A Feira do Livro,

Hermínio Bello e Joyce Moreno celebram a MPB

Interlúdio Musical com Hermínio e Joyce teve participações especiais de Alaíde Costa e Zé Renato

08jun2023 - 17h11 | Edição #70

Se a manhã de quinta-feira, 8, já começou ensolarada, a tarde do segundo d’A Feira do Livro 2023 brilhou. Às 13h30, o Palco da Praça abrigou o primeiro Interlúdio Musical, faixa de conversas – acompanhadas de voz e violão – evocando grandes nomes da música brasileira.

No Interlúdio que reuniu o pesquisador, produtor e cronista Hermínio Bello de Carvalho e a cantora Joyce Moreno, com mediação da jornalista Patricia Palumbo, grandes nomes foram não apenas evocados, mas marcaram presença na plateia.

A mais notável foi a da cantora e compositora Alaíde Costa, 87, presença logo anunciada por Bello de Carvalho e aplaudida de pé pela plateia lotada – além do público que já estava de pé ao redor do palco para assistir a essa forte concorrente à mesa mais delícia da Feira.

O clima era de uma conversa entre amigos (o que de fato era), gente da música se reunindo para trocar ideias, cantar e tocar. Além de Alaíde Costa, o músico Zé Renato, amigo de longa data de Hermínio e Joyce, assistiu à mesa e deu uma palhinha ao violão no palco, interpretando uma música de Elton Medeiros e do próprio Hermínio..

Hermínio falou de seu livro, Passageiro de relâmpagos (Edições Sesc), organizado por Joyce Moreno, onde conta histórias de grandes nomes da MPB. No palco ele lembrou de algumas delas, como Clementina de Jesus e Paulinho da Viola.

Entremeando o papo, Joyce cantou e tocou ao violão algumas músicas. Segundo Joyce, nada foi combinado ou ensaiado, seria uma apresentação no estilo “Esta noite se improvisa” (game musical veiculado na TV Record nos anos 60). No caso, foi "Esta tarde se improvisa".

Alaíde também cantou

E Alaíde Costa teve que entrar no jogo – a cantora disse não querer cantar, não subiu ao palco, mas é difícil resistir ao apelo de Hermínio, que fez o microfone ser levado até a cadeira onde estava Alaíde, que cantou uma música de sua autoria, "Aurorear", acompanhando Joyce no palco.

Joyce também interpretou músicas, como "Feminina" e "Sei lá, Mangueira". “Acho que vou lá para o fundo da plateia para assistir a Joyce cantar Clementina”, disse Hermínio Bello de Carvalho quando chegou a vez da cantora e organizadora de seu livro apresentar uma composição da cantora fluminense descoberta nos anos 60, quando já tinha 63 anos, pelo cronista e produtor.

Os Interlúdios Musicais seguem, sempre às 13h30, com uma conversa no sábado, 10, sobre o canto, o violão e o projeto de canção de João Gilberto com Arthur Nestrovski e Celsim, que, ao longo da aula-show, interpretam canções clássicas do repertório de João; e no domingo, 11, com a mesa A Tua Mais Completa Tradução, uma homenagem a Rita Lee com as cantoras Paula Lima, Tiê e Tulipa Ruiz com curadoria e mediação da jornalista Roberta Martinelli.

A Feira do Livro acontece de 7 a 11 de junho na praça Charles Miller, no Pacaembu, em São Paulo.

 

Quem escreveu esse texto

Iara Biderman

Jornalista, , editora da Quatro Cinco Um, está lançando Tantra e a arte de cortar cebolas (34)

Matéria publicada na edição impressa #70 em maio de 2023.