Literatura infantojuvenil,

Leitores de carteirinha: agosto 2022

Jovens frequentadores de bibliotecas comunitárias resenham seus livros preferidos

28jul2022 - 18h42 | Edição #60

Raiane Conceição de Souza Silva, 16 – Nova Iguaçu (RJ)

Paula Pimenta. Minha vida fora de série.
Editora Gutenberg/Grupo Autêntica • 408 pp • R$ 49,80

Eu me chamo Raiane, tenho dezesseis anos e participo da Biblioteca Comunitária Livro Social, em Vila Nova do Couto. A biblioteca é o espaço onde eu me encontro com personagens, autores e histórias — com muitas histórias, algumas já escritas e outras que podem virar um livro. 

Dentre as tantas histórias da biblioteca, eu me encantei com a forma como a Paula Pimenta descreve cada situação vivenciada pela Priscila e fiquei muito surpresa como as coisas podem dar tão errado. 

Dificuldades de uma menina

O livro Minha vida fora de série, de 2011, mostra as dificuldades de Priscila — uma menina que tem catorze anos de idade e acaba de se mudar para Belo Horizonte com a sua mãe, após o divórcio. Ali Priscila reencontra Marina, sua prima, que tenta ajudá-la a se distrair e a se enturmar na sua nova cidade.

Então certo dia, em um clube da região, Priscila acaba tendo uma “quedinha” por Marcelo, membro da banda que participava do clube. Porém ela descobre que Marcelo é um cara bem cruel. Ele humilha Priscila. 

Mas ela acaba entrando na mesma escola na qual estuda o irmão de Marcelo — que tem a mesma idade que ela. E adivinha só quem conquistou o coração de Priscila? Isso mesmo: Rodrigo. Priscila não sabia desse detalhe, e, quando Marcelo descobriu, ele a ameaçou dizendo que contaria mentiras para seu irmão.

Priscila e sua mãe são muito amigas, e as duas contam muitos segredos uma para a outra. Por isso sua mãe e Marina resolvem ajudá-la a passar por esses problemas e conquistar Rodrigo, o amor de sua vida. 

Quando li esse livro, parecia que eu estava dentro da minha própria história. Quase achei que eu fosse uma das personagens. Vale a pena ler Minha vida fora de série e conhecer todos esses personagens.

Marcus Vinícius Gomes Mazzieri, 18  –  São Paulo (SP)

Rick Riordan. A marca de Atena.
Tradução de Raquel Zampil • Intrínseca • 480 pp • R$ 64,90

Sete semideuses, quatro filhos de deuses gregos e três filhos de deuses romanos que vivem nos Estados Unidos precisam embarcar em um navio voador em direção às Terras Antigas e ao Mare Nostrum para impedir os Gigantes de acordarem a Mãe Terra, Gaia, o que levaria à destruição do Monte Olimpo e da civilização ocidental.

Poderia até parecer fácil viajar para Roma e para a Grécia, terra natal dos deuses, se eles não fossem todos adolescentes de dezesseis e dezessete anos fugindo de semideuses furiosos, águias gigantes e monstros marinhos, indo em direção à origem de todos os monstros sem nenhuma ajuda dos deuses, que ficaram esquizofrênicos devido ao contato entre gregos e romanos. Para piorar a situação, Annabeth, filha de Atena e líder da expedição, terá de se separar do grupo para buscar a marca de Atena, que talvez seja o único modo de vencer os Gigantes e restaurar a sanidade dos deuses.

Contendo participações de vários personagens mitológicos, desde deuses menores a mortais lendários, conflitos entre os protagonistas e muitas cenas de ação, A marca de Atena consegue passar a visão de um adolescente vivendo aventuras fantásticas e, em muitos momentos, se sentindo impotente diante das situações.

O livro passa a visão de um adolescente vivendo aventuras fantásticas e se sentindo impotente diante das situações

Com narradores em terceira pessoa, que descrevem a visão de um personagem diferente, dependendo de cada capítulo, é possível perceber a diversidade entre os personagens, tanto nas suas origens como nas suas formas de agir e pensar.

Erislaine Ribeiro da Silva, 15  –  Jaboatão dos Guararapes (PE)

Alice Oseman. Heartstopper: dois garotos, um encontro.
Tradução de Guilherme Miranda • Companhia das Letras • 288 pp • R$ 59,90

O livro de história em quadrinhos Heartstopper, da escritora e ilustradora inglesa Alice Oseman, retrata um romance adolescente homoafetivo em que um dos personagens, Charlie Spring, sofre bullying por causa da sua orientação sexual, enquanto o outro, Nick Nelson, ainda está em processo de descoberta da sexualidade.

O romance se inicia no momento em que Charlie e Nick começam a se sentar juntos todas as manhãs e estabelecem uma forte relação de amizade. Apesar disso, Charlie achava impossível que acontecesse alguma coisa entre eles, porque pertenciam a mundos completamente diferentes: Nick é um ótimo jogador de rúgbi, alguém superpopular, enquanto Charlie é bastante inseguro.

O livro retrata um romance adolescente homoafetivo em que um dos personagens sofre bullying por causa de sua orientação sexual

Entretanto essa diferença não impediu a construção de uma grande amizade. Os dois se sentem muito bem na presença um do outro. A história começa a ganhar desdobramentos mais sérios quando Charlie começa a sentir por Nick algo além da amizade, mas ele tira essa possibilidade de cogitação quando julga que não é correspondido.

É importante salientar que Nick  sentia a mesma coisa por Charlie, porém estava completamente confuso, já que até aquele momento tinha gostado de meninas. Porém, depois de uma festa à qual os dois foram juntos, acontece algo inesperado. O livro aborda, com uma linguagem bem acessível para o público jovem, discussões bastante atuais. 

A Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias (rnbc) é um projeto de articulação entre leitores e bibliotecas no Brasil. Publicamos aqui resenhas de livros escolhidos por jovens que frequentam 
a Biblioteca Comunitária Livro Social, em Nova Iguaçu, a Biblioteca Picadeiro da Leitura, em São Paulo, e a Biblioteca Comunitária Peró, em Jaboatão dos Guararapes. Conheça e saiba como apoiar a Rede Nacional de Bibliotecas Comunitárias no site rnbc.org.br
Este texto foi realizado com o apoio do Itaú Social

Leitores de carteirinha: julho de 2022

Quem escreveu esse texto

Raiane Conceição de Souza Silva

Tem 16 anos, estuda em Vila Nova do Couto (RJ).

Marcus Vinícius Gomes Mazzieri

Tem 18 anos, estuda em São Paulo (SP).

Erislaine Ribeiro da Silva

Tem 15 anos, estuda em Jaboatão dos Guararapes (PE).

Matéria publicada na edição impressa #60 em julho de 2022.