Flip,

Listão Flip 2022

Uma seleção de 20 lançamentos de autores presentes na Flip

21nov2022 - 14h55 | Edição #63

Ricardo Aleixo. Sonhei com o anjo da guarda o resto da noite.
Todavia. 160 pp. R$ 59,90

Livro de memórias no qual o poeta, músico e artista mineiro narra seus primeiros contatos com as letras na periferia de Belo Horizonte e os horrores vividos com a eleição  de Jair Bolsonaro em 2018. 

Luciany Aparecida. Joanna Mina.
PARALELO 13S. R$ 44,90

Peça da poeta baiana que reúne vozes-mulheres em diferentes estruturas de raça, classe e sexualidade, rememorando os encontros entre elas e a história  do Brasil.

Fernanda Bastos. Selfie-purpurina.
Peirópolis. 72 pp. R$ 48

Poemas inspirados no Carnaval: “No tempo em que nasci/ Se aprendia mais de África/ Na quadra/ Do que no curso normal/ que eu concluí”.

Carol Bensimon. Diorama.
Companhia das Letras. 288 pp. R$ 69,90

Ganhadora do prêmio Jabuti de 2018, a autora gaúcha descreve uma mulher cuja infância foi marcada pelo assassinato de um deputado no período da redemocratização.

Teresa Cárdenas. Memória de mim. 
Trad. Liliam Ramos. Figura de Linguagem. 116 pp. R$ 50

Poemas da escritora cubana — ganhadora do prêmio Casa de las Américas — que falam de sua infância e do poder emancipador da literatura.

Annie Ernaux. A vergonha.
Trad. Marília Garcia. Fósforo. 88 pp. R$ 54,90

Ganhadora do prêmio Nobel, a escritora francesa rememora um episódio de violência doméstica de seu pai contra sua mãe que a abalou profundamente.

Saidiya Hartman. Vidas rebeldes, belos experimentos: histórias íntimas de meninas negras desordeiras, mulheres encrenqueiras e queers radicais.
Trad. Floresta. Fósforo. 432 pp. R$ 89,90

Baseada em extensa pesquisa em arquivos, Hartman descreve o mundo de jovens mulheres rebeldes dos cinturões negros da Filadéfia e de Nova York.

Tamara Klink. Mil milhas.
Peirópolis. 196 pp. R$ 58

Relato de viagem da Noruega à França em um veleiro chamado Sardinha.

Labatut, Benjamín. A pedra da loucura.
Trad. Mariana Sanchez. Todavia. 72 pp. R$ 49,90

Finalista do Booker Prize de 2021 com Quando deixamos de entender o mundo, o escritor chileno reflete sobre o caos e a loucura em dois ensaios sobre cientistas como David Hilbert e escritores como Lovecraft e Philip K. Dick para expor as metamorfoses da experiência humana e as crises políticas recentes, como a explosão social no Chile em 2019.

Patrícia Lino. O kit de sobrevivência do descobridor português no mundo anticolonial.
Posf. José Luiz Passos. Macondo. 208 pp. R$ 63

A poeta e professora atualizou sua obra irônica, que contém uma série de objetos que funcionam como “salva-vidas” da mentalidade colonial portuguesa.

Ricardo Lísias. Uma dor perfeita.
Alfaguara. 152 pp. R$ 54,90

O autor narra o período em que esteve internado com Covid-19, oscilando entre a consciência e o devaneio, as dificuldades para se recuperar e as marcas deixadas pela doença na relação com os outros.

Nastassja Martin. Escute as feras.
Trad. Camila Boldrini e Daniel Lühmann. Editora 34. 112 pp. R$ 53

Uma antrópologa francesa é atacada por um urso durante uma pesquisa etnográfica nas montanhas de Kamchatka: ela tem seu rosto desfigurado, mas sobrevive. Essa experiência traumática muda sua maneira de entender a natureza 
e o saber científico.

Geovani Martins. Via Ápia.
Companhia das Letras. 344 pp. R$ 64,90

Descreve o impacto da instalação de uma Unidade de Polícia Pacificadora na vida dos moradores da favela da Rocinha.

Pedro Meira Monteiro. Nós somos muitas: ensaios sobre crise, cultura e esperança.
Relicário. 208 pp. R$ 62,90

Estudos que analisam a literatura, a música, o cinema, as artes visuais e a filosofia, pautados pelo desejo coletivo expresso no título da obra. O livro traz participações especiais de Arto Lindsay, Flora Thomson-Deveaux e do artista Rogério Barbosa.

Amara Moira; Tarso Brant; Marcia Rocha & João W Nery. Vidas trans: a luta de transgêneros brasileiros em busca de seu espaço social.
Astral Cultural. 176 pp. R$ 49,90

Depoimentos de pessoas trans que falam das dores e dos preconceitos vividos dentro e fora de suas famílias durante o processo de transição e da liberdade conquistada após a decisão. 

Lázaro Ramos. Você não é invisível.
Objetiva. 112 pp. R$ 49,90

Conta a história de uma família na quarentena, na qual dois irmãos bastante diferentes muitas vezes se sentem confusos e até invisíveis.

Maria Firmina dos Reis. A escrava.
Hedra. 162 pp. R$ 59

Seleção de textos e poemas da autora do romance Úrsula (1859). Contém o conto A escrava, a novela Gupeva e 32 poemas extraídos dos Cantos à beira-mar e da antologia Parnaso maranhense, e o Hino à liberdade dos escravos.

Allan da Rosa. Zumbi assombra quem?
Ils. Edson Ykiê. Nós. 96 pp. R$ 60

Autor de Da Cabula (2006), o historiador conta o aprendizado de um garoto sobre as lutas e mistérios de seus ancestrais quilombolas.

Rita Segato. Crítica da colonialidade em oito ensaios e uma antropologia por demanda. 
Bazar do Tempo. 346 pp. R$ 69,90

A antropóloga e feminista argentina discute as hierarquias de gênero e de raça agravadas pelo processo da colonial-modernidade, a violência contra as mulheres e as mudanças recentes no patriarcado e o avanço da frente empresarial-estatal-cristã sobre as comunidades tribais.

Eduardo Sterzi. Saudades do mundo: notícias da Antropofagia.
Todavia. 240 pp. R$ 84,90

Professor de teoria literária da Unicamp retoma as ideias de Oswald de Andrade para ampliar o conceito de antropofagia com aproximações ao tema que vão de Sousândrade a Eduardo Viveiros de Castro.

Camila Sosa Villada. O parque das irmãs magníficas.
Trad. Joca Reiners Terron. Tusquets. 208 pp. R$ 53,90

Conta a história de um casarão usado como morada por um grupo de travestis marginalizadas do Parque Sarmiento, na cidade de Córdoba, que encontram um bebê abandonado.

Matéria publicada na edição impressa #63 em outubro de 2022.