa ser a única forma que viam para se manter. A mãe até resmunga contra dona Matilde, mas não passa disso. Já o pai tem medo de enfrentar os patrões.

Tânia percebe tudo isso e se entristece. A partir dessa dor, ela vai se distanciando dos conceitos de seus pais, que, como ela nota, são frutos de um longo processo de adaptação de valores e costumes do meio social.

Nó na garganta combina muito com tudo o que estamos vivendo, em um momento de forte luta contra o racismo. Acredito que a literatura, mesmo que não tenha essa intenção, pode incitar reflexões sobre diversos temas. Acredito ainda que todos nós, mesmo que nos afirmemos não preconceituosos, precisamos refletir dia após dia sobre isso e lutar contra o racismo que está se enraizando na nossa sociedade.

Wanessa Rodrigues de Souza, 15 – Fortaleza (CE)

Kiera Cass. A seleção.
Tradução de Cristian Clemente • Seguinte • 368 pp • R$ 49,90

Meu livro favorito chama-se A seleção. Ele fala de uma garota de dezessete anos, America Singer, que vive em um país dividido em castas. Ela é chamada para a seleção — uma competição entre 35 garotas da região de Iléa para se tornar a futura rainha e esposa do príncipe, Maxon Schereave. Porém America tem um relacionamento secreto com um rapaz que é de uma casta abaixo dela, Aspen. Ela vê a competição como uma enorme bobagem para satisfazer a vaidade do príncipe, mas acaba se inscrevendo, pois sua mãe a força.

Mesmo sem ter esperanças, America foi uma das 35 garotas escolhidas. Ela não se alegra nem um pouco com a notícia, pois ficará longe de Aspen.Este fica muito decepcionado ao saber que America irá para o palácio e termina com ela, mas America promete se casar com ele quando voltar.

Personalidade marcante

A personalidade de America me cativou: ela é sincera, determinada, corajosa e confiante. Ela não se curva facilmente às regras que lhe são impostas: tem personalidade forte e luta pelo que acredita ser certo. Já Maxon, o príncipe, é um perfeito cavalheiro: educado, gentil, charmoso. No seu primeiro encontro com Maxon, America não é muito simpática, mas os demais encontros deles são divertidos: eles têm personalidades diferentes, mas muita conexão.

America não busca se aproximar de Maxon e o considera um amigo, pois ama Aspen. Mas a sua personalidade atrai Maxon pela sinceridade, e ele tem esperanças de que ela possa superar seu amor. Kiera fez uma distopia romântica. O enredo do livro prende e mantém o leitor interessado até o final. Pode até parecer um livro romântico, mas mostra conflitos sociais e a desigualdade, como as castas. É um dos pontos positivos da obra, que recomendo bastante.

Naomir Oliveira Bastos, 17 – Vila Petrolina em Caracaraí (RR)

Tino Freitas. Leila.
Ilustração de Thais Beltrame • Abacatte Editorial • 52 pp • R$ 47,50

Leila aborda um caso de abuso infantil de uma forma um tanto explícita. Infelizmente retrata coisas que costumam acontecer com frequência: podemos não ver, mas nossos vizinhos podem ser uma “Leila” ou um “Barão”. O livro mostra que uma criança nessa situação pode desistir da própria vida, caindo em profunda depressão. Com ajuda a pessoa aprende a se reestruturar e a seguir em frente. Mas se Leila não tivesse a ajuda de seus amigos, o fim poderia ser bem trágico.

Kaylane Karinne P. B. de Santana, 19 – Recife (PE)

John Boyne. O menino do pijama listrado.
Tradução de Augusto Pacheco Calil • Seguinte • 192 pp • R$ 54,90

O menino do pijama listrado conta a história de Bruno, um menino que vive na Alemanha na Segunda Guerra. Seu pai é um soldado nazista. Entediado na casa nova, ele explora os arredores e descobre um campo de concentração onde vive Samuel, um menino judeu. Ficam amigos, e todo dia Bruno vai até o campo para brincar. Um dia Bruno passa para o outro lado à procura do pai de Samuel: é o momento mais emocionante do livro. O livro mostra a inocência e a amizade das duas crianças, mas o final é triste. 

A Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) é um dos projetos mais importantes de articulação entre leitores e bibliotecas no Brasil. Publicamos aqui resenhas de livros escolhidos por jovens que frequentam a Biblioteca Comunitária Manns (RJ), a Biblioteca Comunitária Sorriso da Criança (CE), a Biblioteca Geinan Vieira Morais (RR) e a Biblioteca Comunitária Amigos da Leitura (PE). Contamos com eles para manter acesa a chama da leitura! Conheça e saiba como apoiar a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias no site rnbc.org.br e a ong Vaga Lume no site vagalume.org.br
Este texto foi realizado com o apoio do Itaú Cultural.

Quem escreveu esse texto

Nelsina Regina da Silva Dias

Tem 16 anos, estuda em Duque de Caxias (RJ).

Wanessa Rodrigues de Souza

Tem 15 anos, estuda em Fortaleza (CE).

Naomir Oliveira Bastos

Tem 17 anos, estuda em Caracaraí (RR).

Kaylane Karinne P.?B. de Santana

Matéria publicada na edição impressa #63 em outubro de 2022.