Flip,

A Flip 2019 em 37 livros

Conheça os livros em destaque no principal festival literário brasleiro

14maio2019 - 16h16

Ayobami Adebayo. Fique comigo. Em meio à turbulência dos golpes de Estado na Nigéria dos anos 1980 e 1990, a história de um casal faz pensar em patriarcalismo e modernidade.
Romance. Nigéria. Trad. Marina Vargas. Harper Collins. 240 pp. R$ 39,90/R$ 29,90
 

Jarid Arraes. Redemoinho em dia quente. Primeiro livro de contos da escritora e cordelista cearense, autora de As lendas de Dandara (2015). Colaboradora da Quatro Cinco Um, Arraes já escreveu para a revista dos livros sobre Toni Morrison, Maria Firmina dos Reis e contos infantis moçambicanos.
Contos. Brasil. Alfaguara/Grupo Companhia das Letras. 152 pp. R$ 39,90/R$ 27,90. Previsto para 19/6
 

Maureen Bisilliat. Sertões: Luz & Trevas. Publicado em 1982, o livro da fotógrafa inglesa intercala trechos de Os sertões, de Euclides da Cunha, com retratos de sertanejos da Bahia, Alagoas e Ceará.
Fotografia. Brasil. IMS. 192 pp. R$ a definir. Previsto para a Flip
 

Karina Sainz Borgo. Uma noite em Caracas. O romance de estreia da jornalista venezuelana retrata a violência e as precárias condições de vida sob o regime de Nicolás Maduro.
Romance. Venezuela. Trad. Livia Deorsola. Intrínseca. 240 pp. R$ 39,90/R$ 24,90. Previsto para a Flip
 

Adriana Calcanhotto (org.). É agora como nunca — Antologia incompleta da poesia contemporânea brasileira. Uma antologia de poemas de 42 escritores nascidos no Brasil entre 1973 e 1990. Leia a Crônica de Coimbra da edição maio, em que a repórter Eugênia Moreyra escreveu sobre as aulas de canção popular e as escavações que Calcanhotto vem fazendo em Portugal.
Poesia. Brasil. Companhia das Letras. 144 pp. R$ 34,90/R$ 23,90
 

José Murilo de Carvalho. Jovita Alves Feitosa: Voluntária da pátria, voluntária da morte. O historiador reproduz documentos da época e analisa a biografia de Jovita, que em 1865 se alistou como voluntária na Guerra do Paraguai. Transformada em celebridade, ela fez um percurso triunfal de Teresina ao Rio de Janeiro, mas não foi aceita como combatente. Ela se matou dois anos depois.
História. Brasil. Chão. 152 pp. R$ 44

José Murilo de Carvalho. O pecado original da República — Debates, personagens e eventos para compreender o Brasil. Reflexões sobre a natureza pouco republicana da nossa República, nas quais ele critica “o juiz encastelado”, “a baixa qualidade dos nossos políticos” e a nossa “política de votos”.
História. Brasil. Bazar do Tempo. 294 pp. R$ 59

José Murilo de Carvalho. Forças armadas e política no Brasil. Reedição de coletânea que investigam a influência militar na formação do Brasil Republicano, da queda da Monarquia ao golpe de 1964, passando pelos pracinhas das Forças Expedicionárias Brasileira. O livro ganha prefácio analisando a conjuntura atual. Em maio de 2017, o historiador resenhou a biografia de Tancredo Neves para a Quatro Cinco Um.
História. Brasil. Todavia. pp a definir. R$ a definir. Previsto para a Flip
 

Zé Celso Martinez Corrêa. Primeiro ato — Cadernos, depoimentos, entrevistas (1958-1974). Reúne o diário, as cartas, os artigos e depoimentos de Zé Celso no período que vai da fundação do Teatro Oficina até o exílio de seu diretor na Europa e África.
Teatro. Brasil. Org. Ana Helena Camargo de Staal. R$ 64
 

Euclides da Cunha. Ensaios e inéditos. Reúne textos inéditos e esboços de À margem da história, Contrastes e confrontos e Peru versus Bolívia.
Ensaio. Brasil. Editora da Unesp. Org. Leopoldo N. Bernucci, Francisco Foot Hardman e Felipe Pereira Rissato. 458 pp. R$ 60

Euclides da Cunha. À margem da história. Publicação póstuma, reúne os estudos do autor dedicados à Amazônia.
Ensaio. Brasil. Editora da Unesp. pp a definir. R$ a definir. Previsto para o segundo semestre

Euclides da Cunha. Os sertões. Obra canônica da literatura brasileira, este romance-reportagem sobre a Guerra de Canudos alcançou um sucesso inesperado desde a sua publicação em 1902, e passou a ser considerado uma análise reveladora da identidade do Brasil.
Romance. Brasil. Edição crítica e organização de Walnice Nogueira Galvão. Ubu. 704 pp. R$ 149/R$ 49

Euclides da Cunha. Os sertões. Clássico chega à prestigiosa coleção Porfolio Penguin, do Grupo Companhia das Letras. Conta com notas e textos de apoio de Lilia Moritz Schwarcz, André Botelho e Luiz Costa Lima.
Romance. Brasil. Portfolio Penguin/Grupo Companhia das Letras. 544 pp. R$ 54,90. Previsto para a Flip
 

Miguel Del Castillo. Restinga. Coletânea de contos do escritor e curador, que combina  memória e política para investigar o impacto das tragédias coletivas sobre os itinerários pessoais. 128 pp. 
Contos. Brasil. Companhia das Letras. 128 pp. R$ 44,90/R$ 23,90

Miguel Del Castillo. Cancún. No prelo, romance de formação é um desdobramento de um dos contos de Restinga. Nele, o protagonista transita entre a pré-adolescência e a idade adulta para compreender o impacto do sumiço de seu pai quando ele tinha catorze anos.
Romance. Brasil. Companhia das Letras. pp a definir. R$ a definir. Previsto para a Flip 
 

Marcelo D'Salete. Angola Janga — Uma história de Palmares. Ganhador do prêmio Grampo de Ouro de Grandes HQs, o livro (que demandou mais  de uma década de pesquisa histórica e iconográfica) é uma arrojada abordagem narrativa sobre a trajetória do Quilombo de Palmares.
Quadrinhos. Brasil. Veneta. 432 pp. R$ 89,90

Marcelo D'Salete. Cumbe. Cumbe é sinônimo de quilombo e dá nome à mesa da Flip que reunirá D'Salete e a líder caiçara Marcela Cananéa. E também é o título de outro épico do estrelado quadrinista, vencedor do Eisner em 2018, o maior prêmio da categoria no mundo.
Quadrinhos. Brasil. Veneta. 176 pp. R$ 59,90
 

Kalaf Epalanga. Também os brancos sabem dançar. O primeiro romance do escritor descreve o limbo social em que vive o protagonista desde que emigrou para Portugal para escapar da guerra civil em Angola. Na edição de junho de 2018, Epalanga publicou uma crônica sobre a influência africana na cena cultural contemporânea de Lisboa. 
Romance. Angola. Todavia. 304 pp. R$ 54,90/R$ 34,90
 

Mariana Enríquez. Este é o mar. Romance sobre as “Luminosas”, criaturas mitológicas que transformam os cantores de rock em mitos e se alimentam da devoção de suas fãs. Enríquez assinou uma Crônica de Buenos Aires sobre as marchas de mulheres e o debate em torno da legalização do aborto em seu país.
Romance. Argentina. Trad. Eliza Menezes. Intrínseca. 176 pp. R$ a definir. Previsto para a Flip
 

Gael Faye. Meu pequeno país. Ganhador do prêmio Goncourt des Lycéens, o livro narra a história de um garoto de pai francês e mãe ruandesa que é obrigado a deixar o país em razão da guerra civil em Ruanda.
Romance. Burundi. Trad. Maria de Fátima Oliva do Coutto. 190 pp. R$ 57,90. Previsto para a Flip
 

Marilene Felinto. As mulheres de Tijucopapo. Publicado em 1982, o romance premiado com o Jabuti narra o retorno da protagonista Rísia à terra onde sua mãe nasceu, a lendária Tijucopapo.
Romance. Brasil. Record. 192 pp. R$ 39

Marilene Felinto. Obsceno abandono. Última obra da ex-articulista da Folha de S. Paulo em uma grande editora, em 2002. Sobre a protagonista, que destila violência verbal frente ao fim de um relacionamento, Maria Rita Kehl escreveu: "Parida e criada pelo amante na língua do amor, Madalena não consegue entender o dialeto do abandono."  
Romance. Brasil. Record. 84 pp. R$ 42,90

Stuart Firestein. Ignorância: Como ela impulsiona a ciência. Neurocientista mostra que os pesquisadores utilizam a ignorância para planejar seu trabalho, identificar o que deve ser feito e onde devem concentrar seus esforços.
Divulgação científica. Estados Unidos. Trad. Paulo Geiger. 184 pp. R$ 49,90/R$ 34,90. Previsto para 14/6
 

Walnice Nogueira Galvão. No calor da hora. Publicado em 1974, o primeiro livro de Walnice sobre Canudos aborda a atuação dos jornalistas que cobriram o conflito. A crítica já colaborou duas vezes com a revista dos livros: em junho e julho de 2017, ao resenhar os sermões de Antônio Conselheiro e dois livros sobre Olga Benário e o campo de concentração onde foi confinada.
Crítica literária. Brasil. Cepe. 552 pp. R$ a definir. Previsto para a Flip
 

Ayelet Gundar-Goshen. Uma noite, Markovitch. O romance da roteirista israelense narra os conflitos amorosos de judeus que foram para o Oriente Médio na Segunda Guerra. Gundar-Goshen já colaborou com a revista dos livros: em março, ela publicou um obituário do compatriota Amós Oz. 
Romance. Israel. Todavia. 354 pp. R$ 64,90/R$ 44,90
 

Sheila Heti. Maternidade. Romance da escritora canadense sobre as vantagens e desvantagens de se tornar mãe, e os problemas enfrentados por aquelas que decidem não ter filhos.
Romance. Canadá. Trad. Julia Debasse. 312 pp. R$ 59,90/R$ 37,90
 

Grada Kilomba. Memórias da plantação — Episódios de racismo cotidiano. Publicado em 2008 na Alemanha, a obra é uma compilação de situações que evidenciam o racismo estrutural (a herança escravocrata na arquitetura moderna, os insultos cotidianos, a violência simbólica contra os corpos e os cabelos negros).
Filosofia. Portugal. Cobogó. pp a definir. R$ a definir. Previsto para a Flip
 

Amyr Klink. Cem dias entre céu e mar. O livro que projetou o autor descreve a sua viagem solitária (mais de 6500 quilômetros) do porto de Luderitz, no sul da África, até a praia da Espera, no litoral da Bahia, a bordo de um minúsculo barco a remo.
Relato de viagem. Brasil. Companhia das Letras. R$ 62,90
 

Ailton Krenak. Ideias para adiar o fim do mundo. O pensador indígena propõe medidas para deter o desastre ambiental em curso e sustenta que só o reconhecimento da diversidade e a recusa da ideia do homem como um ser superior aos demais podem ressignificar nossas existências.
Ensaio. Brasil. Companhia das Letras. 64 pp. R$ 24,90/R$ 16,90. Previsto para 24/6
 

Carmen Maria Machado. O corpo dela e outras farras. Contos que mesclam humor, horror e fantasia (uma esposa que se recusa a remover a fita verde de seu pescoço mesmo após súplicas de seu marido, uma mulher que relata seus encontros sexuais lentamente e uma vendedora que descobre algo terrível dentro das costuras dos vestidos de festa de uma loja).
Contos. Estados Unidos. Trad. Gabriel Brum. Planeta. 288 pp. R$ 55,90/R$ 18
 

Grace Passô. Por Elise. A peça em que cada personagem encarna uma forma de solidão trata das contradições sentimentais entranhadas nas relações humanas.
Teatro. Brasil. Cobogó. 80 pp. R$ 25
 

Kristen Roupenian. Cat Person e outros contos. Coletânea de contos sobre personagens contemporâneos (uma pré-adolescente que deseja ter os pés beijados por um ator pornô, um casal que abusa de um jovem viciado em maus-tratos, um menino bonzinho que fantasia esfaquear mulheres com seu pênis submisso). A escritora Tati Bernardi resenhou o livro para a edição de março.
Contos. Estados Unidos. Trad. Kristen Roupenian. 256 pp. R$ 44,90/R$ 29,90
 

Cristina Serra. Tragédia em Mariana. Jornalista esquadrinha as causas do rompimento da barragem da Samarco em Mariana (MG) em 2015 e os impactos ambientais e sociais provocados pelos 34 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério despejados na natureza.
Reportagem. Brasil. Record. 462 pp. R$ 62,90/R$ 44,90
 

Bráulio Tavares. Fanfic. Vinte e dois contos do escritor e compositor paraibano (ganhador dos prêmios Jabuti e Argos), que exploram a ficção científica (“O molusco e o transatlântico”), a pulp fiction (“The Gost in the Machine”) e o universo cyberpunk (“A Difração  quântica nas regiões periféricas da consciência”).
Contos. Brasil. Patuá. 168 pp. R$ 40
 

Roberto Ventura. A terra, o homem, a luta — Um guia de leitura de 'Os sertões', de Euclides da Cunha. Um dos grandes especialistas em Euclides da Cunha esmiúça a estrutura de sua obra maior e o sucesso imprevisto que ele obteve.
Três Estrelas. Brasil. 104 pp. R$ 37,90. Previsto para a Flip
 

Aparecida Vilaça. Paletó e eu — Memórias de meu pai indígena. Mescla a história de vida de Paletó, o “pai” indígena da antropóloga, com as memórias da autora e digressões sobre a cosmologia wari’ e a história de seu contato com os brancos. O livro foi resenhado por Gustavo Pacheco em outubro de 2018; na mesma edição, Vilaça resenhou um livro infantojuvenil de Rita Carrelli.
Antropologia. Brasil. Todavia. 200 pp. R$ 44,90/R$ 34,90
 

David Wallace-Wells. A terra inabitável — Uma história do futuro. O jornalista desenha um cenário apocalíptico para o planeta caso as tendências atuais se mantenham e ridiculariza a ideia de que “a tecnologia nos salvará”.
Divulgação científica. Estados Unidos. Trad. Cássio de Arantes Leite. 384 pp. R$ 54,90/R$ 37,90. Previsto para 10/7
 

Guilherme Wisnik. Dentro do nevoeiro. O nevoeiro é a metáfora visual mais adequada para explicar a arte contemporânea (Olafur Eliasson, Francis Alys, Diller Scofidio) e as incertezas de uma vida cotidiana submetida ao movimento incessante do capital financeiro. A obra foi resenhada por Bianca Tavolari na edição de verão da Quatro Cinco Um. No número seguinte, Wisnik escreveu sobre o livro de memórias de Lucio Costa, autor do plano piloto de Brasília.
Arquitetura. Brasil. Ubu. 192 pp. R$ 54,90/R$ 22,80
 

José Miguel Wisnik. Maquinação do mundo — Drummond e a mineração. O crítico literário relê a obra de Drummond a partir do destino de sua cidade natal, escavada e esvaziada pela mineração. O livro ganhou resenhas de Clara Rowland e Alberto Martins e foi eleito a melhor obra de não ficção de 2018 pelos colaboradores da Quatro Cinco Um.
Crítica literária. Brasil. Companhia das Letras. 328 pp. R$ 64,90/R$ 39,90
 

Ismail Xavier. Sétima arte, um culto moderno — O idealismo estético e o cinema. Elaborado a partir de sua dissertação de mestrado na USP, em 1975, o livro traça uma genealogia do pensamento sobre o cinema na virada do século 19 e início do século 20, num resgate não só histórico, mas também político, ideológico e social. O livro foi resenhado por Helen Beltrame-Linné na edição de junho de 2018.
Cinema. Brasil. Edições Sesc. 340 pp. R$ 60/R$ 30

Vários autores. Ismail Xavier: A trajetória de um pensador do cinema brasileiro. Quinze pesquisadores e críticos de cinema analisam a trajetória crítica de Ismail Xavier, abordando as relações entre cinema, literatura, política e ideologia, que constituem o núcleo das reflexões do teórico. Edições Sesc. pp a definir. R$ a definir. Previsto para a Flip

Ismail Xavier. Sertão Mar. Escrita em 1983, a obra examina o Cinema Novo com foco na produção de Glauber Rocha, contrapondo suas realizações e as suas preocupações estéticas às de outros cineastas brasileiros.
Cinema. Brasil. Editora 34. pp a definir. R$ a definir. Previsto para a Flip