Literatura infantojuvenil,

Leitores de carteirinha: novembro 2023

Jovens frequentadores de bibliotecas comunitárias resenham seus livros preferidos

26out2023 - 13h14 | Edição #75

Kauane da Silva Rodrigues, 12 — Nova Iguaçu (RJ)

Alexandre Rampazo. A cor de Coraline.
Rocco Pequenos Leitores • 32 pp • R$ 74,90

O livro A cor de Coraline, do escritor e ilustrador Alexandre Rampazo, traz uma reflexão sobre a diversidade de tons de pele existentes. Num diálogo entre Coraline e o seu amigo Pedro, ele faz uma pergunta que gera muitas dúvidas em Coraline. Ele pergunta para sua amiga se ela pode lhe emprestar um lápis “cor de pele”. Mas, afinal, qual seria essa cor? Existiria apenas uma “cor de pele”?

Presencio muitos episódios de racismo nas ruas e, principalmente, nas escolas. Indico essa leitura para todas as pessoas

Em seguida, ela faz uma alusão ao lápis verde, pois essa é a cor dos marcianos, e depois reflete sobre a possibilidade de emprestar o lápis cor-de-rosa, imaginando que talvez possa existir um mundo desse tom. Depois, ela faz várias associações com as diversas cores que guardava em sua caixa, que continha doze lápis. Por fim, decide lhe emprestar o lápis de cor marrom, já que ele representava a cor da pele dela.

Pedro observa o lápis e fica bastante pensativo, já que aquela cor não era igual à da sua pele, mas, mesmo assim, ele sorri para Coraline e pinta o seu desenho com o tom da pele de sua amiga.

Fiz a escolha desse livro pois presencio muitos episódios de racismo acontecendo nas ruas e, principalmente, nas escolas. Por isso, indico essa leitura para todas as pessoas, pois esse livro transmite o significado de que todas as cores de pele são lindas e importantes, assim como a cor de Coraline!

Majory Karoliny, 15 — Recife (PE)

John Green. A culpa é das estrelas.
Tradução de Renata Pettengill • Intrínseca • 288 pp • R$ 59,90

O livro de ficção A culpa é das estrelas, escrito por John Green em 2012 e com tradução de Renata Pettengill, conta a linda história de Hazel Grace, uma adolescente de dezesseis anos que enfrenta uma doença terminal, mas que ganhou uma sobrevida devido a um novo medicamento. O livro inspirou um filme de 2014, que recebeu o mesmo nome, com Shailene Woodley e Ansel Elgort nos papéis principais.

O que mais me chamou a atenção nesse livro foi toda a história de superação de Hazel e o seu encontro com Augustus

No livro, a reviravolta da história de Hazel começa quando encontra Augustus Waters, um garoto lindo que um dia apareceu no grupo de apoio às crianças com câncer do qual ela participava uma vez por semana. Primeiro, nasce uma grande amizade entre os dois, mas depois o amor vai crescendo mais e mais.

O que mais me chamou a atenção nesse livro foi toda a história de superação dela e o seu encontro com Augustus. O romance deles era perfeito, mas Hazel precisou ser “mais velha” antes da hora. Eu me identifico com a história, pois também houve uma fase em minha vida na qual precisei ser “mais velha” antes da hora. Naquele momento, eu me joguei em um relacionamento que não me fazia bem.

Indico a leitura desse livro porque ele passa uma mensagem de superação no sentido de que você não pode se desesperar, pois no momento certo tudo ficará bem.

Nota da redação
A Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) é um dos projetos mais importantes de articulação entre leitores e bibliotecas no Brasil. Publicamos aqui resenhas de livros escolhidos por jovens que frequentam a Biblioteca Comunitária Maria Rocha (RJ) e a Biblioteca Comunitária Educguri (PE). Contamos com eles para manter acesa a chama da leitura! Conheça e saiba como apoiar a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias no site rnbc.org.br, a ONG Vaga Lume no site vagalume.org.br e o Instituto Acaia no site acaia.org.br.

Quem escreveu esse texto

Kauane da Silva Rodrigues

Tem 12 anos e estuda em Nova Iguaçu (RJ).

Majory Karoliny

Tem 15 anos e estuda em Recife (PE).

Matéria publicada na edição impressa #75 em outubro de 2023.