Literatura infantojuvenil,

Leitores de carteirinha: agosto de 2021

Jovens frequentadores de bibliotecas comunitárias resenham seus livros preferidos.

01ago2021 - 00h51 | Edição #48

Lorrane Santos Alcantara, 16 – São Paulo (SP)

Paula Pimenta. Fazendo meu filme 1: a estreia de Fani
Gutenberg • 336 pp • R$ 34,86

Em 2005, Paula Pimenta deu início à  escrita do primeiro livro da série Fazendo meu filme, publicado em 2008. A narrativa, desenvolvida no Brasil, contextualiza a história de uma adolescente chamada Estefânia, que prefere ser chamada de Fani, pois odeia o nome que sua mãe lhe deu. Fani é apaixonada por filmes, e Paula Pimenta destaca isso mencionando frases de filmes a que a personagem assistiu nos capítulos do livro.

Ela é uma menina introvertida, fantasiosa e dramática, que vive em um mundo cor-de-rosa e tem amigos extraordinários que enriquecem o drama, sendo o principal deles Leonardo. Ele é apaixonado por Fani desde que se conheceram, porém ela está muito ocupada com a paixão platônica que sente pelo professor de biologia. Um dia, cansado de dar tantos sinais para que Fani o note, Leo desiste. Depois de um tempo, ela percebe que está apaixonada por ele, porém pode ser tarde demais: ela está prestes a ir para um intercâmbio na Inglaterra.

Impressões

Inicialmente odiei a personagem principal, encarei-a como alguém fútil, dramática ao extremo e completamente infantil, mas ela me prendeu em sua história. Paula Pimenta tem o dom de prender o leitor em suas narrativas. As palavras usadas e cada cenário descrito fazem com que você entre na história. Depois de terminar o primeiro livro da série, percebi que Fani não era imatura e não se encaixava em tudo que eu supus no início. Ela apenas estava descobrindo a si mesma e saindo de sua zona de conforto, que eram as “telinhas”, para viver o mundo real e entender que antes dos finais felizes existem os processos.

Lucas Amorin, 15 – Paraty (RJ)

Holly Black & Cassandra Clare. Magisterium: o desafio de ferro
Ilustrações de Scott Fischer. Tradução de Amanda Orlando
#irado • 384 pp • R$ 59,90

O desafio de ferro é o primeiro livro da série Magisterium, que é formada por cinco volumes (além de O desafio de ferro, a saga é composta de A luva de cobre, A chave de bronze, A máscara de prata e A torre de ouro) que contam a história de Callum Hunt, um menino “meio problemático” de doze anos. Ele vive com o pai, que se chama Alastair Hunt, que era um mago, como mostra o começo da obra.

Callum já sabe que o pai é um mago, mas ele sempre lhe fala que os magos e a magia iriam acabar matando-o. Um pouco mais para a frente no tempo ele acabará indo ao Magisterium, onde faz amizades inesperadas e aprende magia. Mas, com o decorrer do tempo, ele descobre muitos segredos sobre seu pai e sua relação com o seu professor de magia. Certo dia descobre algo surpreendente: é provável que ele seja uma espécie de reencarnação do vilão mais temido do mundo, que levou a inúmeras mortes em massa.

A minha opinião é que o livro é muito bom e tem tudo de que eu gosto: aventura, fantasia, suspense. A obra foi muito bem-feita: a narrativa da história, os personagens, as falas, os cenários que imaginamos. Em resumo, é uma ótima leitura.

Laís Oliveira da Silva, 17 – Fortaleza (CE)

Anna Todd. After 1.
Tradução de Alexandre Boide e Carolina Caires Coelho
Paralela • 528 pp • R$ 36,90

After foi criado por Anna Todd e conta a história dos adolescentes Tessa e Hardin. Tessa é uma garota inteligente, educada e apaixonada por literatura; já Hardin é um garoto inteligente, confuso e problemático. Eles se conhecem através de Steph, colega de quarto de Tessa. Hardin tenta conquistar Tessa, mas ela não se submete a ele. Mas, com o passar do tempo, eles vão se conhecendo melhor e ela termina seu namoro com Noah, o que causa estranhamento em sua mãe, que decide vê-la.

Desafios

Ao entrar no dormitório, encontra Tessa e Hardin juntos. Então, ela tem um surto e expulsa Hardin do quarto, pois não aceita que os dois fiquem juntos, dizendo que Hardin vai quebrar o coração de Tessa. Hardin sempre falava que não namoraria ninguém por ter um temperamento problemático, mas ele se dava muito bem com Tessa porque ela o entendia. Hardin tinha muitos problemas com o pai, e Tessa o ajudava a superá-los. O pai de Hardin era o reitor da faculdade, e ele queria se reaproximar do filho chamando-o para o casamento com sua nova esposa. Hardin concorda, mas o chantageia com a intenção de conseguir um emprego para Tessa em uma editora muito famosa. Durante o casamento, Hardin tem um surto, e Tessa o ajuda — naquela noite, Hardin tira a virgindade de Tessa.

Quando vai a uma lanchonete, Tessa encontra Molly, que conta que Hardin foi desafiado a tirar a virgindade de Tessa. Hardin chega nessa hora e confirma a informação, mas admite que se apaixonou por ela. Tessa termina com ele, chorando. Dias depois, recebe uma carta de Hardin com um pedido de desculpas.

A Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (RNBC) é um dos projetos mais importantes de articulação entre leitores e bibliotecas no Brasil. Publicamos aqui resenhas de livros escolhidos por três jovens que frequentam a Biblioteca Comunitária Casa das Histórias (SP), a Biblioteca Comunitária do Itae — Regina Célia Gama de Miranda (RJ) e a Biblioteca Comunitária Sorriso da Criança (CE). Contamos com eles para manter acesa a chama da leitura! Conheça e saiba como apoiar a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias no site rnbc.org.br
Este texto foi realizado com o apoio do Itaú Cultural.

Quem escreveu esse texto

Lorrane Santos Alcantara

Lucas Amorin

Laís Oliveira da Silva

Matéria publicada na edição impressa #48 em junho de 2021.