Infantojuvenil,

Aliya, 7, Rio de Janeiro, RJ

A Quatro Cinco Um selecionou os melhores livros para crianças e jovens publicados no Brasil em 2018 e convidou jovens leitores de diferentes regiões a resenhar um de seus prediletos

27nov2018 - 13h20 | Edição #16 out.2018

É sobre uma menina chamada Sara. Uma manhã bem cedinho, ela acordou animada porque ia viajar para a praia. Acordou a todos da casa aos gritos, de tamanha ansiedade, deixando todos de mau humor. Enquanto a mãe arrumava as coisas, Sara não conseguia conter a euforia, deixando a mãe superconfusa com tantas perguntas. 

No aeroporto encontrou seus primos e tias, todos muitos animados com a viagem em família. Quando chegaram no hotel, Sara e os primos já foram logo se arrumando e partindo logo para a praia. Passaram protetor solar e correram para o mar, um nadou, o outro deu mortal e a Sara foi andando. 

Coisas erradas

De repente eles viram que alguma coisa estava errada com o mar. Na água boiavam coisas erradas, tinha sacos plásticos, copos, palitos de picolé, muita sujeira. Isso acontecia porque as pessoas que usavam a praia jogavam lixo no mar, e isso é errado. O mar tem que sempre ficar limpinho, senão ninguém mais poderá usar a praia. A natureza morre, e não terá mais natureza pra contar história.

Sara contou pra mãe dela, e aí teve uma ideia genial. Bolou um plano com seus primos para recuperar a praia. O plano era o seguinte: em uma lata de lixo, colocou um cartaz pendurado em uma vassoura — COLOQUE SEU LIXO AQUI E GANHE UMA BALINHA. PS: MAS SE JOGAS O PAPEL DE BALA NA AREIA, O PAPEL CUSTARÁ R$ 1,00. 

Os adultos leram e ficaram envergonhados, cataram todo o seu lixo e jogaram na lata de lixo, ganharam uma bala e o papel da bala tambem foi jogado na lixeira. E esse foi o verão com a praia mais limpa que já existiu. 

A moral da história é não devemos jogar lixo em lugares errados, só no lugar certo: a lata de lixo, e assim preservamos a natureza. 

Matéria publicada na edição impressa #16 out.2018 em outubro de 2018.