Infantojuvenil, Poesia,

O desmatamento explicado às crianças

Em livro de 1947, Dr. Seuss conta uma história triste e engraçada para chamar a atenção para as dores do mundo

08nov2018

Diz o senso comum que histórias para crianças não podem ser tristes. Ele também entende que, se tristes, essas histórias não podem ser engraçadas. Parte-se do pressuposto de que, se omitirmos a dor do mundo, nossos filhos não sofrem. E de que, se tem dor, não tem riso nem mais nada.

Assim como um adulto precisa de profundidade de sentimentos para se reconhecer humano, também as crianças precisam dessa dimensão. 

O Lórax é um livro escrito em 1947 com uma história triste-engraçada e um monte de palavras em que os leitores são convidados a olhar o que acontece em nosso mundo. Em 2017, não poderia ser mais atual.

Theodor Seuss Geisel (1904-91), escritor e cartunista norte-americano, escreveu a fábula do Lórax a partir de sua raiva diante da indiferença humana frente à destruição do meio ambiente. Quem conta a históra é o industrioso Erumavez, cujo rosto nunca nos é apresentado (“Você não vai ver o Eraumavez / E não bata em sua porta / Ele vive em seu Butucário, lá no alto de sua loja”).  

Sua ganância vai consumindo tudo a sua volta, até que não sobra nada (“Negócios são negócios! E todo negócio tem de dar certo, mesmo que haja barrigas vazias por perto”). E a dor desse processo tem voz no Lórax, que é o protetor dos NozEsquilUrsos, das Trufulárvores e Baritoneixes daquele lugar (“Eu falo pelas árvores, pois as árvores não têm língua”). Ao final, o próprio Eraumavez reconhece que o Lórax tinha razão: “Ao longo dos anos tudo se perdeu, foi uma destruição”. E adverte: “A menos que alguém como você cuide das coisas com carinho, nada aqui vai melhorar”.

Tradução exemplar

A tradução feita pela jovem poeta carioca Bruna Beber é exemplar. Tanto as palavras difíceis como as inventadas por Dr. Seuss adquirem uma fluidez e vão se explicando na própria frase, e a escolha delas faz uma cócega na língua de quem lê ou ouve, como: logradouro, molambo-molusco-molhado, buracofre camarada.

Dr. Seuss foi um gigante da literatura infantil, com mais de 50 obras escritas que venderam mais de 100 milhões de cópias de livros pelo mundo. Seu universo comporta terras fantásticas e seres malucos, rimas estranhas e sons gostosos de reproduzir. Mesmo quando a história é triste, como a do Lórax, a vontade é de ler de novo, repetir as palavras e rimas em voz alta, comparar suas palavras com seus desenhos. 

E assim vamos nós, pais e mães, redescobrindo o que é o mundo na leitura. Porque as crianças já sabem, rapidamente se identificam e conectam. Temos o privilégio de acompanhá-las e nos juntar na alegria que é ler livros tristes como O Lórax

Quem escreveu esse texto

Clarice Reichstul

É produtora cultural.