Literatura infantojuvenil,

Leitores de carteirinha: fevereiro de 2021

Jovens frequentadores de bibliotecas comunitárias resenham seus livros preferidos

01fev2021 - 01h00 | Edição #42

Jorge, 15 – Salvador (BA)

Walcyr Carrasco. Irmão negro. 
Moderna • 80 pp • R$ 56,90

O livro Irmão negro, de Walcyr Carrasco, conta a história de Léo, um jovem menino que queria ter um irmão, mas, por conta de um tumor no útero de sua mãe anos antes, não seria possível. No entanto, acontece uma mudança na sua vida.

A irmã distante de sua mãe, Edna, veio a falecer por causa de uma doença e, como o pai do seu primo Sérgio o abandonou, o menino não tinha alguém para cuidar dele e, por isso, acabou indo morar na rua. Ao encontrá-lo, a mãe de Léo o levou de Salvador para São Paulo. O garoto ficou muito contente com essa notícia, pois iria realizar o sonho de ter um irmão. Só que ele teve uma surpresa: o menino era negro, passando por várias situações de preconceito. 

A parte que mais me chamou atenção foi quando foram barrados na piscina devido à cor do seu primo

Léo não estava muito confortável com a situação, até acontecerem casos em que teve de se separar de amigos por causa do preconceito dos pais deles em relação a seu primo, sem falar nos traumas de Sérgio da época em que morava na rua. No final da história, a origem desses traumas é esclarecida e todos os problemas são resolvidos. Ele e Léo viram amigos — ou melhor, irmãos!

A parte que mais me chamou atenção foi quando Léo foi barrado na piscina do prédio devido à cor do seu primo. O mais incrível e ridículo foi a desculpa que deram para eles não poderem entrar na piscina, mas vocês só vão descobrir quando forem ler a obra. Indico muito! Garanto que não vão se arrepender.

Luana, 18 – Belém (PA)

J.K. Rowling. Harry Potter e a pedra filosofal. 
Tradução de Lia Wyler
Rocco • 208 pp • R$ 38,90

Harry Potter é um menino de olhos verdes, magricela, filho de Lilian e Tiago Potter, feiticeiros que foram assassinados por um bruxo poderoso quando ainda era um bebê. Diante disso, o menino foi levado para ser criado pelos tios, sendo tratado como um verdadeiro estorvo. Entretanto, no seu aniversário de onze anos, tudo muda na sua vida: ele desliza para um mundo mágico e descobre sua verdadeira história e o seu destino de combater uma força do mal, o homem que assassinou seus pais, Voldemort, o Lord das Trevas.

Foi Hagrid, o gigante, quem lhe contou sua verdadeira história e como acabou nas mãos dos Dursley. E foi justamente no seu aniversário de onze anos que descobriu que havia derrotado um poderoso bruxo das trevas, mesmo sem se lembrar de nada. Harry era um bruxo, e mal sabia que era muito famoso no mundo da magia. E, como tal, deveria ser educado em uma escola de bruxos.

Amizades

Por fim, Hagrid o leva até a escola de magia e bruxaria de Hogwarts. Lá, ele aprende a jogar quadribol, vira uma celebridade e conhece o diretor Alvo Dumbledore, que se torna importante para a história. Nesse mundo, ele ainda faz amizade com Ronny Weasley e Hermione Granger. O trio descobre muitos outros mistérios que rondam sua história e salvam o mundo mágico do terrível retorno do Lord das Trevas.

Por mais que Harry Potter seja voltado para crianças por ter esse mundo mágico de vassouras e mistérios, eu sofro com os livros. Gosto muito da amizade de Harry, Rony e Hermione, de como são leais uns aos outros, e isso é muito importante para o público infantojuvenil. É com certeza um clássico da literatura jovem.

Lara, 15 – Salvador (BA)

R.J. Palacio. Extraordinário.
Tradução de Rachel Agavino
Intrínseca • 320 pp • R$ 39,90/24,90

Quando pensei no livro de R.J. Palacio, achei que seria aquele típico livro sobre um personagem que sofre por ser diferente. Eu me enganei, pois Extraordinário é muito mais do que isso. É um verdadeiro fenômeno, que faz qualquer um se emocionar.

A obra trata de ‘bullying’ e preconceito e nos mostra como é maravilhoso ter amizades

Extraordinário retrata um pouco da vida de August Pullman, um garoto de dez anos que sofre com olhares e comentários maldosos por ter uma deformidade facial decorrente de uma síndrome genética, o que dificultou seu ingresso na escola. Por isso, sua mãe decidiu se tornar sua professora particular. Quando a doença de August fica mais estável, seus pais decidem que chegou a hora de ele ir estudar na escola. Lá, o garoto ouve piadas das outras crianças e faz poucos amigos — há crianças que têm até medo dele. E assim o livro vai ficando cada vez mais instigante. A narrativa segue o ponto de vista de vários personagens. Então, não é só August que conta sua história, pois temos as vozes dos seus amigos, Jack e Summer; de sua irmã, Via; de Miranda, uma amiga de Via; e do namorado da irmã.

Um dos pontos altos é a maneira como a autora trata os coadjuvantes (se é que podemos chamá-los assim, pois todos têm um papel essencial na narrativa). A obra trata de bullying e  preconceito e nos mostra como é maravilhoso ter amizades, saber trabalhar em equipe e ser gentil, e quanto é importante ter a nossa família.

Este texto foi feito com apoio do Itaú Social.

Quem escreveu esse texto

Lara de Lima Neri Marques

15 anos, estuda em Salvador (BA)

Luana Shirley Dias Maciel

18 anos, estuda em Belém (PA)

 

Jorge Alberto da Silva Santos Neto

15 anos, estuda em Salvador (BA)

Matéria publicada na edição impressa #42 em janeiro de 2021.