Capa,

O que importa é o conteúdo

Edição de setembro traz matérias sobre Bob Dylan, Jane Austen, racismo e as origens da constituição

14dez2018

Tendo diversas instituições da área cultural como clientes – entre elas a revista Quatro Cinco Um, cujo projeto gráfico assinam –, Celso Longo e Daniel Trench (@cldt.design), parceiros de trabalho desde 2008, assinam a capa da revista #5, de setembro de 2017, em que o foco está na tipografia e paleta de cores – além, é claro, do conteúdo. Outros trabalhos do duo incluem catálogos, livros e revistas para o Instituto Moreira Salles, a Pinacoteca do Estado de São Paulo, o Sesc Pompeia, o Museu de Arte Moderna de São Paulo, o Nexo Jornal e as editoras Cobogó e Movimenta. Longo é arquiteto e mestre em design e arquitetura pela FAU-USP e professor e coordenador do núcleo de design da Escola da Cidade. Trench é bacharel em artes plásticas pela FAAP e mestre pela ECA-USP, editor de arte da revista Serrote e professor de design visual na ESPM.

Quais foram os critérios de escolha para a fonte da revista Quatro Cinco Um?
Celso:
Uma família ampla em termos de variantes e caracteres, de bom rendimento e boa leitura, e que tivesse um desenho bastante particular para garantir a identidade visual da revista.
Daniel: A busca era por uma fonte que tivesse um desenho afirmativo e, ao mesmo tempo, funcionasse bem em páginas densas, privilegiando a legibilidade.

Esta capa é totalmente tipográfica. O que os atrai na tipografia?
Celso:
Sua ambivalência: ao mesmo tempo um signo verbal e visual.
Daniel: O fato de ela ter uma cara — e poder desdizer o que promete.

Que artistas estão entre suas principais influências?
Celso:
Difícil… vai de Cartola a Paul Rand; de Lina Bo Bardi a Jim Jarmusch.
Daniel: São muitos, e variam de tempos em tempos.