A Feira do Livro anuncia primeira leva de autores confirmados

451, A Feira do Livro,

A Feira do Livro anuncia primeira leva de autores confirmados

Festival literário reúne grandes escritores nacionais e internacionais na praça Charles Miller em junho

19mar2024 - 19h16 • 15maio2024 - 10h43
Feira do Livro na Praça Charles Miller. [Gabriel Cabral/Divulgação]

A Feira do Livro divulgou a primeira lista de autores convidados da terceira edição, que será realizada em junho, na praça Charles Miller, em frente à Mercado Livre Arena — Pacaembu. Em 2024, o festival literário paulistano estenderá a duração de cinco para nove dias e reunirá alguns dos principais autores brasileiros e internacionais em debates gratuitos, entre o sábado 29 de junho e o domingo 7 de julho. A realização é da Associação Quatro Cinco Um, organização sem fins lucrativos voltada para a difusão do livro, e da Maré Produções, empresa especializada em eventos e exposições de arte.  

A primeira leva de nomes divulgados traz uma mescla entre ficção e não ficção, de diferentes países e regiões do Brasil. Entre os nomes anunciados, estão destaques da literatura contemporânea internacional, como as escritoras argentinas Camila Sosa Villada, Camila Fabbri e Claudia Piñeiro, a romancista antiguana Jamaica Kincaid, o romancista e historiador norte-americano Jabari Asim, a autora paulistana Natalia Timerman, o romancista cearense Stênio Gardel, vencedor no National Book Award, e o ensaísta e ficcionista paranaense Caetano W. Galindo. 

A Feira do Livro 2023, Palco da praça [Sean Vadaru]

Assim como nas duas edições anteriores, o mix de autores inclui nomes fortes da não ficção brasileira e estrangeira nas mais diferentes áreas, da escritora e cozinheira Rita Lobo ao médico Carlos Monteiro, um dos criadores do Guia alimentar para a população brasileira. Língua portuguesa, com o linguista Marcos Bagno, matemática, com o diretor geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa), Marcelo Viana, e história do Brasil e do mundo, com o catarinense Luiz Felipe de Alencastro e o norte-americano Henry Louis Gates Jr., estão na pauta dos debates do festival. Nas próximas semanas, mais nomes de autores serão confirmados pela organização. 

A seleção dos escritores convidados é feita a partir de sugestões dos editores, tendo o pluralismo, a bibliodiversidade e a liberdade de expressão como critérios fundamentais. 

Segundo o diretor-geral d’A Feira do Livro, Paulo Werneck, “a programação buscou trazer autores que caíram no gosto dos leitores e que promovem discussões relevantes para o Brasil e o mundo”. Em 2023, A Feira do Livro recebeu mais de cem convidados e mediadores e um público de 35 mil pessoas ao longo dos cinco dias. O festival foi realizado com recursos da Associação Quatro Cinco Um e da Lei de Incentivo à Cultura, e teve patrocínio do Itaú, da Suzano Pólen e do UOL, além de apoio da Prefeitura de São Paulo, do Sesc São Paulo, do Instituto Ibirapitanga e do Nescafé.  

A Feira do Livro é um festival a céu aberto realizado no meio da rua, nos moldes das feiras literárias de Lisboa, Madri e Porto Alegre. Sem cobrança de entrada nem catracas, o festival promove o encontro entre autores, editores e leitores, tendo o livro brasileiro como protagonista. Os escritores se apresentam em dois palcos que funcionam simultaneamente: um deles montado no meio da praça, e o outro no Auditório Armando Nogueira, dentro do Museu do Futebol, parceiro do evento. 

Entre as novidades para a arquitetura em 2024, a organização prevê pequenos palcos espalhados pela praça, para debates e lançamentos com dois ou três autores, em formato pocket — sempre mantendo o espírito de uma “aldeia efêmera em pleno asfalto paulistano”, nas palavras de Alvaro Razuk, diretor de arte e arquitetura. Oficinas e atividades em torno do livro e da leitura acontecem em paralelo à programação de autores, sempre com participação gratuita.

Espaços de editoras na A Feira do Livro 2023 [Divulgação]

Confira alguns convidados da terceira edição d’A Feira do Livro: 

O jornalista Bernardo Esteves [Marcelo Saraiva/Divulgação]

Bernardo Esteves

O jornalista mineiro escreve sobre ciência e apresenta o podcast a respeito do tema A Terra é Redonda (Mesmo) na revista Piauí. Especializado em jornalismo científico, publicou em 2023 Admirável novo mundo: uma história da ocupação humana nas Américas (Companhia das Letras), sobre a disputa em torno da chegada do homo sapiens no continente.

No podcast 451 MHz, Bernardo Esteves falou sobre como as culturas indígenas contam a história da ocupação do ‘homo sapiens’ e as ligações da arqueologia e de outras ciências com o colonialismo

O poeta e professor Caetano W. Galindo [Divulgação]

Caetano W. Galindo 

Tradutor de James Joyce e Bob Dylan, o poeta, professor, crítico e ensaísta curitibano fala n’A Feira do Livro sobre Latim em pó: um passeio pela formação do nosso português (Companhia das Letras, 2023) — ensaio breve escolhido pelos colaboradores da Quatro Cinco Um o melhor livro do ano de não ficção. Estreou no romance em 2024, com Lia: cem vistas do monte Fuji (Companhia das Letras). “O passeio que Caetano W. Galindo nos oferece percorre caminhos tortos, múltiplos”, escreve Luana Chnaiderman em resenha para a Quatro Cinco Um

Camila Fabbri 

Nascida em Buenos Aires, em 1989, a escritora lança n’A Feira do Livro O dia em que apagaram a luz, com tradução de Silvia Massimini Félix, pela editora Nós. O livro trata do incêndio na casa noturna Republica Cromañón, que, em 2004, matou 194 pessoas, e do qual Camila é uma das sobreviventes.

A argentina Camila Sosa Villada [Divulgação]

Camila Sosa Villada 

Expoente da literatura argentina, a travesti portenha que ganhou fama com O parque das irmãs magníficas (Planeta, 2021. Trad. Joca Reiners Terron) lança dois romances n’A Feira do Livro: A viagem inútil, pela Fósforo, e Tese sobre uma domesticação, pela Companhia das Letras, ambos com tradução de Silvia Massimini Felix.

Carlos Monteiro 

Médico e professor titular do departamento de nutrição da Faculdade de Saúde Publica da Universidade de São Paulo, Carlos Monteiro coordenou a elaboração, com Patrícia Jaime, do Guia alimentar para a população brasileira. Lançado pelo Ministério da Saúde em 2014, o guia foi pioneiro ao condenar o consumo de ultraprocessados e defender uma alimentação saudável, tornando-se referência internacional. Carlos Monteiro vai ao festival para defender a sobretaxação dos ultraprocessados na reforma tributária.

Carlos Monteiro conversou com a chef Paola Carosella no podcast 451 MHz sobre políticas públicas e gestos individuais para uma alimentação saudável, gostosa, afetiva e socialmente justa

Claudia Piñeiro 

A escritora, dramaturga e roteirista argentina lança no Brasil o romance policial Catedrais, traduzido por Marcelo Barbão e publicado pela Primavera Editorial. É autora de romances de sucesso, como As viúvas das quintas-feiras (Alfaguara, 2007), transformado em série pela Netflix.

O escritor e roteirista Dan [Tiago de Aragão/Divulgação]

Dan

O escritor e roteirista brasiliense conquistou admiradores com o romance de estreia, Vale o que tá escrito (DBA, 2023): no faroeste urbano, a trajetória de um miliciano se confunde com a construção da nova capital.

Henry Louis Gates Jr. 

Um dos mais influentes especialistas contemporâneos em culturas africanas e afro-americanas, o professor de Harvard, nascido na West Virginia, lança no Pacaembu Caixa-preta: escrevendo a raça pela Companhia das Letras, em tradução de Cecília Floresta. O livro fala sobre como pessoas afro-americanas usaram a palavra escrita para mudar narrativas e combater o racismo. No Brasil, Gates ainda publicou Os negros na América Latina (Companhia das Letras, 2014. tradução de Donaldson M. Garschagen).

A editora da Quatro Cinco Um Iara Biderman [Yolanda Frutuoso]

Iara Biderman 

Jornalista e editora da Quatro Cinco Um, trabalhou na Folha de S.Paulo e nas editoras Globo e Abril, além de atuar como crítica de dança. Estreia na ficção com o livro de contos Tantra e a arte de cortar cebolas (Editora 34, 2024).

Jabari Asim 

O poeta, dramaturgo e professor de escrita norte-americano é autor de Em algum lugar lá fora, destacado nas listas de melhores livros de 2022 nos Estados Unidos, como na do jornal The New York Times. Primeiro romance do autor publicado no Brasil, pela Instante com tradução de Rogério W. Galindo, o livro aborda o amor e a amizade entre pessoas negras escravizadas.

Jamaica Kincaid 

Escritora premiada e professora de história africana e afro-americana na Universidade Harvard (EUA), Kincaid nasceu em Antígua e Barbuda. No Brasil, publicou os romances A autobiografia da minha mãe (trad. Débora Landsberg, 2020); Agora veja então (trad. Cecília Floresta, 2021) e Annie John (trad. Carolina Cândido, 2023), todos pela Alfaguara.

João Moreira Salles 

O documentarista e fundador da revista Piauí lançou, em 2022, Arrabalde: em busca da Amazônia (Companhia das Letras). Escrito após o autor passar seis meses no Pará, o livro tece relatos, entrevistas e pesquisas para falar da região amazônica.

O historiador Luiz Felipe de Alencastro [Divulgação]

Luiz Felipe de Alencastro 

Historiador e cientista político, Luiz Felipe de Alencastro vai lançar, pela Tinta-da-China Brasil (selo editorial da Associação Quatro Cinco Um), Despotismo tropical: a ditadura e a abertura política nas crônicas de Julia Juruna, coletânea de artigos que retomam os acontecimentos-chave da abertura política e do processo de redemocratização, organizada por Rodrigo Bonciani.

O matemático Marcelo Viana [Reprodução]

Marcelo Viana 

O matemático e cronista, diretor-geral do Instituto de Matemática Pura e Aplicada (Impa) e colunista da Folha de S.Paulo, lança Histórias da matemática: da contagem nos dedos à inteligência artificial pela Tinta-da-China Brasil, selo editorial da Associação Quatro Cinco Um.

O escritor, tradutor e professor de linguística Marcos Bagno [Acervo pessoal]

Marcos Bagno

Escritor, tradutor e professor de linguística na Universidade de Brasília, Bagno é conhecido pela militância contra o preconceito e a exclusão social por meio da linguagem e a favor dos múltiplos modos de falar. Ele é autor de dezenas de livros, como Dicionário crítico de sociolinguística (2017) e Não é errado falar assim!​​ (2008), ambos publicados pela Parábola Editorial.

A escritora e dramaturga Maria Adelaide Amaral [Renato Parada]

Maria Adelaide Amaral 

A escritora e dramaturga luso-brasileira lança nova edição, revista pela autora, de Aos meus amigos (Instante). Publicado originalmente em 1991 pela Globo, o romance inspirou a minissérie Queridos amigos, exibida na Rede Globo em 2008, e gira em torno de um grupo de jovens que combatia a ditadura nos anos 70 e se reencontra nos anos 90 após o suicídio de um deles. 

O cantor, compositor e escritor Martinho da Vila [Ricardo Borges/Divulgação]

Martinho da Vila 

Cantor, compositor e escritor brasileiro, lançou em fevereiro o livro de memórias Martinho da vida, pela editora Planeta. Em 2019, ele lançou um livro de crônicas — 2018: crônicas de um ano atípico (Kapulana) — e falou de política, Carnaval e o embranquecimento de Machado de Assis em entrevista à Quatro Cinco Um.

A crítica literária Nara Vidal [Acervo pessoal]

Nara Vidal 

A escritora e crítica literária acaba de lançar Puro (Todavia). No romance, que se passa nos anos 30, no interior de Minas Gerais, ela percorre o passado do país para discutir temas como eugenia. A Quatro Cinco Um de março traz um ensaio da autora sobre ficção e autoficção.

A escritora e psiquiatra Natalia Timerman [Renato Parada/Divulgação]

Natalia Timerman 

Escritora e psiquiatra, é autora de Copo vazio, inspirado em uma situação de ghosting, e As pequenas chances (2023), sobre o luto pela morte do pai, ambos publicados pela Todavia. No podcast 451 MHz, a escritora e o psicanalista Christian Dunker conversaram sobre o tratamento da perda e do luto na literatura contemporânea e de todos os tempos.

Rita Lobo 

Cozinheira e escritora, é autora do clássico Panelinha: receitas que funcionam, originalmente publicado em 2010 e que ganhou nova edição pela Senac São Paulo em 2023.

Rodrigo Hübner Mendes 

Educador, é autor de O potencial da mudança: o desafio de navegar pelas incertezas (Objetiva, 2023). Na autobiografia, Rodrigo Hübner Mendes conta que se tornou tetraplégico aos dezoito anos e narra as experiências que seguiram ao acontecimento, como sua atuação na luta por educação inclusiva e a fundação do Instituto Rodrigo Mendes.

Rosa Freire d’Aguiar 

Tradutora e jornalista, lançou Sempre Paris: crônica de uma cidade, seus escritores e artistas em 2023, pela Companhia das Letras. O livro foi resenhado por Paulo Roberto Pires na Quatro Cinco Um. Rosa Freire d’Aguiar também é autora de Memória de tradutora (Escritório do Livro, 2004).

Stênio Gardel, autor de A palavra que resta [Fernanda Oliveira/Divulgação]

Stênio Gardel 

O escritor cearense teve seu romance de estreia, A palavra que resta (Companhia das Letras, 2021), premiado pelo National Book Awards, o mais importante prêmio do mercado editorial norte-americano, na categoria obra traduzida. A tradução para o inglês foi feita por Bruna Dantas Lobato. No podcast 451 MHz, Gardel e a escritora Socorro Acioli falaram da oficina de escrita que deu início ao romance e a uma grande amizade literária. Ouça no site.

A escritora Tatiana Salem Levy [Pedro Loureiro/Divulgação]

Tatiana Salem Levy 

Autora de Vista chinesa (2021), traduzido para diversos idiomas, Levy lançará Melhor não contar, também pela editora Todavia, romance em torno de um acontecimento que marca o fim da infância — e inocência — da protagonista. Um estudo sobre as violências (reais e figuradas, inclusive na literatura) que as mulheres experimentam ao longo da vida.

No podcast 451 MHz, a escritora carioca ela falou sobre a violência sexual e suas representações literárias: “A violência sexual é o indizível do horror. Daquilo que não é para acontecer de jeito nenhum. Da injustiça no seu auge.” Ouça no site.

A psicanalista e escritora Vera Iaconelli [Marlos Bakker/Divulgação]

Vera Iaconelli

Psicanalista, escritora e colunista da Folha de S.Paulo, é autora de Manifesto antimaternalista: psicanálise e políticas da reprodução (Zahar, 2023), no qual ela desconstrói o mito do instinto materno e crenças que subjugam mulheres ao papel dos cuidados a partir de estudos de gênero, classe, raça e decolonialidade. Leia resenha de Carol Pires na Quatro Cinco Um.

Quem faz A Feira do Livro 

A Associação Quatro Cinco Um é uma organização sem fins lucrativos dedicada a levar o livro para o centro do debate na sociedade brasileira. Seus principais projetos são a revista de crítica de livros Quatro Cinco Um, que tem edição impressa, digital, em podcasts e newsletters, a editora de livros Tinta-da-China Brasil, com foco em literatura e ensaio, e o festival literário A Feira do Livro, criado em parceria com a Maré Produções Artísticas e realizado no Pacaembu, em São Paulo. 

A Maré Produções é um escritório de arquitetura especializado em exposições e feiras culturais. Entre as realizações recentes da empresa está a exposição internacional Amazônia, de Sebastião Salgado. 

Serviço

A Feira do Livro 29 de junho a 7 de julho de 2024
Praça Charles Miller – Pacaembu – São Paulo/SP
Entrada Gratuita