Repertório 451 MHz,

Escavando as Américas

O jornalista Bernardo Esteves apresenta no 451 MHz seu livro ‘Admirável novo mundo’, sobre a ocupação do ‘homo sapiens’ no continente americano e no mundo

11out2023 - 03h51

Está no ar o 97º episódio do 451 MHz, o podcast da revista dos livros. O jornalista Bernardo Esteves fala sobre seu livro Admirável novo mundo: uma história da ocupação humana nas Américas, sobre a ocupação do homo sapiens no continente americano e no mundo, como as culturas indígenas contam essa história e as ligações da arqueologia e de outras ciências com o colonialismo. Este episódio tem apoio da Companhia das Letras.

Viagem no tempo

O jornalista mineiro Bernardo Esteves escreve sobre ciência na revista Piaui desde 2010, dá aulas de jornalismo científico na Universidade Federal de Minas Gerais e apresenta o podcast sobre ciência A Terra é Redonda (Mesmo)

O jornalista Bernardo Esteves [Sean Vadaru]

Ele acaba de lançar Admirável novo mundo: uma história da ocupação humana nas Américas, pela Companhia das Letras. Esse é o primeiro livro do jornalista, que em 2020 participou com um ensaio da coletânea No tremor do mundo: ensaios e entrevistas à luz da pandemia, publicado pela editora Cobogó.

No livro, Esteves voltou-se para os saberes indígenas, à arqueologia, à física, à genética e à linguística para buscar a origem dos primeiros povos americanos, seguindo a questão: o que os cientistas ignoram ao construírem suas verdades? Com uma longa pesquisa, destacando as escavações em sítios arqueológicos brasileiros, traz outras narrativas possíveis sobre a ocupação humana do continente.

Esteves participou como mediador d’A Feira do Livro deste ano, que aconteceu na praça Charles Miller, em São Paulo, em junho, da mesa Os Territórios, com as lideranças indígenas Txai Suruí e Jerá Guarani. A conversa pode ser vista logo abaixo, ou no canal do YouTube do evento:

Neste episódio do 451 MHz, alguns sítios arqueológicos brasileiros são citados. Dentre eles, está o Parque Nacional da Serra da Capivara, a partir de uma iniciativa da arqueóloga Niède Guidon: “O parque é maravilhoso, não só pelas paisagens naturais, mas pelas pinturas rupestres. Muito mais diversas que as que a gente costuma ver nas cavernas da Europa, onde tem muita cultura de bicho. Na Serra da Capivara, a gente vê pessoas fazendo todo tipo de coisa: gente brigando, se amando, beijando, transando, parindo, dançando. Tem uma série que parece ‘A dança’ do Matisse, mas 20 mil anos antes”, comenta Esteves no podcast.

Recentemente, foi lançado o livro Niéde Guidon: uma arqueóloga no sertão, de Adriana Abujamra (Rosa dos Tempos), que traça um longo perfil da arqueóloga.

Dentro os arqueólogos também mencionados, está Eduardo Neves, que publicou pela editora Ubu Sob os tempos do equinócio: oito mil anos de história na Amazônia central, que reconstitui o período de 10 mil anos atrás até os primeiros momentos da colonização europeia, no século 15, na região amazônica.

Ao final, Esteves e o apresentador Paulo Werneck falam rapidamente sobre um dos maiores sucessos editoriais dos últimos anos: Sapiens: uma breve história da humanidade (L&PM, 2015), de Yuval Harari, livro que não é muito bem visto pelos arqueólogos.

Mais na Quatro Cinco Um

A arqueologia já foi tema de alguns textos publicados na Quatro Cinco Um. O livro de Neves foi resenhado por Maria Guimarães na edição 62. “Antes da chegada dos europeus e das colonizações posteriores a partir do sul, uma população significativa cuidava do manejo das plantas para uso próprio, alterando a floresta. A disposição atual de árvores como palmeiras e castanheiras não é casual, e sim reflexo de sua importância para a vida”, escreveu ela.

Já o próprio Neves escreveu sobre Neandertal, nosso irmão: uma breve história do homem, de Silvana Condemi e François Savatier (Vestígio, 2018), com tradução de Fernando Scheibe. “O livro tem dez capítulos, além de uma introdução e uma conclusão. Neles, os autores mostram como os neandertais foram caçadores bem-sucedidos, capazes de abater animais muito maiores que seu próprio tamanho através de comportamentos que deviam ser coletivos e colaborativos. Dados de análise de rochas mostram como estabeleceram redes de troca e circulação de matérias-primas que incluíam amplos territórios”, contou ele.

Neves também resenhou A cidade perdida do deus macaco, de Douglas Preston (Vestígio, 2019), traduzido por Cristina Antunes, para a edição 27, em que traz a arqueologia e o colonialismo pensados a partir de um projeto hollywoodiano em Honduras.

O melhor da literatura LGBTQIA+

Melvim Brito, livreiro da livraria Megafauna, recomenda o livro Bate um coração, de I Acevedo, publicado em 2022 pela editora Jabuticaba, com tradução de Paloma Vidal.

Os contos do escritor e editor argentino podem ser lidos como fragmentos de um diário pessoal em que fala bastante sobre o desejo e o amor.

Confira a lista completa de indicações dadas no podcast 451 MHz, no bloco O Melhor da Literatura LGBTQIA+.

O 451 MHz é uma produção da Rádio Novelo e da Associação Quatro Cinco Um.
Apresentação: Paulo Werneck
Coordenação Geral: Évelin Argenta e Paula Scarpin
Produção: Ashiley Calvo
Edição: Luiza Silvestrini
Produção musical: Guilherme Granado e Mario Cappi
Finalização e mixagem: João Jabace e Luis Rodrigues, da Pipoca Sound
Identidade visual: Quatro Cinco Um
Coordenação digital: Bia Ribeiro
Para falar com a equipe: [email protected]