Literatura,

Os Melhores Livros de 2019

Sessenta resenhistas e colaboradores escolhem os livros que fizeram suas cabeças (ou seus corações) em 2019

01dez2019 - 01h00 | Edição #29 dez.19/jan.20

Nesta lista muito pessoal dos destaques editoriais deste ano, sessenta resenhistas e colaboradores que publicaram na Quatro Cinco Um escolheram, sem rigor matemático nem debates preliminares, três livros que fizeram sua cabeça (ou seu coração). O resultado, bem como a lista dos resenhistas que votaram, encontra-se nas próximas páginas. Alguns dos livros escolhidos foram resenhados nesta edição, nas páginas identificadas com o chapéu Os Melhores Livros de 2019.

MAIS VOTADOS


Roberto Bolaño [José Caruci/AFP/Getty Images]

FICÇÃO

A literatura nazista na América. Roberto Bolaño. Companhia das Letras.
A fúria e outros contos. Silvina Ocampo. Companhia das Letras.
Torto arado. Itamar Vieira Junior. Todavia. 5 votos
Marrom e amarelo. Paulo Scott. Companhia das Letras. 5 votos
Sombrio ermo turvo. Veronica Stigger. Todavia. 5 votos


Nuno Ramos [Divulgação]

NÃO FICÇÃO

Verifique se o mesmo. Nuno Ramos. Todavia.
Ideias para adiar o fim do mundo. Ailton Krenak. Companhia das Letras.
Memórias da plantação. Grada Kilomba. Cobogó.


Ana Martins Marques [Divulgação]

POESIA

O livro dos jardins. Ana Martins Marques. Quelônio.
Mil sóis. Primo Levi. Todavia.
Ou o silêncio contínuo. Marcelo Ariel. Kotter.


Sara Bertrand [Divulgação]

INFANTOJUVENIL

A mulher da guarda. Sara Bertrand. Emília/Solisluna
A menina que morava no chuveiro. Antonio Prata. Ubu.
Da minha janela. Otávio Júnior. Companhia das Letrinhas.


Sidarta Ribeiro [Divulgação]

DIVULGAÇÃO CIENTÍFICA

O oráculo da noite. Sidarta Ribeiro. Companhia das Letras.
Outras mentes: o polvo e a origem da consciência. Peter Godfrey-Smith. Todavia.
A Terra inabitável. David Wallace-Wells. Companhia das Letras.

TODOS OS VOTOS

FICÇÃO

Literatura estrangeira

A literatura nazista na América. Roberto Bolaño. Companhia das Letras. 8 votos
A fúria e outros contos. Silvina Ocampo. Companhia das Letras. 7 votos
Serotonina. Michel Houellebecq. Alfaguara/Companhia das Letras. 3 votos
A ridícula ideia de nunca mais te ver. Rosa Montero. Todavia. 3 votos
A ordem do dia. Éric Vuillard. Tusquets/Planeta. 2 votos
Máquinas como eu. Ian McEwan. Companhia das Letras. 2 votos
Nove histórias. J. D. Salinger. Todavia. 2 votos
Coração das trevas. Joseph Conrad. Antofágica / Ubu. 2 votos
Cat Person e outros contos. Kristen Roupenian. Companhia das Letras. 2 votos
A vida pela frente. Romain Gary (Emile Ajar). Todavia. 2 votos
Maternidade. Sheila Heti. Companhia das Letras. 2 votos
Lucky Jim. Kingsley Amis. Todavia.
O jogo da amarelinha. Julio Cortázar. Companhia das Letras
A vida de Vernon Subutex volume 1. Virginie Despentes. Companhia das Letras. 
Arquivo das crianças perdidas. Valeria Luiselli. Companhia das Letras.
Talvez Esther. Katja Petrowskaja. Companhia das Letras.
Sobre os ossos dos mortos. Olga Tokarczuk. Todavia.
Grandes dias e outras histórias. Donald Barthelme. Rocco.
A ilha de Arturo. Elsa Morante. Carambaia.
Obra completa. Gabriel García Márquez. Record.
Lake Success. Gary Shteyngart. Todavia.
Tumulto. Hans Magnus Enzensberger. Todavia.
É a vida. Mohamed El Khatib. Cobogó.
Esboço. Rachel Cusk. Todavia.
 

Literatura brasileira

Torto arado. Itamar Vieira Junior. Todavia. 5 votos
Marrom e amarelo. Paulo Scott. Companhia das Letras. 5 votos
Sombrio ermo turvo. Veronica Stigger. Todavia. 5 votos
O quarto branco. Gabriela Aguerre. Todavia. 2 votos
A morte e o meteoro. Joca Reiners Terron. Todavia. 2 votos 
Badaladas Dr. Semana. Machado de Assis. Nankin.
Elegia do irmão. João Anzanello Carrascoza. Alfaguara/Companhia das Letras. 
O verão tardio. Luiz Ruffato. Companhia das Letras.
Fanfic. Braulio Tavares. Patuá.
Amor nenhum dispensa uma gota de ácido. Carlos Drummond de Andrade. Três Estrelas.
Água indócil. Anna Clara de Vitto. Urutau.
Como se pesassem mil Atlânticos. Bianca Gonçalves. Urutau.
Redemoinho em dia quente. Jarid Arraes. Alfaguara/Companhia das Letras.
A última cabra. Lucas Verzola. Reformatório.
Carta à rainha louca. Maria Valeria Rezende. Alfaguara/Companhia das Letras
Cancún. Miguel del Castillo. Companhia das Letras
Controle. Natalia Borges Polesso. Companhia das Letras.
O beijo no asfalto. Nelson Rodrigues. Nova Fronteira.
Dois amores. Paulo Lins. Nós.
Lendas africanas dos orixás. Pierre Verger. Fundação Pierre Verger.
Não, não é bem isso. Reginaldo Pujol Filho. Não Editora.
A visita de João Gilberto aos novos baianos. Sérgio Rodrigues. Companhia das Letras.

NÃO FICÇÃO

Ensaios

Verifique se o mesmo. Nuno Ramos. Todavia. 6 votos
Ideias para adiar o fim do mundo. Ailton Krenak. Companhia das Letras. 4 votos 
Memórias da plantação. Grada Kilomba. Cobogó. 4 votos
Sobre o autoritarismo brasileiro. Lilia Moritz Schwarcz. Companhia das Letras. 2 votos
Tornar-se Palestina. Lina Meruane. Relicário. 2 votos
Depois do futuro. Franco Berardi. Ubu.
A nova idade das trevas. James Bridle. Todavia.
Ensaios do assombro. Peter Pál Pelbart. N-1 Edições.
O Brasil e seu duplo. Luiz Eduardo Soares. Todavia.
Tempos precários. Rodrigo Turin. Zazie.
 

Biografias/Autobiografias

Os anos. Annie Ernaux. Três Estrelas. 5 votos
Prólogo, ato, epílogo. Fernanda Montenegro. Companhia das Letras. 2 votos 
Os anos felizes. Ricardo Piglia. Todavia. 3 votos
Afetos ferozes. Vivian Gornick. Todavia. 2 votos
Do que é feita a maçã. Amós Oz e Shira Hadad. Companhia das Letras. 
Ricardo e Vânia. Chico Felitti. Todavia.
Rondon, uma biografia. Larry Rohter. Objetiva/Companhia das Letras. Resenha na edição 22
Diários intermitentes. Celso Furtado. Companhia das Letras.
O paradoxo de Viena. Marjorie Perloff. Editora UFMG.
Querido menino. David Sheff. Globo.

Filosofia

Tempo de mágicos. Wolfram Eilenberger. Todavia. 4 votos
Revolução das plantas. Stefano Mancuso. Ubu. 4 votos
Categorias. Aristóteles. Editora Unesp.
Filosofia Ciborgue. Thierry Hoquet. Perspectiva.

Feminismo/Gênero

O ponto zero da revolução. Silvia Federici. Elefante. 3 votos
Mulheres e caça às bruxas: da idade média aos dias atuais. Silvia Federici. Boitempo.
Estar entre: ensaios de literatura em trânsito. Paloma Vidal. Papéis Selvagens.
Feminismo para os 99%: um manifesto. Cinzia Arruzza, Tithi Bhattacharya, Nancy Fraser. Boitempo.
Interações de gênero nas salas de aula da Faculdade de Direito da usp: um currículo oculto? Sheila C. Neder Cerezetti e outros. Catédra Unesco/USP.
Pensamento feminista brasileiro: formação e contexto. Heloisa Buarque de Hollanda. Bazar do Tempo.

Crítica literária

Escrever ficção. Luiz Antonio de Assis Brasil. Companhia das Letras. 3 votos 
Imprevistos de arribação. Osmar Lins. Papaterra.
Limite. Luiz Costa Lima. Relicário.
Escrever sem escrever. Leonardo Villa-Forte. Relicário.

Arquitetura e Urbanismo

Cidades sul-americanas como arenas culturais. Adrián Gorelik & Fernanda Peixoto (org). Editora Sesc-SP. 3 votos
Arquitetura moderna brasileira: uma crise em desenvolvimento. Ana Paula Koury. Edusp.
A cidade inteligente. Evgeny Morozov & Francesca Bria. Ubu.
Gregori Warchavchik: design e vanguarda no Brasil. Jayme Vargas. Olhares.

Direito

Os onze. Felipe Recondo & Luiz Weber. Companhia das Letras. 3 votos
Direito das lutas. José Rodrigo Rodriguez. LiberArs.

História

Escravidão. Laurentino Gomes. Globo. 2 votos
Sobre lutas e lágrimas: uma biografia de 2018. Mario Magalhães . Record. 2 votos
Jovita Alves Feitosa. José Murilo de Carvalho. Chão Editora.
Ganhadores. João José Reis. Companhia das Letras.
O corpo encantado das ruas. Luiz Antonio Simas. Civilização Brasileira/Record.
130 anos: em busca da República. Edmar Bacha e outros. Intrínseca.

Arte

Nada se vê. Daniel Arasse. Editora 34.
As lógicas sociais do gosto. Carolina Pulici & Dmitri Fernandes (org.). Editora Unifesp.

Música

Devoção. Patti Smith. Companhia das Letras.
O ano do macaco . Patti Smith. Companhia das Letras.
Música e mimese. Leonardo Aldrovandi. Perspectiva.

Educação

O educador. Sérgio Haddad. Todavia. 
Ocupar e resistir: movimentos de ocupação de escolas pelo Brasil (2015-2016). Adriano Januário, Jonas Medeiros & Rúrion Melo (org.). Editora 34.

Economia

O valor de tudo. Mariana Mazzucato. Temas e debates.
Why Not? Raquel Landim. Intrínseca.

Política

Petrogrado, Xangai. Alain Badiou. Ubu.
Antifa — O Manual Antifascista. Mark Bray. Autonomia Literária.
Na contramão da liberdade. Timothy Snyder. Companhia das Letras.
O colapso da democracia no Brasil. Luis Felipe Miguel. Expressão Popular.
Um guia Pussy Riot para o ativismo. Nadya Tolokonnikova. Ubu.
Tiqqun: contribuição para a guerra em curso. Vários. N-1 Edições.

Psicologia 

Melanie Klein: autobiografia comentada. Alexandre Socha. Blucher.

Religião 

Bíblia — Volume 3: Antigo Testamento — Os livros proféticos. Frederico Lourenço (trad.). Companhia das Letras.
Pedagogia das encruzilhadas. Luiz Rufino. Mórula.

Poesia

O livro dos jardinsAna Martins Marques. Quelônio. 9 votos
Mil sóis. Primo Levi. Todavia. 4 votos 
Ou o silêncio contínuo. Marcelo Ariel. Kotter. 3 votos
Popol Vuh. Iluminuras / Ubu. 3 votos
Aqui estão as minhas contas. Adília Lopes. Bazar do Tempo. 2 votos
As durações da casa. Julia de Souza. 7 Letras. 2 votos
JLG. Franklin Alves Dassie. 7 Letras. 2 votos
Onde estão as bombas. Tatiana Pequeno. Macondo. 2 votos
Talvez precisemos de um nome para isso.  Stephanie Borges. Cepe. 2 votos
As flores do mal. Charles Baudelaire. Penguin/Companhia das Letras.
Aurora de Cedro. Tito Leite. 7 Letras.
Balada da estrela e outros poemas. Gabriela Mistral. Olho de Vidro.
Céu noturno crivado de balas. Ocean Vuong. Âyiné.
Desterro. Camila Assad. Macondo.
Eu nunca fui ao Brasil. Ernst Jandl. Relicário.
Houve um ano chamado 2018. Taís Bravo. Macondo.
Lição da matéria. Daniel Arelli. Biblioteca do Paraná.
Matéria de poesia. Manoel de Barros. Alfaguara/Companhia das Letras.
Não leiam delicados este livro. Jorge de Sena. Bazar do Tempo.
Sereia no copo d’água. Nina Rizzi. Jabuticaba.
O coice da égua. Valeska Torres. 7 Letras.
O poeta de Pondichéry. Adília Lopes. Moinhos.
Permanece. Lubi Prates.  Quelônio.
Por qual árvore espero. Eileen Myles. Jabuticaba.
Retratos com erro. Eucanaã Ferraz. Companhia das Letras.
Rinoceronte. Ronald Polito. Quelônio.
Romã. Julia de Carvalho Hansen. Chão da Feira.
Sem deuses mais. Flávio R. Kothe. Cajuína.
Tudo pronto para o fim do mundo. Bruno Brum. Editora 34.
Ubi Sunt. Manuel de Freitas. Macondo.
Um corpo estranho atravessando o fim do mundo.Bruno Gavranic. Urutau.
Previsão para ontem. Henrique Rodrigues. Cousa.

Infantojuvenil

A mulher da guarda. Sara Bertrand. Emília/Solisluna. 3 votos
A menina que morava no chuveiro. Antonio Prata. Ubu. 2 votos 
Da minha janela. Otávio Júnior. Companhia das Letrinhas. 2 votos
O rato e a montanha. Antonio Gramsci. Boitatá.
Meu pequenino. Germano. Zullo & Albertine. Amelì.
Joana e Lia. Sandra Desmazières & Sandrine Bonini. Pequena Zahar.
A guerra. José Jorge Letria & André Letria. Amelì.
Pinóquio: o livro das pequenas verdades. Alexandre Rampazo. Boitatá/Boitempo.
Nunca acontece nada na minha rua. Ellen Raskin. Amelì.
Alice no país das maravilhas. Lewis Carroll. Darkside.
No corredor dos cobogós. Paula Fábrio. SM Editora.
Minha dança tem história. bell hooks. Boitatá/Boitempo.

Divulgação Científica

O oráculo da noite. Sidarta Ribeiro. Companhia das Letras. 4 votos
Outras mentes: o polvo e a origem da consciênciaPeter Godfrey-Smith. Todavia. 3 votos
A Terra inabitável. David Wallace-Wells. Companhia das Letras. 3 votos
O Antropoceno e a ciência do sistema Terra. José Eli da Veiga. Editora 34.
Ignorância: como ela impulsiona a ciência. Stuart Firestein. Companhia das Letras.
O tempo que passa (?).  Étienne Klein. Editora 34.

Matéria publicada na edição impressa #29 dez.19/jan.20 em novembro de 2019.