A Feira do Livro,

Paula Lima, Tiê e Tulipa celebram a força e a liberdade de Rita Lee n’A Feira do Livro

Cantoras lembraram o feminismo debochado de Rita; encontro terminou com público pulando ao som de ‘Lança perfume’

11jun2023 - 19h50 | Edição #70

Rita Lee, a mais completa tradução de São Paulo, é também uma tradução do que está rolando n’A Feira do Livro, segundo a jornalista Roberta Martinelli, mediadora da mesa em homenagem à compositora e cantora que morreu em maio.

O Interlúdio Musical do domingo, 11, reuniu as compositoras e cantoras Paula Lima, Tiê e Tulipa Ruiz para um bate-papo sobre o legado de Rita. O encontro foi encerrado com muita cantoria, como não poderia deixar de ser.


Tiê e Tulipa Ruiz [Sean Vadaru/Divulgação]

As artistas contaram como se conectaram com Rita Lee – que nasceu no mesmo dia e hora que Roberta Martinelli, lançou o álbum Babilônia no ano em que Tulipa nasceu, acompanhou a adolescência de Tiê e acolheu Paula Lima e cantou com ela em um show em homenagem às mulheres.

Lembrando o feminismo de Rita e parafraseando seu verso “Toda mulher é meio Leila Diniz”, Martinelli afirmou: “Todo mundo quer ser um pouco Rita Lee”. “É muito forte pensar nela, não só como artista, mas como mulher e em como ela era completamente livre”, disse Tiê.

A Rita escritora foi exaltada por Tulipa, que, aos oito anos, ganhou do pai o livro Dr. Alex. “Foi a primeira vez que ouvi falar em testes em animais. Para mim, a Rita foi a primeira a falar da defesa dos animais, das usinas nucleares, das terras indígenas e dos direitos dos idosos e das crianças. Foi meu primeiro alumbramento político. Viva Rita Lee existindo em todos os lugares!”, disse.

Tiê comemorou as tantas portas abertas por Rita. “Ela era libertária e, ao mesmo tempo, passou muitos anos dormindo de conchinha com o Roberto [de Carvalho]. Também nesse lugar afetivo ela me inspira”, disse Tiê.


Paula Lima [Sean Vadaru/Divulgação]

Ao final do bate-papo, Paula, vestida de rosa-choque (“por isso não provoque”, cantaria Rita), apresentou algumas músicas do seu disco Soul Lee. Acompanhada por Bruno Nunes ao violão, cantou “Nem luxo, nem lixo”, “Mania de você”, “Agora só falta você” e colocou toda a plateia para cantar, pular e dançar ao som de “Lança perfume”. Em meio à multidão, um cartaz escrito à mão por um fã de Rita dizia: ”Goze, orgasmo é energia renovável”.

A Feira do Livro acontece de 7 a 11 de junho na praça Charles Miller, no Pacaembu, em São Paulo.

Quem escreveu esse texto

Iara Biderman

Jornalista, , editora da Quatro Cinco Um, está lançando Tantra e a arte de cortar cebolas (34)

Matéria publicada na edição impressa #70 em maio de 2023.