Repertório 451 MHz,

451 MHz #11: Murakami e Carnaval

O podcast da Quatro Cinco Um recebe a tradutora Rita Kohl, o jornalista Arthur Dapieve e o escritor Alberto Mussa

07fev2020 - 03h51

Está no ar o décimo primeiro episódio do 451 MHz, o podcast da revista dos livros! Duas vezes por mês, trazemos entrevistas, debates e informações sobre os livros mais legais publicados no Brasil. 

No programa desta semana os temas são o escritor japonês Haruki Murakami e o Carnaval carioca.

No primeiro bloco, o apresentador Paulo Werneck recebe Rita Kohl, tradutora de Murakami no Brasil — e do texto do escritor que estampa a capa da Quatro Cinco Um de janeiro-fevereiro, e Arthur Dapieve, jornalista, escritor e grande leitor de literatura japonesa. 

No segundo bloco, Marília Kodic, editora da Quatro Cinco Um, conversa com o escritor e erudito do samba Alberto Mussa sobre as contradições do Carnaval carioca.

Ouça o episódio aqui e agora: 

A página Repertório 451 MHz reúne os links para o último episódio e para os livros citados, listas, além de imagens, sugestões de leitura e outras indicações para se aprofundar nos temas discutidos. 

O podcast 451 MHz pode ser ouvido gratuitamente no site da revista e também nos principais tocadores de podcasts. Ele é publicado na primeira e na terceira sexta-feira de cada mês. 

A apresentação é do editor Paulo Werneck e a direção é da jornalista Paula Scarpin, da Rádio Novelo, start-up de podcasts que produz o 451 MHz para a Associação Quatro Cinco Um. Para contribuir com a realização do podcast, convidamos você a fazer uma assinatura da Quatro Cinco Um, a revista dos livros.

Bloco 1 (4:15)
Rita Kohl e Arthur Dapieve


A tradutora Rita Kohl [Diogo Melo]

No primeiro bloco, Paulo Werneck conversa com dois grandes entusiastas da literatura japonesa, a tradutora Rita Kohl e o jornalista e escritor Arthur Dapieve. Rita é tradutora de Haruki Murakami no Brasil, tendo vertido ao português os livros Relatos de um gato viajanteOuça a canção do vento e O assassinato do comendador, em dois volumes, sendo que o segundo acaba de ser lançado. Todos os livros são do selo Alfaguara, da Companhia das Letras.

Ela também traduziu o texto de capa da Quatro Cinco Um de janeiro-fevereiro, "Abandonar um gato", de Murakami. "Você sempre tem que abrir mão de muitas coisas numa tradução, você tem que ir escolhendo o que vai tentar manter, e tem coisas que vão se perder, principalmente numa língua tão distante quanto o japonês. Se você vai tentando manter tudo, vai fazer um texto insano", diz ela.


O jornalista e escritor Arthur Dapieve [Mànya Millen]

Arthur Dapieve contou apreciar especialmente as obras de não ficção de Murakami: "Ler sobre o Japão não é um passatempo, virou uma obsessão. O Japão tem duas coisas que puxam para direções diferentes, mas que mexem muito com eles [os japoneses]. Uma é a bomba, e, do outro lado, o modo como eles guerrearam na China". Ele também falou sobre o texto de Murakami publicado na Quatro Cinco Um, que considera um ato de coragem por vasculhar o passado familiar e a intimidade do pai, mas também por tocar em feridas abertas da Segunda Guerra Mundial na Ásia. Dapieve é autor de livros como a biografia Renato Russo: o trovador solitário (Relume-Dumara) e Morreu na contramão: o suicídio como notícia (Zahar).

Se você também é apreciador da literatura japonesa, ouça o podcast da Japan House São Paulo feito em parceria com a Quatro Cinco Um, disponível em todos os tocadores.

Parênteses (24:10)
Amazon KDP

A Amazon KDP apoia o 451 MHz desde o primeiro episódio. A Amazon e a editora Nova Fronteira anunciaram na segunda-feira, dia 3 de fevereiro, quem são os finalistas da quarta edição do Prêmio Kindle de Literatura. Eles foram escolhidos entre mais de 1.800 obras que foram escritas via KDP, a ferramenta de autopublicação da Amazon. Os finalistas são Dias vazios, de Bárbara Nonato, Gigante pela própria natureza, escrito por Nelson de Oliveira, Larissa Start, de Rafael Caputo, Para você nunca se esquecer de mim, de Eugênia Zerbini, e A segunda identidade, por Fernando Perdigão. O vencedor deste ano vai ser escolhido por um júri especial composto por Conceicão Evaristo, a grande autora mineira que foi homenageada em 2019 no Prêmio Jabuti, e Marco Lucchesi, que é um poeta premiado e membro da Academia Brasileira de Letras. E nesta edição do Prêmio Kindle, todos os finalistas terão as suas obras avaliadas também pelo Amazon Prime Video, e vão concorrer com outros ganhadores de outros países a ter a sua obra adaptada para o audiovisual, recebendo um adiantamento de direitos de 10 mil dólares. Além disso, o vencedor vai ter sua obra publicada em versão impressa pela editora Nova Fronteira e vai receber um prêmio de 30 mil reais. O anúncio acontece agora mesmo, no dia 18 de fevereiro.

Bloco 2 (25:40)
Alberto Mussa


O escritor Alberto Mussa [Paula Johas]

No segundo bloco, Paulo Werneck conversa com Marília Kodic, editora da Quatro Cinco Um, sobre as disparidades do Carnaval carioca, o conflito entre o prefeito Crivella e a festa e o caráter fortemente político dos sambas de enredo neste ano. Na edição de janeiro-fevereiro da revista, ela assina uma crônica sobre o Carnaval carioca, relatando as finais de samba de enredo de três tradicionais escolas de samba: Mangueira, Portela e Beija Flor.

Em seguida, Marília recebe o escritor Alberto Mussa, coautor de Samba de enredo: história e arte (Civilização Brasileira) junto de Luiz Antonio Simas, colaborador da Quatro Cinco Um. Sobrinho de Didi, compositor do Salgueiro e da União da Ilha que assinou clássicos como "É hoje" e "O amanhã", ele fala, entre outros temas, sobre o tom crítico das escolas de samba neste ano. "Toda essa sátira política sempre fez parte do carnaval, mas do carnaval de rua. Eu, por exemplo, não gosto de Carnaval no sentido estrito Ocidental do termo. O processo de alienação, de brincar na rua. Não gosto da ideia de quem leva o ano inteiro a sério e, chega no o Carnaval, precisa de um momento de  alienação. Eu prefiro levar o meu ano inteiro não a sério e, no Carnaval, vou buscar um motivo para me emocionar, eu quero ter um motivo para chorar", diz ele.

Mussa, que faz parte do júri do Estandarte de Ouro — o mais antigo e importante prêmio extraoficial do Carnaval carioca, organizado pelo jornal O Globo —, é vencedor de prêmios como o da Associação Paulista dos Críticos de Arte (2004 e 2006), o Casa de las Américas (2005), o prêmio literário da Fundação Biblioteca Nacional (2011) e o prêmio ABL de Ficção (2013). É autor de livros como A hipótese humana (2017) e A biblioteca elementar (2018), ambos pela Record. Para este semestre, prepara um livro sobre o mito do fogo.

Ficha técnica:
O 451 MHz é uma produção da Rádio Novelo para a Quatro Cinco Um
Apresentação: Paulo Werneck
Direção: Paula Scarpin
Edição: Claudia Holanda e Vitor Hugo Brandalise
Produção: Aline Scudeller e Vitor Hugo Brandalise
Produção musical: Guilherme Granado e Mario Cappi
Finalização e mixagem: João Jabace
Identidade visual: Quatro Cinco Um
Coordenação digital: Kellen Moraes
Gravado nos estúdios Rastro (RJ) Tyranosom (SP)
Para falar com a equipe: [email protected]