Literatura infantojuvenil,

Leitores de carteirinha: fevereiro 2024

Jovens frequentadores de bibliotecas comunitárias resenham seus livros preferidos

01fev2024 - 00h00 • 20mar2024 - 17h51 | Edição #78

Ana Luiza Martins Soares, 14 — Sabará (MG)

Ken Wakui. Tokyo Revengers vol. 1.
JBC • 192 pp • R$ 33,90

A história se passa em Tóquio, a capital do Japão. Takemichi Hanagaki, de 26 anos, vivia sem esperanças até ler no jornal que sua ex-namorada Hinata Tachibana havia morrido num acidente de carro. Ele seguiu para mais um dia de trabalho numa locadora, mas infelizmente ele havia sido demitido.

Desorientado, Takemichi anda pelo metrô de Tóquio até que, acidentalmente, ele cai nos trilhos. Ou pelo menos era isso o que ele achava: quando já está prestes a ser atropelado, alguém puxa a sua mão e o leva automaticamente para doze anos atrás, na sua época de escola. Ele conta para Naoto, irmão de sua então namorada, que Hinata vai morrer, e então volta ao presente. Takemichi e Naoto descobrem que eles têm o poder de voltar ao passado quando eles se dão as mãos, e decidem usar o poder para reviver Hinata.

Eles descobrem que existe uma gangue chamada Tokyo Manji, liderada por Mikey: foi ela que matou sua ex-namorada. Takemichi decide entrar na gangue. Descobre que o assassino é Tetta Kisaki, uma figura que tinha obsessão por Hinata e por isso a matou. Takemichi resolve então impedir Tetta de ascender na gangue e, assim, impedir que ele a mate.

Série

O primeiro volume deu origem a uma longa série. Cada livro explica situações e as novas dificuldades que Takemichi vai enfrentando. Mesmo não sendo forte, a persistência e a coragem fazem de Takemichi um verdadeiro herói. Cada edição do mangá explica como ele ascendeu na gangue, o que se passou, o que sofreu, os amigos que ele fez, quantas mortes ele conseguiu evitar, quantas vidas ele pôde salvar e como conseguiu tudo isso. Esses livros se tornaram uma das minhas obras favoritas.

Alice Alves da Silva, 20 — Recife (PE)

Robert Louis Stevenson. O médico e o monstro.
Tradução de Silvio Antunha • Principis • 96 pp • R$ 19,90

Um dos maiores clássicos da literatura gótica, é um romance que mistura ficção científica, terror e transtornos psicológicos — e envolve o leitor de uma maneira muito convincente. Stevenson desperta nas pessoas sentimentos incômodos ao construir personagens tão crus e violentos.

Uma série de assassinatos misteriosos começa a assombrar a cidade de Londres. Hyde desaparece

John Utterson é um advogado frio, tristonho e retraído, mas amável. Em seus passeios noturnos, ele encontra um velho amigo, o médico Henry Jekyll, e um homem de aparência estranha, bastante deformado e de personalidade abominável: Edward Hyde. Este acaba pisoteando uma menina e tenta fugir sem prestar socorro, mas Utterson intervém. O monstro então lhe entrega um cheque para cuidar da moça em nome do dr. Jekyll. Utterson tenta então descobrir o que conecta essas duas figuras. Ele descobre que Jekyll, gravemente doente, deixou todos os seus bens para Hyde. Ele questiona o médico sobre isso, mas não tem sucesso.

Uma série de assassinatos misteriosos começa a assombrar a cidade de Londres. Hyde desaparece e se torna o principal suspeito. Utterson descobre uma carta de Jekyll sobre a existência de um monstro maligno que ele criou e que também fazia parte dele: enquanto ele crescia, a doença de Jekyll o consumia. O médico e o monstro merece todo o sucesso que alcançou. Stevenson consegue cativar o leitor da primeira à última linha.

Samuel de Jesus Santos, 13 — Salvador (BA)

Cressida Cowel. Como ser um pirata.
Tradução de Heloisa Prieto • Intrínseca • 224 pp • R$ a definir

A história começa em um dia de verão, quando Thor estava zangado: ele mandou uma grande tempestade que deixou o mar agitado. Os barcos não zarparam, com exceção de um navio com treze crianças, treze dragões e um maluco chamado Bocão Bonarroto, que pretendia ensinar “luta de espadas” em alto mar. A aventura termina com o barco dos Hooligans destruído e com todas as crianças na água.

Mas Soluço e seu amigo se salvam e encontram um caixão do grande pirata Barbadura. Dentro dele estava uma pessoa chamada Alvin, com uma charada e o mapa do tesouro de Barbadura. Ele convence todo mundo a ir para a Ilha da Caveira, um lugar habitado por muitos dragões. Ali Melenquento encontra uma pequena arca e a espada de Barbadura.

Traição

Mas os dragões acordam, e os vikings precisam lutar com eles. Quando eles começam a celebrar sua vitória, chega uma tribo de párias canibais liderada por Alvin, que só queria usar os Hooligans para pegar o tesouro, escravizá-los e matar o herdeiro dos vikings. Corajoso, Soluço diz que é o herdeiro, deixando seu pai orgulhoso. Prestes a ser morto, ele é salvo pelo seu dragão Banguela. Durante o combate, o navio pega fogo e afunda, mas eles entram na caverna em que Barbadura deixou seu tesouro, que só poderia ser aberta pelo herdeiro.

Alvin obriga Soluço a abrir a porta. Dentro da caverna havia muitas joias, ouro e espadas. Alvin queria matar Soluço, mas em meio à luta todos descobrem que havia um monstro ali. Soluço derrota o monstro e escapa com os seus amigos, que voltam para casa e comemoram. Essa história traz muitas reflexões e diversão para a garotada. Recomendo muito esse livro.

Nota da redação
A Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) é um dos projetos mais importantes de articulação entre leitores e bibliotecas no Brasil. Publicamos aqui resenhas de livros escolhidos por jovens que frequentam bibliotecas de Sabará, Recife e Salvador. Contamos com eles para manter acesa a chama da leitura! Conheça e saiba como apoiar a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias no site rnbc.org.br, a ong Vaga Lume no site vagalume.org.br e o Instituto Acaia no site acaia.org.br.

Quem escreveu esse texto

Ana Luiza Martins Soares

Tem 14 anos, estuda em Sabará (MG).

Alice Alves da Silva

Tem 20 anos, estuda em Recife (PE).

Samuel de Jesus Santos

Tem 13 anos, estuda em Salvador (BA).

Matéria publicada na edição impressa #78 em dezembro de 2023.