Giro pela Feira 2024

A Feira do Livro,

Giro pela Feira 2024

Acontecimentos entre 29 de junho e 7 de julho no festival paulistano a céu aberto

05jul2024 - 19h36 • 06jul2024 - 20h36
(Fotografias de Matias Maxx)

(Filipe Redondo)

Nova edição

A edição de julho da Quatro Cinco Um já chegou na tenda da Tinta-da-China Brasil, selo editorial da Associação Quatro Cinco Um. Dá para comprar a edição 83 ou, se preferir, já fazer a assinatura da revista dos livros e ganhar descontos em várias editoras e livrarias. Além disso, estão à venda edições anteriores da revista e os lançamentos Agora, agora e mais agora e Esquerda e direita: guia histórico para o século XXI, ambos do historiador Rui Tavares; Despotismo tropical: a ditadura e a abertura política nas crônicas de Julia Juruna, de Luiz Felipe de Alencastro; Histórias da matemática: da contagem nos dedos à inteligência artificial, de Marcelo Viana; e Minha escolha pela ação social, de Neca Setubal. O leitor que comprar dois livros e uma revista ou três livros também ganha uma ecobag d’A Feira do Livro.

Receitas em alta

Os títulos de culinária são os mais vendidos na editora Senac (tenda 42), impulsionados pela venda do best seller de Rita Lobo Panelinha: receitas que funcionam, originalmente publicado em 2010 e que ganhou nova edição pela Senac São Paulo em 2023. Convidada d’A Feira, a cozinheira falou sobre o livro no último dia 30. Para quem prefere outras áreas, a editora tem livros de bebidas, moda, design e Libras, além de pôsteres de xilogravura. Os títulos estão com 30% de desconto durante o festival literário. 

Brigadeiro

O clima de festa invadiu a Patuá (tenda 38) com o aniversário da escritora Branca Lescher, que levou alguns exemplares da coletânea de crônicas Só tem 39, publicada pela editora em 2023. Com direito a brigadeiro para quem comprasse um livro, ela fez questão de comemorar o aniversário n’A Feira. No estande, uma pechincha atrás da outra: um livro por R$ 45; dois por R$ 80; três por R$ 120; e quatro por R$ 150. Além disso, há títulos selecionados a R$ 10. 

Caixinha de brindes

Quem se inscreve com o e-mail para receber a newsletter da Tag (tenda 33) tem direito de tentar a sorte em uma caixa misteriosa com alguns brindes que vão de ímã até cadernos. Além dos livros com edições especiais da editora, dá para comprar canecas e outros produtos. 

Embalados a vácuo

Quem chega na tenda 16, onde estão Ercolano, Glac, Hedra, n-1, Relicário e Tabla, até pode pensar que se trata de uma intervenção artística, mas são os exemplares expostos em uma estrutura de madeira e plástico, como se os livros estivessem embalados a vácuo. A montagem foi feita especialmente para A Feira do Livro. Por lá, quem compra a coleção Trilogia para a vida (Ercolano) ganha um estojo. A n-1 trouxe seu lançamento Jesus, o homem que preferia as mulheres, de Christine Pedotti, com adesivo colado sobre a capa. Quem se empolgar nas compras ganha desconto de 10% em dois livros da mesma editora e 20% em três de editoras diferentes. 

Vai um cafezinho?

Fazer a feira cansa. Além das cadeiras d’A Feira do Livro espalhadas pela Praça Charles Miller, a Livraria Eiffel (tenda 2) deixou uma mesinha para o público na entrada do estande. Os leitores têm direito a um cafezinho para aproveitar a pausa ou a brindes nas compras, com opções entre ecobag e garrafinhas personalizadas. 

Caso do acaso

A escritora Sabina Anzuategui, autora de Escrevi pra você hoje (Quelônio, 2023), montou uma mesinha de tarô literário que fez sucesso entre o público que passou pela tenda 28, que reúne Bandeirola, Barbatana, e-galáxia, Incompleta, Jabuticaba e Quelônio. Além disso, quem passa por lá encontra livros à moda do século 20, com lombadas costuradas à mão, totalmente artesanais, exemplares feitos com bituca de cigarro, cadernos com trechos de livros e descontos para professores.

Eu doei livros para o Rio Grande do Sul

A tenda número 10, ponto de doações de livros para recompor acervos de bibliotecas comunitárias e escolares do Rio Grande do Sul, está repleta de pilhas de livros embalados em caixas de papelão separadas entre “bibliotecas comunitárias” e “escolas”. Diariamente, às 17h, o material vai para um depósito antes de ser enviado ao estado gaúcho. Até quinta-feira (4) foram arrecadados quase 20 mil livros. Destes, 8685 foram para escolas de Canoas; 1370 para escolas de Colinas; 944 para escolas de Pelotas; 1856 para escolas de Porto Alegre; e 4344 para bibliotecas comunitárias do estado. A meta até o final d’A Feira é arrecadar 40 mil livros — ou seja, o Rio Grande do Sul ainda precisa de doações de livros, principalmente títulos de literatura infantil e infantojuvenil. Traga suas doações e ganhe um selo “Eu doei livros para o Rio Grande do Sul”. O estande faz parte de uma ação da Redelê e da Associação Quatro Cinco Um.

Quebra-cabeça pré-histórico

A editora Peirópolis (tenda 22) montou uma espécie de quebra-cabeça de dinossauro para as crianças. Inspirado no livro Novos dinos do Brasil: outras boas histórias com a descoberta de novos dinossauros, de Luiz E. Anelli, os editores pintaram a imagem de dinossauros em pedaços de madeira, fincados na areia pelo jogador. E a brincadeira deu certo como ação de vendas: até quarta-feira (4), o título infantojuvenil foi o mais vendido da editora, seguido de A criança e as águas: do ritmo, da forma e da transformação, de Gandhy Piorski, e a série de clássicos em HQ.

Mimos em um instante

Quem passa pela tenda 21, a Instante, logo de cara vê o selo de 20% de desconto, benefício para professores credenciados n’A Feira do Livro. Já para quem fizer uma compra acima de R$ 200, a editora dá uma ecobag de brinde. Mas não precisa levar tantos títulos assim para conseguir um mimo. Qualquer compra leva um bottom personalizado com a frase “boas histórias ontem, hoje e sempre”. Decorada com um letreiro ao fundo do balcão, a movimentação no estande costuma acontecer nos intervalos das mesas. O livro Os vulneráveis, novo romance da norte-americana Sigrid Nunez, que está sendo vendido exclusivamente na feira, é o mais procurado.

Preferia estar lendo

A Amora Livros, clube de assinatura de livros escritos por mulheres, está vendendo ecobags e camisetas com referências literárias na tenda 24. “Leia mais mulheres” e “Preferia estar lendo” são as frases preferidas estampadas em camisetas de todas as cores. Nesta edição, os descontos estão dignos de uma xepa: de R$ 115 no site (além do frete) por R$ 100. Já a ecobag, de R$ 84 no site está saindo por R$ 70 n’A Feira do Livro.

‘Post-its’ resumo

Também na tenda 24 está a editora Arte e Letra, que produz livros artesanais, com capas de tecido e a numeração das edições escritas à mão. Além do charme da produção manual, a ideia é controlar a quantidade de exemplares produzidos, abrindo a possibilidade de diversificar o catálogo. Os livros estão com descontos entre 10% e 30% e, como toda feira a céu aberto, estão abertos à pechincha. Nos títulos expostos na tenda, há post-its colados na capa dos livros com o resumo da obra. As noventa Havanas, da cubana Dainerys Machado Vento, por exemplo, vem com o texto: “autora cubana de contos que falam sobre procurar o seu lugar.” 

Macacos e coroas

O amarelo da banca 25 chama atenção, assim como os macacos de pelúcia sentados no balcão. Quem entra na tenda da Editora Ruth Rocha ainda ganha uma coroa dourada de papelão. Neste sábado (6) e no domingo (7), às 16h, o Tablado Mirtilo terá contação de histórias da escritora com Marina Bastos. No sábado, a escritora também promete visitar a tenda às 15h.

Bem-vindos camaradas

Com uma bandeira da Palestina e um boneco descolado de Karl Marx usando um boné do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST) para trás, a entrada da tenda 19 (Boitempo e Veneta) já mostra o que o leitor encontrará. No fundo do estande, há uma bandeira da causa antifascista que cobre toda a parede. Além de ensaios de diversas áreas das ciências, há ecobags com os escritos “camarada” e “livros mudam o mundo”.

Clima samurai

Com o teto decorado com as charmosas luminárias de papel japonesas, a Estação Liberdade (tenda 15) é um convite para conhecer a história do lendário espadachim, filósofo, estrategista e escritor japonês, o samurai Miyamoto Musashi, que estampa cartazes, e garantir um desconto na compra do box do romance histórico de Eiji Yoshikawa que narra sua viad. Pôsteres com ilustrações de gatos em estilo tradicional chinês  acompanhados de poemas e provérbios também decoram o espaço.

Pra ficar de boa

As editoras Boitatá, Jujuba e Pallas Mini dividem a tenda 17, que tem um tapete aconchegante montado no chão para as crianças brincarem e folhearem os livros. Tudo é muito colorido, com bandeiras do personagem principal de Eu fico de boa, de Sandra V. Feder.

(Filipe Redondo/Divulgação)

Doce de amendoim

O clima de festa junina chegou com tudo na tenda 13 (Carambola) que tem um espaço para as crianças conhecerem os livros da editora e desenharem. As artes produzidas pelos pequenos serão expostas nas paredes da tenda. Na quinta-feira (4), o escritor Ricardo Jaheem veio do Morro do Faz-Quem-Quer, no Rio de Janeiro, para conversar com as crianças sobre Luena Gaba, seu infantojuvenil publicado pela Bambolê, em 2023. Vestido como um rei africano, com uma coroa repleta de conchas e uma capa brilhante, ele arrancou sorrisos do público que passou por lá.

A Feira do Livro 2024

29 jun.—7 jul.
Praça Charles Miller, Pacaembu

A Feira do Livro é uma realização da Associação Quatro Cinco Um, organização sem fins lucrativos voltada para a difusão do livro no Brasil, e da Maré Produções, empresa especializada em exposições e feiras culturais. O patrocínio é do Grupo CCR, do Itaú Unibanco e Rede, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, da TV Brasil e da Rádio Nacional de São Paulo.